Gerenciar ou deter os pensamentos: um desafio

maio 21, 2019
Não se pode deter os pensamentos de uma maneira simples. No entanto, podemos conseguir algum controle sobre eles quando deixamos de ser seus juízes.

Mesmo quando não queremos pensar, estamos pensando. Então, parar de pensar é uma tarefa complicada. A medicação pode fazer isso por nós, e a meditação parece um caminho promissor. Como não podemos deter os pensamentos, o que podemos fazer é impor uma certa vontade ou controle sobre o que pensamos: aquilo a que vamos dedicar nossa atenção mental.

mente, estando desperta, gera, por si só, pensamentos e emoções; podemos dizer que 90% deles ou mais são gerados sem intencionalidade. Às vezes, quando nos apegamos a pensamentos ou emoções, os tornamos nossos erroneamente. Depois de 2 ou 3 segundos tentando retirar a atenção de qualquer estímulo que apareça em nossa mente, ele tenderá a desaparecer.

Fixar nossa atenção em um objeto mental – cópia ou não do mundo real – geralmente leva à ruminação e desconforto, aumentando a probabilidade de surgirem vieses de pensamento, como o de confirmação.

viés de confirmação é a tendência de uma pessoa priorizar a informação que confirma suas suposições, ideias preconcebidas ou hipóteses, independentemente de serem verdadeiras ou não. O

Não podemos mudar o que estamos experimentando, por mais que tentemos fazê-lo. O que é possível é parar de lutar contra o que existe.

Estamos tão acostumados a lidar com certos aspectos da vida que já os automatizamos. Saber como formamos nossos pensamentos pode nos ajudar a distanciar conflitos internos e a melhorar nossas relações com os outros.

“Os sentimentos vêm e vão como nuvens num céu ventoso. A respiração consciente é a minha âncora”.
-Thich Nhat Hanh-

Os pensamentos não são mais que isso: pensamentos

Uma metáfora sobre deter os pensamentos

Imagine um cachorro preto. É apenas um cachorro preto, mas a este pensamento adicionamos nossos próprios suplementos; parece o cachorro do(a) meu/minha ex, sinto falta de quando viajávamos, eu queria poder voltar com ele/ela, minha vida não faz muito sentido agora…

Não podemos deter os pensamentos, mas podemos observá-los. Isso é sinônimo de deixar esses pensamentos fluírem, isto é, ver como eles vêm e vão para não persegui-los nem adicionar mais conteúdo do que já possuem.

A compaixão nos ajuda a minimizar o impacto dos eventos negativos que nos acontecem. Não se trata de apagar as emoções negativas que determinados eventos podem nos causar, mas de reduzir sua intensidade.

“A principal causa da infelicidade não é a situação, mas sim os seus pensamentos sobre ela”.
-Eckhart Tolle-

Os pensamentos não são mais do que isso: pensamentos

O que pensamos influencia a nossa interpretação do mundo. Adotar uma posição distante da de um juiz sobre nossos pensamentos certamente nos proporcionará uma visão mais amável do mundo, nos permitindo ser mais precisos ao escolher as correntes que queremos que nos levem.

Quais informações mandamos ao nosso cérebro quando pensamos ou passamos por uma situação desagradável? Se processarmos as informações apenas de maneira emocional, estaremos entrando no delicado terreno dos pensamentos distorcidos, com seus erros correspondentes no processamento da informação.

Os pensamentos negativos automáticos não podem ser parados. Eles são produtos, em muitos casos, enraizados e alimentados por distorções cognitivas. No entanto, é possível identificar e compreender seu funcionamento para, assim, diminuir o surgimento e a permanência de uma grande variedade de comportamentos e emoções disfuncionais.

A maior parte da dor humana é desnecessária. É uma auto-criação, enquanto o subconsciente comanda a sua vida.

Como deter os pensamentos intrusos?

Todos os problemas são ilusões mentais. Não existem problemas, existem apenas situações que devem ser enfrentadas ou que devem ser deixadas como estão e aceitas como parte do momento até que mudem ou possam ser resolvidas de alguma forma. Não se pode deter os pensamentos, mas sim dar-lhes a devida importância.

A vida lhe dará a experiência para a evolução da sua consciênciaComo você saberá que esta é a experiência de que você precisa? Porque esta é a experiência que você está tendo agora.

“Minha experiência me diz que a maioria das coisas não é tão ruim quanto eu pensava que seriam”.
-Mary Doria Russell-

  • Moix Queraltó, J. (2006). Las metáforas en la psicología cognitivo-conductual. Papeles del psicólogo27(2).