Uma história infantil inspiradora que todas as crianças deveriam ouvir

· setembro 21, 2018

‘A Criança que Conseguiu’ (El niño que pudo hacerlo) é uma história infantil que deveria ser contada a todas as crianças do mundo. A razão é que ela transmite uma mensagem poderosa: é essencial se esforçar para alcançar metas e objetivos próprios, deixando de lado as vozes que tentam nos desmotivar.

Esta adaptação de uma história popular de Eloy Moreno deveria ser contada a todas as crianças do mundo. Porque ‘A Criança que Conseguiu’ é uma história que empodera, que reflete a realidade da vida na constituição e nutrição dos nossos sonhos.

A história se afasta da mensagem excessivamente otimista de “Se você quer, você pode”. Porque querer nem sempre é poder, e isso deve ser claro desde a infância para não cair na prisão da exigência do impossível.

A capacidade de analisar de maneira realista nossas possibilidades é o que constrói de maneira saudável a nossa autoestima, por isso é necessário antecipar o poder ao querer e se mover apenas pelo impulso onírico e mágico do desejo de superação.

Não queremos filhos perfeitos… porque não queremos cultivar o orgulho; queremos filhos que se amem e confiem em si mesmos e em seu potencial; que saibam, afinal, que sendo eles mesmos ninguém os derrotará.

A importância da nossa criança interior

A história infantil da criança que conseguiu

Duas crianças estavam patinando durante toda a manhã em um lago congelado quando, de repente, o gelo se rompeu e um deles caiu na água. A corrente interna o deslocou alguns metros abaixo da parte congelada, então, para salvá-lo, a única opção era quebrar a camada que o cobria.

Seu amigo começou a gritar por ajuda, mas ao ver que ninguém vinha, rapidamente procurou uma pedra e começou a bater no gelo com toda a sua força.

Bateu, bateu e bateu, até que conseguiu abrir uma fenda através da qual colocou o braço para agarrar seu amigo e salvá-lo. Alguns minutos depois, informados pelos vizinhos que ouviram os pedidos de ajuda, os bombeiros chegaram. Quando contaram o que havia acontecido, não conseguiam parar de pensar em como aquele menino tão pequeno conseguira quebrar uma camada tão espessa de gelo.

É impossível que com essas mãos ele tenha conseguido isso, é impossível, ele não tem força suficiente, como pode ter conseguido? comentaram entre si.

Um senhor que estava por perto, ao ouvir a conversa, aproximou-se dos bombeiros.

– Eu sei como ele fez isso – disse.

 Como?perguntaram surpresos.

– Não havia ninguém ao redor para dizer ao menino que ele não ia conseguir.

Dar asas aos sonhos das crianças

As crianças, os sonhos e o nosso papel na construção da sua autoestima

Quando somos pequenos, o que os outros nos dizem não apenas age como um freio ou um estímulo, mas também molda a nossa identidade e a imagem que temos de nós mesmos.

Como adultos, temos um papel principal e essencial na construção da autoestima das crianças. Por sua parte, elas são como esponjas e absorvem facilmente o que observam e as mensagens que lhes transmitimos.

Todas as crianças são feitas de um material delicado, inocente, frágil, onírico e magnífico. São mentes borbulhantes que transformam seus jogos em sonhos para criar e aspirações para realizar.

Quando olhamos para as crianças, temos que estar conscientes disso, de que somos seus treinadores, os responsáveis ​​por seus sonhos, por seu desejo de viver, por sua autoestima e, finalmente, por sua construção.

Como sabemos, as histórias são um dos meios de comunicação com as crianças. Através delas, podemos ajudá-las a se compreenderem, a se virarem no mundo, a assumirem valores e a criarem novas experiências. Esta história infantil transmite uma mensagem que se traduz na importância de desenvolver uma competência indispensável: a resiliência.

Resiliência entendida como força, persistência diante da adversidade e gestão do diálogo interno. É essencial que paremos para pensar sobre o quão importante pode ser contar uma história como essa para uma criança para estabelecer de maneira sólida as fundações de seu castelo.

Mensagens como essa irão ajudá-las a tecer suas asas de uma maneira especial e ponderada, e vão apoiá-las na hora de descobrir suas habilidades e interesses. Acima de tudo, ajudarão a desenvolver de maneira apropriada estratégias únicas de autogestão.