Friends, o seriado que marcou gerações

· setembro 17, 2018

Friends é um seriado de comédia romântica que marcou as expectativas e o comportamento de toda uma geração. A série estreou em 1994 e narra a história de 6 adultos jovens que se reúnem em um pequeno café. Vivendo sua juventude em Nova York, suas vidas são simples e complicadas ao mesmo tempo.

Originalmente, o programa ia ser chamado Insônia Café. A série a princípio seria dirigida para o mesmo público que gosta de Seinfeld e dos filmes de Woody Allen. Friends, no entanto, sofreu uma reviravolta inesperada que a tornou única logo no seu momento de estreia.

Ainda que tenha o mesmo humor neurótico tão característico de Seinfeld, Friends era uma série cheia de esperança. Para essas 6 pessoas, o futuro estava cheio de possibilidades. Dessa forma, foi uma série sobre amor, sexo, relações amorosas e a vida profissional.

Friends foi, sobretudo, uma série sobre amizade e sobre como seus amigos podem chegar a ser uma outra família sua, não menos valiosa que a família de verdade, mas uma família que você escolheu.

Friends, expectativas irreais

Os capítulos foram um tremendo sucesso, e os personagens tiveram um desenvolvimento nítido. Depois de seu último episódio, Friends foi novamente reprisado em inúmeras ocasiões. Durante quase 15 anos, o seriado mudou a maneira de toda uma juventude ver o mundo.

Mas eu não estou dizendo que isso aconteceu necessariamente da melhor maneira. Friends impôs alguns padrões nas expectativas de vida dos membros da geração Y que são bastante irreais…

Friends

1. A situação dos apartamentos

Além de Chandler e de Ross, os outros personagens não tinham empregos que permitiam um ganho financeiro alto. Joey era um ator que nunca conseguia papéis. Mônica era uma chef de cozinha de meio período. Rachel era garçonete em um café e Phoebe era massagista, também de meio período.

Nenhum deles jamais ganharia o suficiente para manter o aluguel de um apartamento. Muito menos para comprá-lo. Especialmente devido ao fato de que os apartamentos tinham uma vista panorâmica de Nova York.

No nosso mundo moderno, é muito difícil para um jovem manter esse estilo de vida sem um emprego estável. O tamanho e a decoração dos apartamentos definiram as expectativas dos jovens dos anos 90 e 2000. Sem dúvida, deparar-se com a realidade desta impossibilidade pode causar uma enorme frustração,

2. As vidas sexuais neuróticas

A série nunca representou as vidas amorosas e sexuais dos personagens como algo minimamente atraente. Constantemente eles tinham problemas e confusões. Os homens eram absolutamente patéticos. As mulheres eram pervertidas neuróticas.

Ross e Chandler estavam frustrados sexualmente o tempo todo. Joey parecia acreditar que só podia levar suas conquistas para a cama uma vez. Por outro lado, Rachel, Mônica e Phoebe constantemente direcionavam as ações de seus companheiros. O que aconteceu foi que Friends converteu a vida sexual em um processo alheio e quase burocrático.

3. Joey Tribbiani: no limite do assédio sexual

Esse ponto é intimamente relacionado ao anterior. A maneira de conquistar de Joey também não pode passar despercebida. Sem dúvida, muitas mulheres já receberam supostos “elogios” de homens desconhecidos. Nas academias, no supermercado, no parque, comprando o jornal, um pão ou um simples iogurte.

Em relação a esses comportamentos, deveríamos na verdade repreender Joey. Ele serviu como referência para que muitos adultos jovens crescessem com ideias equivocadas. A razão é, sem dúvida, a autoconfiança que Joey tinha e o suposto sucesso que ele fazia com as mulheres.

Essa confiança despertou um comportamento em homens que poderiam ter continuado suas vidas se relacionando de outra maneira com as mulheres. O método de conquista de Tribbiani, se é que podemos chamá-lo de método, é praticamente um assédio sexual. E isso obviamente é uma péssima ideia.

4. A quantidade de tempo que eles passavam ocupando espaço no café

As cafeterias são ao mesmo tempo divertidas e tranquilas, movimentas e redutos de calma. Além disso, diferentemente de outros estabelecimentos, elas nos oferecem um espaço para nos reunirmos com os amigos. Nos anos 90, os cafés eram um fenômeno relativamente novo. Sem dúvida, Friends é o grande responsável pela sua popularização, pelo menos em parte.

Há, no entanto, um aspecto negativo do ambiente dos cafés. E é justamente esse que Friends parece promover. Estamos falando dos indivíduos que ficam lá durante horas e horas. Seja falando, aproveitando o WIFI, lendo um livro… Essas pessoas que se negam a ceder suas cadeiras.

Dessa forma, parecem ter um lugar reservado no café que visitam constantemente. E ainda que isso pareça adorável visto de fora, pode chegar a ser uma tortura para determinados estabelecimentos.

Friends, o seriado que marcou gerações

5. As relações tóxicas e intermináveis

Se existe um lado negativo de Friends, e não um pouco negativo, mas muito, com certeza é esse. A relação de Ross e Rachel seria considerada hoje em dia como uma relação extremamente tóxica. As amigas de uma mulher em uma relação dessa certamente recomendariam que ela terminasse. E os amigos do homem também.

Nenhum dos dois parece ser feliz e eles discutem constantemente. Depois, rompem a relação não explicitamente pela falta de coragem de enfrentar essa decisão, e têm relações sexuais com outras pessoas sem ter declarado realmente que tudo havia terminado. Tudo é muito confuso. Ainda assim, o modelo parece ter se convertido em um tipo de relação idealizada e romântica.

Ross e Rachel se mantiveram na relação durante tempo demais para que fosse algo romanticamente ambíguo. Além disso, essa relação eterna abriu as portas para conversas igualmente intermináveis sobre “para onde essa relação está indo”.

A comunicação é muito importante dentro de uma relação; com ela, cada um sabe o que esperar do outro no relacionamento. Chega um momento, no entanto, em que as partes do casal devem deixar a situação fluir. Mas ao invés disso, Ross e Rachel parecem adorar a ideia de se afogar em uma poça.

Depois de tudo isso, ainda assim vamos dizer: Friends é um seriado fácil de se apaixonar. Os diálogos são engraçados e as situações são as nossas situações cotidianas. É importante, no entanto, que vejamos a série de uma maneira crítica, assim como todos os outros programas de TV. Desse modo, evitaremos assumir ideias e padrões de comportamento que podem nos prejudicar.