John Bowlby: biografia do fundador da teoria do apego

Os trágicos acontecimentos de sua infância, somados aos seus diversos estudos, foram os aspectos que moldaram um dos melhores psicólogos do século XX.
John Bowlby: biografia do fundador da teoria do apego

Última atualização: 13 julho, 2022

O psicólogo e psicanalista John Bowlby (26 de fevereiro de 1907 – 2 de setembro de 1990) acreditava que os apegos da primeira infância desempenhavam um papel crítico no desenvolvimento posterior e no funcionamento mental de uma criança.

Seu trabalho contribuiu para o desenvolvimento da teoria do apego, considerando que as crianças nascem com a necessidade de buscar e permanecer próximas às figuras parentais ou responsáveis por seus cuidados para sua própria sobrevivência.

Quer saber como tudo começou? Continue lendo

Biografia de John Bowlby

Filho de Sir Anthony Alfred Bowlby, cirurgião da casa real, e Mary Bridget Mostyn, ele foi o quarto de seis irmãos pertencentes à alta sociedade burguesa do século XX. Naquela época, as classes mais altas deixavam os pequenos aos cuidados de babás. Assim, Bowlby foi cuidado por Minnie, sua cuidadora, por um longo tempo; o que o levou a ter pouco contato com sua mãe.

Porém, aos quatro anos ela deixaria o serviço doméstico da família, sua partida lhe causou grande sofrimento e uma sensação de perda que se somaria ao surgimento de uma nova babá de caráter mais frio.

Com a Primeira Guerra Mundial, seu pai se ausentou e, anos depois, ingressou em um internato. Esse conjunto de eventos geraria tal grau de dor que o levaram a trabalhar aspectos como vínculo, ansiedade de separação e medo da perda em crianças.

menino triste
A teoria do apego de John Bowlby explica o vínculo emocional que é criado entre o bebê e seu cuidador principal.

Estudos e preparação

Após vários anos de internato, ele estudou no Dartnorth Naval College. Depois disso, ele tentaria estudar medicina na Universidade de Cambridge, mas durante esses estudos foi atraído pela saúde mental e os abandonou, para iniciar uma carreira em Psicologia no Trinity College da mesma universidade.

Seu principal interesse era a infância e o período de desenvolvimento e, após a graduação, começaria a fazer vários estudos sobre crianças delinquentes e desajustadas, observando que muitas vezes vinham de famílias desfeitas ou sofreram abusos.

Durante o ano de 1937, seria aceito como psicanalista na Sociedade Psicanalítica Britânica. Depois disso, formado por Melanie Klein em psicanálise infantil, passaria a analisar as crianças, focando nos fatores ambientais, na criação e na relação real entre a figura mãe-filho.

Nesse mesmo ano, aceitou a proposta de presidir o Trinity College. No entanto, a Segunda Guerra Mundial o levaria a ser recrutado e trabalhar como tenente-coronel do corpo médico.

Os primórdios da teoria do apego

Como afirma o seguinte artigo publicado pela Review of General Psychology, John Bowlby está no ranking dos 100 psicólogos mais citados do século XX pelos profissionais. A razão para isso começou com seu trabalho inicial com crianças; a partir deste ponto, ele desenvolveu um grande interesse pelo tema do desenvolvimento infantil.

Especificamente, ele estava especialmente interessado em como a separação dos cuidadores afetava os pequenos; e, depois de muitos estudos, foi quando começou a desenvolver suas ideias sobre a importância do apego no desenvolvimento infantil.

Em 1949, Bowlby foi contratado pela OMS para escrever um relatório sobre a saúde mental de crianças sem-teto na Europa e, após a publicação do influente relatório, Bowlby continuou a desenvolver sua teoria do apego.

Essa teoria sugeria que os primeiros vínculos formados pelas crianças com seus cuidadores continuam ao longo da vida. Na verdade, esse apego serviria para melhorar as chances de sobrevivência da criança.

A pesquisa de John Bowlby sobre apego e desenvolvimento infantil deixou uma marca significativa nos campos da psicologia, educação, cuidados infantis e paternidade. Portanto, estudiosos (como María Eugenia Moneta ) expandiram suas pesquisas para desenvolver técnicas de tratamento clínico e estratégias de prevenção.

[incorporar]https://www.youtube.com/watch?v=Exf_rR1NnNs[/incorporar]

Sua contribuição para a psicologia

Esperamos que a biografia de John Bowlby tenha ajudado você a conhecê-lo com mais detalhes porque, sem dúvida, sua figura significou uma mudança transgressora para valorizar a importância de ficar com a família durante a infância. Deixando um legado que, até hoje, ainda está muito presente ao direcionar qualquer tipo de pesquisa no campo da psicologia infantil.

Pode interessar a você...
O estilo de apego na infância influencia os relacionamentos amorosos?
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
O estilo de apego na infância influencia os relacionamentos amorosos?

O estilo de apego na infância é uma variável que desempenha um papel crucial no estabelecimento de relações amorosas saudáveis ​​na idade adulta.



  • Bowlby J. Los cuidados maternos y la salud mental. Publicación Científica;14 [Internet]. 1954 [citado 30 de noviembre de 2021]; Disponible en: https://iris.paho.org/handle/10665.2/1160
  • Cherry K. How John Bowlby influenced child psychology [Internet]. Verywellmind.com. [citado 28 de noviembre de 2021]. Disponible en: https://www.verywellmind.com/john-bowlby-biography-1907-1990-2795514
  • Ehrenreich, J. T., Santucci, L. C., & Weiner, C. L. (2008). Trastorno de ansiedad por separación en jóvenes: fenomenología, evaluación y tratamiento. Psicol. conduct, 389-412.
  • Haggbloom SJ, Warnick R, Warnick JE, Jones VK, Yarbrough GL, Russell TM, et al. The 100 most eminent psychologists of the 20th century. Rev Gen Psychol. 2002;6(2):139-52.
  • Mimenza OC. John Bowlby: biografía (y las bases de su Teoría del Apego) [Internet]. Psicologiaymente.com. 2017 [citado 30 de noviembre de 2021]. Disponible en: https://psicologiaymente.com/biografias/john-bowlby
  • Moneta C ME. Apego y pérdida: redescubriendo a John Bowlby. Rev Chil Pediatr. 2014;85(3):265-8.