Inteligência emocional no esporte: como ela nos ajuda?

Inteligência emocional no esporte: como ela nos ajuda?

Maio 18, 2018 em Psicologia 0 Compartilhados
Inteligência emocional no esporte: como ela nos ajuda?

A psicologia do esporte é um ramo da psicologia. Estuda nossos processos psíquicos e nosso comportamento durante a atividade esportiva. Essa ciência aplicada busca conhecer e otimizar as condições internas do atleta.

Através da psicologia do esporte busca-se alcançar a expressão do potencial físico, técnico e tático adquirido no processo de preparação. Assim, os pesquisadores estudam os diferentes processos psicológicos que estão influenciando o comportamento dos atletas.

Esses processos se referem a conceitos como a motivação, os processos emocionais e sua influência no desempenho dos atletas. Também são estudados diferentes aspectos relacionados com a intervenção da psicologia no esporte de performance, de iniciação e de saúde.

Desta forma, o psicólogo do esporte ajuda o competidor a controlar o estresse, porque o estresse provoca uma desorganização emocional e comportamental que pode afetar seu desempenho.

É a partir de 1995, com o surgimento do trabalho Inteligência Emocional, de Goleman, que se inicia e se amplia o estudo da inteligência emocional em diferentes meios, tanto científicos quanto não científicos. A partir daí, houve um aumento do interesse social e científico pelos processos emocionais. No entanto, não irá aparecer no contexto esportivo até 2001, quando os primeiros estudos começarão a surgir. Assim, é a partir de 2009 que esses estudos começam de forma mais abrangente.

Pessoa nadando

O que entendemos por inteligência emocional?

A inteligência emocional é outra maneira de entender a inteligência. Com ela, vamos além dos aspectos cognitivos, tais como a memória e a capacidade de resolver problemas.

O conceito de inteligência emocional é, antes de tudo, nossa capacidade de nos direcionarmos efetivamente aos outros e a nós mesmos. Mas não é só isso, também envolve a conexão com as nossas emoções, gerenciá-las, nos automotivar, frear certos impulsos, superar as frustrações. Daniel Goleman, o guru da inteligência emocional, explica que dentro de seu enfoque sobre a mesma há quatro dimensões básicas que a estruturam:

  • A primeira é a autoconsciência. Ela se refere à nossa capacidade para entender o que sentimos e estarmos sempre conectados aos nossos valores, à nossa essência.
  • O segundo aspecto é a automotivação e a nossa capacidade de nos orientarmos para os nossos objetivos, de nos recuperarmos de contratempos, de administrar o estresse.
  • A terceira dimensão tem a ver com a consciência social e com a nossa empatia.
  • O quarto elo é, sem dúvida, a pedra filosofal da Inteligência Emocional: nossa capacidade de nos relacionarmos, de nos comunicarmos, de chegar a acordos, de nos conectarmos de forma positiva e respeitosa com os outros.

Inteligência emocional no esporte

No esporte, as exigências e demandas da competição são cada vez maiores, cada vez mais as diferenças são marcadas por fatores que não são derivados diretamente do próprio treinamento físico, como a nutrição ou a psicologia. Assim, a psicologia do esporte é responsável por analisar, estudar e observar os comportamentos, reações e respostas emocionais do indivíduo ou equipe.

Para isso, é necessário “controlar” positivamente suas emoções ou redirecioná-las para que não influenciem negativamente o gesto esportivo. E por que a inteligência emocional? Porque no esporte temos que tomar decisões rápidas e apropriadas.

A inteligência emocional é muito interessante para o coletivo esportivo. Os elementos intrapessoais e interpessoais têm uma aplicação direta. O autoconhecimento, a autorregulação das emoções, a automotivação, as habilidades sociais e a empatia são ferramentas que todo atleta administra em maior ou menor grau.

Muitas das técnicas de relaxamento, concentração, visualização, etc, são compartilhadas. Cada vez mais, os clubes, federações e treinadores estão contratando profissionais para implementar essas técnicas. Desta forma, pretendem melhorar o desempenho dos atletas.

Muitas das ferramentas que a inteligência emocional e o esporte compartilham têm uma característica principal. Essa característica é extremamente prática, especialmente de aplicação na vida cotidiana.

A inteligência emocional no esporte é uma área muito interessante que pode nos trazer inúmeros benefícios.
Compartilhar

Mulher descansando após fazer exercícios

A importância de exercer um controle sobre as emoções

A importância que tem o fato de que um atleta possa exercer controle sobre suas emoções, com relação à pratica de esportes, é evidente em vários estudos. Hanin e Sirja (1995) descobriram que as emoções em relação ao sucesso esportivo apresentam zonas individuais ótimas.

No entanto, a nível de grupo, o mesmo não acontece. Cada atleta reage de forma diferente ao estresse, o que requer um grau de emoções positivas ou negativas que lhe deem um ponto ótimo de desempenho na situação do jogo.

O estudo da inteligência emocional no esporte, no entanto, tem sido limitado. Isso chama a atenção se levarmos em conta a importância que esse processo tem em outras áreas, como na educação ou no trabalho em outras profissões. No entanto, o que nos dizem os poucos estudos, mas em crescimento, sobre o assunto é que a inteligência emocional é muito importante para a execução esportiva.

Benefícios da inteligência emocional no esporte

A inteligência emocional no esporte pode causar menos baixas esportivas, aumento de desempenho esportivo e menos desistências. Por outro lado, a inteligência emocional é uma construção muito relacionada com a personalidade que atua como um fator determinante quando o atleta está em situações de pressão.

Diante destas situações de pressão, o atleta tem que tomar decisões em frações de segundo, gerando grandes picos de estresse. Portanto, é necessário que qualquer atleta, especialmente os de elite, estejam treinados neste nível. Além disso, os benefícios da inteligência emocional nos esportes podem ser resumidos a seguir:

  • A nível emocional. Melhora a orientação para alcançar os objetivos, a competitividade, a identificação de valores do esporte e pessoais, a autoestima, o trabalho em equipe, a liderança, a empatia, o controle das reações e emoções negativas, entre outros.
  • Nível físico. Ajuda a saber se organizar, a não ficar obsessivo por esportes, a ter momentos de descanso, a administrar melhor o tempo e a criar hábitos adequados de alimentação.
  • A nível social. Melhora o relacionamento com a equipe, treinadores, preparadores, fisioterapeutas, etc.
  • A nível racional. Ajuda a aprender como funciona o jogo, aspectos técnicos e táticos.

Homem correndo na praia

Como vemos, os benefícios da inteligência emocional no esporte são muitos, embora o corpo de pesquisa que os respalde ainda não seja muito denso. No entanto, este número está aumentando e, como se diz no esporte, um mundo onde um segundo ou alguns centímetros podem separar o vencedor do perdedor, os pequenos grandes fatores, tais como a inteligência emocional, são de grande importância.

Recomendados para você