Jovens, pais e internet: Proteção dos filhos não é controle

· novembro 18, 2015

É fato que a internet mudou o mundo. Esta ferramenta oferece o acesso imediato a milhões de temas, facilita pesquisas, apoia a vida do estudante e traz grandes benefícios para o nosso dia a dia. No entanto, crianças e adolescentes precisam de monitoramento e acompanhamento para usufruir do mundo virtual com segurança, longe de pessoas mal-intencionadas, do vício dos jogos online e da exposição ao cyberbullying.

Para isso, é importante que os pais estejam sempre atualizados, a fim de ter a habilidade para proteger os filhos dos riscos que a internet oferece. Nesse sentido, é comum que os pais se questionem do limite à privacidade dos jovens na internet.

O limite está na confiança e isso precisa ficar claro para o filho. Se ele entende que a mãe quer protegê-lo e não controlá-lo, ele mesmo mostra o que está vendo na internet e começa a pedir opinião sobre o que está acessando.

Proteção dos filhos na Internet

Ficar de olho na vida online dos filhos também ajuda no relacionamento com eles, pois permite conhecer hobbies, interesses e preferências, nem sempre evidentes ou conhecidos.

Durante a navegação são deixados “rastros” na internet que permitem aos pais saber mais dos hábitos e opiniões dos filhos. Além disso, o cuidado e atenção dos pais vale tanto para saber se eles não sofrem ameaças na rede ou se não são causadores de divulgações incorretas.

Se, por acaso, a mãe perceber que o filho está vendo ou interagindo de forma inadequada na internet ou redes sociais, é importante um bate-papo tranquilo, dando plausibilidade para o adolescente. Isso, certamente, vai aproximá-los.

Estes questionamentos aumentaram a proteção dos filhos na Internet:

– Como os pais podem estabelecer regras de navegação para os filhos na Internet?
Os pais devem partir sempre para a negociação. O número de horas, sites permitidos, conteúdo que será visto, tudo isso pode ser bem resolvido entre pais e filhos quando ambos entendem as necessidades envolvidas. Conhecer bem o filho torna este bate-papo fácil e divertido.

cuidados com os filhos no meio digital

– É correto que as crianças tenham perfis em redes sociais?
As redes sociais têm como função aumentar o nível de relacionamento, integração entre as pessoas e é certo que vemos isso acontecendo diariamente. É extraordinário encontrar amigos de infância ou amigos que não saberíamos como encontrar, se não existissem as redes sociais. Os pais podem apoiar seus filhos a utilizar as redes sociais com essa intenção de melhorar seus relacionamentos.

– Qual tempo de uso recomendado?
Isso depende de muitas coisas. Uma delas é a necessidade e outra é o conteúdo. O adolescente precisa de mais tempo na internet, por exemplo, fazendo pesquisas para a escola ou mesmo para estágios. Uma criança não possui esta demanda e o cuidado, na verdade, precisa ser com o conteúdo que está sendo visto porque os valores até os sete anos, por exemplo, são absorvidos sem filtro.

– O uso da Internet acrescenta ou atrapalha na vida acadêmica?
O alcance da informação é muito maior e o número de cursos online em vários setores, para nichos específicos, cresce a cada dia. E como a exposição é grande, cada vez mais os idealizadores dos conteúdos buscam elevar a qualidade do que apresentam.

– É correto permitir que a criança jogue games com conteúdo violento online?
Não é recomendado expor crianças tão novas a estes tipos de jogos, pois o risco de desenvolver a agressividade é grande.