Foi identificada a técnica mais eficaz para tratar a depressão

· janeiro 29, 2016

Você sabe qual é a técnica terapêutica mais eficaz para as pessoas com depressão? Algumas pessoas com este problema podem esperar respostas dos seus terapeutas.

Uma pesquisa indica que as perguntas podem ser a chave.

Este estudo, realizado por pesquisadores da Universidade Estadual de Ohio, nos Estados Unidos, é o primeiro a demonstrar que os pacientes deprimidos experimentam melhorias substanciais nos seus sintomas depressivos quando seus terapeutas utilizam uma técnica chamada de questionamento socrático. O estudo foi publicado na revista Behaviour Research and Therapy.

Questionamento socrático e terapia cognitiva

O questionamento socrático é uma ferramenta terapêutica

de reestruturação cognitiva da terapia cognitiva

O questionamento socrático consiste em uma série de perguntas guiadas em que o terapeuta pede ao paciente que considere novas perspectivas sobre si mesmo e o seu lugar no mundo.

“As pessoas com depressão podem ficar presas na sua forma negativa de pensamento”, disse Justin Braun, coautor do estudo e estudante de doutorado em psicologia na Universidade Estadual de Ohio.

“O questionamento socrático ajuda os pacientes a examinar a validade dos seus pensamentos negativos e a ganhar uma perspectiva mais realista, mais ampla.”

A terapia cognitiva entende que as pessoas sofrem depressão pela interpretação que realizam dos acontecimentos, e não por eles em si. Durante a terapia procura-se que o paciente flexibilize a atribuição de significados e encontre por si mesmo interpretações mais funcionais e adaptativas.

Dessa forma, a terapia não apenas reduz a depressão, como protege contra futuros episódios depressivos.

“Muitas outras pesquisas focaram em como a relação entre o paciente e o terapeuta pode fomentar uma resposta terapêutica positiva”, disse o coautor do estudo Daniel Strunk, professor associado de psicologia na Universidade Estadual de Ohio.

“Descobrimos que o questionamento socrático foi preditivo das melhorias dos sintomas anteriores e mais além da relação terapêutica, a variável que mais foi examinada em estudos anteriores”.

filosofia

Por que o questionamento socrático é eficaz

No estudo participaram 55 pacientes que passaram por um curso de 16 semanas de terapia cognitiva para a depressão na Universidade Estadual de Ohio. Os pacientes preencheram um questionário no início de cada sessão. O objetivo deste questionário era medir os seus sintomas depressivos.

Os pesquisadores analisaram as gravações de vídeo das três primeiras sessões de cada um dos pacientes e estimaram a frequência com que o terapeuta usava técnicas de questionamento socrático.

Os pesquisadores observaram que nas sessões em que os terapeutas usaram mais questionamentos socráticos havia uma melhoria mais acentuada nos sintomas depressivos dos pacientes.

“Os pacientes estão aprendendo este processo de se fazer perguntas e de serem céticos quanto aos seus próprios pensamentos negativos”, revelou Braun. “Quando fazem isto, tendem a ver uma redução substancial dos seus sintomas depressivos”.

Por exemplo, um paciente pode dizer ao seu terapeuta que é um fracasso total e que a vida não vale a pena ser vivida porque o seu casamento terminou em divórcio. Um terapeuta pode realizar uma série de perguntas socráticas para desafiar as crenças com relação a sua situação.

Como exemplo, os pesquisadores sugerem as seguintes perguntas:

  • Você acha que toda pessoa que passou por um divórcio é um fracassado?
  • Você consegue se lembrar de alguém a quem isto não se aplica?
  • Como o fato de se divorciar parece se traduzir em um fracasso de pessoa para você?
  • Quais evidências existem de que houve acertos em alguns aspectos do seu relacionamento, e que, portanto, não foi um fracasso total?

dúvidas

“O objetivo é ajudar aos pacientes a aprenderem a utilizar o mesmo tipo de perguntas consigo mesmos”, afirmou Strunk.

“Acreditamos que um dos motivos pelos quais a terapia cognitiva tem tais efeitos positivos duradouros é porque os pacientes aprendem a questionar seus pensamentos negativos e continuam fazendo-o inclusive depois de terminado o tratamento”.

Strunk também comentou que os pacientes “ficam sabendo que podem estar ignorando a informação que for contrária a seus pensamentos negativos”.

Os pesquisadores continuam as suas pesquisas com novos pacientes no tratamento da depressão clínica. Um dos objetivos dos novos estudos é caracterizar os pacientes para que o uso do questionamento socrático possa ser mais eficaz.