Histamina: características e funções

· outubro 6, 2018

Certamente você já ouviu falar alguma vez da histamina e dos anti-histamínicos. Essas substâncias estão diretamente relacionadas às alergias e ao seu tratamento. No entanto, o que você provavelmente não sabe é qual é a sua função exata, ou porque é capaz de produzir reações a determinados alimentos, plantas ou elementos.

Assim, neste artigo vamos falar sobre o que é realmente a histamina e quais são suas funções dentro do nosso corpo. Além disso, você também descobrirá qual é sua relação com as alergias e como elas influenciam na sua manifestação.

O que é a histamina: principais características

A histamina é uma molécula que cumpre uma dupla função de comunicação em nosso organismo. Dependendo de em que parte se encontra, pode atuar tanto como hormônio quanto como neurotransmissor. Portanto, sua função é regular algumas de nossas funções biológicas. Além disso, permite que certas células transmitam informações entre elas.

Por outro lado, desempenha um papel fundamental na regulação do sistema imunológico. Além disso, regula funções do sistema digestivo, como a criação de ácido gástrico no estômago. Também desempenha uma função essencial na regulação de nossos ritmos vitais.

Assim, graças a esse neurotransmissor, nossos ritmos de sono se mantêm mais ou menos estáveis. Por último, também está relacionado com algumas partes da resposta sexual humana.

Histamina

Como essa substância é produzida

Ao contrário de muitos outros hormônios, a histamina não pode ser sintetizada diretamente no corpo. Pelo contrário, é necessário obtê-la a partir de outra substância, a histidina. Essa molécula é um dos aminoácidos essenciais; isto é, trata-se de um elemento que nosso corpo não produz e que deve ser obtido através do que comemos.

Portanto, a alimentação desempenha um papel fundamental na produção de histamina em nosso organismo. Uma dieta rica em proteínas é fundamental para manter níveis adequados desta substância. Assim, uma pessoa cuja alimentação seja pobre neste macronutriente pode sofrer com mais alergias do que o normal, de acordo com algumas pesquisas sobre o assunto.

Uma vez que ingerimos histidina suficiente, nosso corpo produz histamina através de um processo conhecido como descarboxilação. Ele ocorre em certos componentes do sistema imunológico: nos mastócitos e nos basófilos. Além disso, certas partes do nosso cérebro também são capazes de produzir essa substância, devido à sua importância como neurotransmissor.

Como a histamina afeta o nosso corpo

Os hormônios e os neurotransmissores devem ser absorvidos por certos elementos do nosso corpo para ter um efeito sobre ele. Os responsáveis ​​por isso são os receptores; e no caso da histamina, foram descobertos até quatro tipos diferentes. Encontram-se distribuídos por todo o corpo e cada um deles provoca efeitos diferentes em nosso organismo.

Assim, por exemplo, alguns estão localizados dentro do sistema digestivo, enquanto outros se encontram nos brônquios ou no cérebro. Os pesquisadores não descobriram o último dos quatro tipos até recentemente. Portanto, é possível que nas próximas décadas sejamos capazes de detectar novas maneiras por meio das quais esse hormônio afeta o nosso organismo.

Funções da histamina

Para terminar, vamos analisar algumas das principais maneiras por meio das quais essa substância cria mudanças em nosso corpo.

1- Inflamação

A principal função da histamina é gerar inflamação no organismo. Essa resposta ajuda o nosso corpo a isolar agentes externos e problemáticos, com o propósito de lutar melhor contra eles. No entanto, este também é o motivo pelo qual, quando este hormônio não funciona da maneira correta, ocorrem reações alérgicas no corpo.

A maneira pela qual a inflamação ocorre é através da vasodilatação. Isso permite que o volume de sangue na área infectada pelo componente externo aumente.

Por outro lado, a histamina também atrai glóbulos brancos para a mesma área, o que causa inflamação, calor, coceira e vermelhidão. No entanto, esses são apenas efeitos colaterais que temos que aguentar para que nossa saúde fique protegida.

2- Regulação do sono

Este hormônio também produz o efeito contrário à melatonina no organismo; ou seja, ele é o responsável por regular a ativação e a vigília no corpo. De fato, a maioria dos medicamentos destinados ao tratamento da hipersonia (excesso de sono) são responsáveis por ativar os mesmos receptores que esta substância.

Mulher acordando pela manhã

3- Sexualidade

Por último, a histamina também desempenha um papel muito importante no controle da resposta sexual. Acima de tudo, tem muito a ver com o orgasmo: vários estudos mostraram que a deficiência desse hormônio pode causar anorgasmia. Inversamente, um excesso dessa substância tende a provocar ejaculação precoce nos homens.

Como você pode ver, a histamina é uma substância fundamental para o bem-estar do nosso corpo. Por isso, ter uma dieta balanceada e manter hábitos saudáveis ​​que favoreçam sua produção é importante para cuidar bem da saúde.