Ir contra a corrente - A mente e maravilhosa

Ir contra a corrente

março 27, 2015 em Psicologia 18 Compartilhados

Nascemos sendo a versão mais autêntica de nós mesmos, e simplesmente somos, expressando com total espontaneidade o que queremos e o que não queremos, sem julgar-nos ou comparar-nos com ninguém.

Mas, aos poucos, a sociedade vai nos transmitindo o que espera de nós, ditando-nos quais são os caminhos que devemos seguir, e aqueles que seguem os caminhos considerados de sucesso recebem admiração e aprovação, tornando-se modelos, e às vezes até mesmo ídolos, a quem se quer imitar… mas até que ponto esses modelos nos pertencem, ou são modelos emprestados, alheios à nossa única e particular missão e vocação?

Os diferentes chamados

A palavra vocação significa “chamado”, que vem do latim vocare, que significa chamar. Nossa vocação, então, é um chamado, aquela voz interior que nos indica qual é o nosso verdadeiro caminho, não só profissionalmente, mas em todas as áreas da vida, que viria a ser nossa missão.

Escolher um caminho contra a corrente

O problema surge quando esses falsos chamados, que são alheios a nós, nos impedem de ouvir a voz da nossa vocação. Talvez porque nos aterrorizem dizendo-nos que, se não conseguirmos alcançar determinadas metas, vamos ser uns fracassados, ou nos desanimam nos dizendo para não almejarmos grandes coisas, porque não somos capazes… ou talvez nos seduzam e deslumbrem com coisas materiais, fazendo com que confundamos os meios com os fins.

Embora seja mais fácil e mais seguro seguir esses caminhos convencionais e fazer o que a maioria das pessoas faz, isto nos custa muito caro: nada mais e nada menos do que a nossa realização pessoal e felicidade, porque não desenvolver o nosso potencial e não fazer o que viemos fazer traz uma frustração inevitável. E por mais que tentemos distraí-la com qualquer coisa, desde internet ou televisão, até álcool ou drogas, inevitavelmente vamos sempre sentir que nos está faltando algo.

Então, o que faz com que algumas pessoas se atrevam a desafiar o que parece impossível de conseguir e não se deixem desanimar pelas críticas? É a certeza que surge quando claramente escutam a sua vocação e sabem que isso é o que elas têm de fazer e ponto.

Essas pessoas desenvolvem a sua vida interior, passando tempo sozinhas consigo mesmas e investindo tempo e esforço em seu crescimento pessoal e cultivando o seu espírito. Isto as faz saírem do rebanho e não se deixarem influenciar pela maioria, mesmo que isso signifique ir contra a corrente. Essas pessoas sabem que o chamado da vocação se distingue de todos os outros, porque é apaixonante, irresistível e lhes produz uma satisfação que vai além da recompensa material ou da aprovação que possam receber.

Os obstáculos

Uma vez que tenhamos dado o grande passo para reconhecer qual é a nossa única e verdadeira vocação, vencemos uma batalha chave, mas temos que estar preparados em relação aos obstáculos que surgirão ao longo do caminho, como críticas ou pessoas bem-intencionadas que tentam nos dissuadir porque nossa ideia lhes parece arriscada e condenada ao fracasso. Inclusive, podemos fracassar na tentativa uma, duas ou muitas vezes, mas se estamos plenamente convencidos de que este é o caminho que a nossa vocação nos indica, a única opção válida é persistir.

E ainda que sejam incômodos, os obstáculos não estão aí para impedir que desenvolvamos a nossa vocação, mas sim, para nos ajudar a descobrir recursos internos que ignorávamos que tínhamos, fortalecendo-nos e contribuindo para o nosso crescimento pessoal. Além disso, quando sabemos que estamos no caminho certo, nós nos abrimos para o mundo com segurança e assim podemos obter a ajuda de que precisamos para seguir adiante.

Há muitos caminhos, mas há um caminho que é exclusivo para cada um de nós, e não há nada neste mundo que se compare à satisfação inesgotável que se sente ao nos sintonizarmos e seguirmos o chamado de nossa vocação.

 Imagem cedida por Hartwig HKD

Recomendados para você