JOMO: o prazer de dizer não

· novembro 20, 2018

Talvez você tenha ouvido falar de FOMO, ou fear of missing out. Essa palavra em inglês se refere ao medo que algumas pessoas sentem quando acreditam que estão perdendo algo importante. Mas você sabia que existe também o termo oposto? Estamos falando de JOMO, ou joy of missing out, uma expressão um pouco desconhecida, mas que também se refere a um fenômeno que está ganhando popularidade.

Ao contrário do medo de perder, as pessoas que experimentam o JOMO ficam felizes em perder algo que supostamente deveriam experimentar. No artigo de hoje, veremos exatamente em que consiste esse sentimento e quais estímulos ou circunstâncias podem gerá-lo.

O que é exatamente o JOMO?

A expressão inglesa que responde ao acrônimo JOMO pode ser traduzida como “alegria de perder algo”. Por mais estranho que pareça, cada vez mais pessoas alegam estar felizes por não experimentarem algo que teoricamente deveriam. Mas, por que esse conceito surgiu na nossa cultura? O que está levando tantas pessoas a se identificarem com ele?

A ideia JOMO é ser uma espécie de antídoto para o FOMO (medo de perder). As pessoas que o criaram levaram em conta que estar sempre pensando no que estavam perdendo as prejudicava muito. Por essa razão, elas decidiram inventar uma nova palavra que lhes daria permissão em um certo sentido para não ter que ficar de olho nos “trens que passavam pela sua estação”.

Homem aproveitando suas férias

Em um mundo tão interligado como o nosso, é sempre possível encontrar algo melhor do que o que já estamos fazendo. Com alguns cliques, podemos acessar nossas redes sociais e encontrar pessoas que parecem estar muito melhores do que nós. Assim, muitas pessoas sentem que passam mais tempo querendo fazer algo interessante do que aproveitando as experiências nas quais mergulham.

Como reação a esse sentimento surgiu o JOMO. Os seus defensores acreditam que pode ser verdade que sempre há algo melhor para fazer; no entanto, pelo contrário, todas as situações que vivemos têm algo a nos oferecer. Essa ideia está muito influenciada por disciplinas como mindfulness ou a terapia de aceitação e compromisso.

Assim, aqueles que conseguem desenvolver a alegria de perder algo têm muito mais facilidade para viver plenamente o momento presente. Quando você consegue viver assim, algo tão simples como ficar com os amigos, assistir a uma série na TV ou simplesmente descansar pode ser tão divertido quanto a melhor das aventuras.

Como desenvolver a mentalidade JOMO?

Como você viu, aprender a dizer não com alegria pode melhorar o seu humor. Abaixo, você encontrará várias chaves para aplicar essa mentalidade à sua própria vida.

1- Aceitar a realidade

Para começar a aproveitar oportunidades/experiências perdidas é preciso perceber que não podemos estar em dois lugares ao mesmo tempo. Há muitos lugares para ver, comidas para provar e atividades para fazer. Portanto, se tentarmos alcançar todos eles, a única coisa que conseguiremos é frustração e mal-estar.

O primeiro passo para o desenvolvimento do JOMO é, portanto, aceitar a realidade como ela é. Essa é a ideia central para um grande número de filosofias, correntes psicológicas e até mesmo religiões; por exemplo, o pensamento estoico a tem em sua base. A aceitação do que nos acontece permaneceu importante ao longo do tempo, precisamente porque é uma maneira muito útil de pensar.

2- Descobrir o que é importante para você

Depois de perceber que você não pode experimentar tudo de uma vez, o próximo passo será decidir o que você realmente quer experimentar. Para isso, será muito útil ter uma lista de objetivos e interesses que você possa classificar. Quais experiências são importantes para você? Se tivesse que eliminar algo do que você costuma fazer, qual é a primeira coisa que tiraria da lista?

Uma nota: este é um trabalho pessoal. Não se trata do que os outros querem. Se você realmente quer desenvolver a mentalidade JOMO, terá que fazer um exercício de honestidade olhando para dentro de si mesmo.

A importância de organizar os compromissos

3- Aprender a dizer não

O último passo para “estar feliz por perder experiências” pode parecer evidente. Isso não significa que não o esquecemos ou o omitimos muitas vezes. Estamos falando sobre a segurança de dizer não quando você não quer ou não pode aceitar um determinado compromisso.

Muitas vezes, por medo do que os outros vão pensar, por constrangimento ou falta de assertividade, nos vemos envolvidos em situações das quais não gostamos. Evidentemente, eliminar esse modo de agir será fundamental para que você possa começar a se concentrar no que realmente importa para você.

Uma vez que você saiba o que é importante na sua vida, será muito mais fácil dizer “não”. No entanto, muitas vezes, terá que trabalhar diretamente a sua capacidade de definir limites. Felizmente, existem muitos recursos que você poderá acessar para melhorar a sua assertividade.

Desenvolver a mentalidade JOMO poderá ser uma das melhores decisões que você empreenderá para o seu próprio bem-estar. Com as chaves que vimos neste artigo será mais fácil, mas lembre-se de que existem centenas de formas de aprender a aproveitar o que a vida lhe oferece. Você apenas tem que encontrar aquelas que funcionam melhor para você.