As lágrimas não choradas doem – A mente é maravilhosa

As lágrimas não choradas doem

1, abril 2015 em Emoções 3169 Compartilhados
lágrimas

Sabemos que rir é bom, não apenas é agradável ver uma pessoa com o rosto iluminado por um sorriso, mas também é benéfico para o nosso organismo: o cérebro segrega endorfinas e aumenta o nível de adrenalina, que ajuda a estimular a imaginação, de dopamina, que favorece a atividade mental e de serotonina, que possui efeitos calmantes e diminui a ansiedade… É um ato fantástico que é socialmente aceito e muito valorizado, mas e chorar? E as lágrimas?

Somente as crianças pequenas as expressam abertamente, sem disfarçar, diferentemente dos adultos, que buscam o refúgio da solidão ou, o que é ainda pior, simplesmente as evitam. Preferimos conter as lagrimas e seguir em frente apertando os punhos. Mas, será que isso é bom para a saúde?

Chorar para ser feliz?

Vários estudos mostram que sim, que algo tão inerente ao ser humano, como a capacidade de chorar, é necessária para ser feliz. O doutor William Frey, do Saint Paul Ramsay Medical Center, em Minnesota, assegura que as lágrimas são tão necessárias quanto os sorrisos. Aliviam tensões, suavizam a tristeza e permitem que uma pessoa se conheça melhor e se relacione de uma forma mais aberta com os outros.

E não só isso, existem muitas pesquisas que afirmam que as pessoas deprimidas são as que menos choram; o psiquiatra Cristian Prado, mestre em Neurociências pela Universidade do Chile, explica estes dados apontando que “uma parcela dos deprimidos não se expressa”, ou seja, uma parte da estrutura do cérebro se desliga funcionalmente e se transforma numa indiferença à dor e numa busca desesperada por se manter isolado.

As lágrimas não são uma fraqueza

De forma alguma. As lágrimas são parte de nós mesmos, formam parte do nosso ser e são um mecanismo de escape e alívio; uma forma de equilibrar as emoções, de reorganizar os nossos sentimentos. Elas cumprem uma função vital no desenvolvimento humano e não devemos nos esforçar para escondê-las ou engoli-las.

É curioso presenciar esses momentos em que, sem querer, acabamos chorando na frente de outras pessoas, e nessa hora nos vemos surpreendidos por essa reação comum daqueles que tentam nos consolar dizendo Não chore, não é nada, chorar não vai solucionar os seus problemas, procure se acalmar. E é verdade que as lágrimas emocionadas não vão resolver aquilo que nos machuca ou nos ofusca, mas é um começo.

Chorar desafoga e oferece tranquilidade, o corpo se relaxa e, em muitas ocasiões até pegamos no sono… É uma forma de liberar esse acúmulo de emoções negativas que nos esgotam em alguns momentos da nossa vida, ajuda o bem estar posterior e se transforma num aprendizado sobre o gerenciamento das nossas emoções. Posteriormente, mais calmos e com as forças recuperadas, certamente começaremos a ver as coisas de outra forma, possivelmente começaremos a nos sentir mais seguros para abrir essas janelas que enchem de escuridão a nossa existência. Portanto, não temos que guardar as nossas lágrimas em pequenos lagos invisíveis, estanques que terminarão nos envenenando de tristeza mal resolvida.

Basta procurar um momento, um canto onde possamos ter privacidade e simplesmente chorar…