A linguagem corporal da ansiedade

janeiro 14, 2019
O aspecto mais evidente na linguagem corporal da ansiedade é a atitude rígida, tanto na face quanto no corpo todo. A maneira de olhar, os gestos das mãos e os movimentos compulsivos e repetitivos também são muito reveladores.

Todos os sentimentos e as emoções humanas são refletidos, de uma maneira ou de outra, nos gestos e na postura de cada pessoa. É por isso que se fala de uma linguagem corporal da ansiedade, bem como uma linguagem corporal da depressão, da alegria, do medo, etc. Todos nós somos capazes de ler o significado dessa linguagem.

Essa comunicação através do corpo dá um certo tom às nossas interações com os outros. Concede um clima específico, no qual prevalecem a espontaneidade, a tensão, o desinteresse ou um determinado tipo de emoção. O que se expressa através das palavras é apenas parte da comunicação. O resto, e mais profundo, fica por conta da linguagem do corpo.

Na linguagem corporal da ansiedade, existem vários elementos que revelam o estado de nervosismo ou inquietação. Estão relacionados com a expressão do rosto, o movimento das extremidades e a postura geral do corpo. Vamos ver quais são alguns desses elementos.

“Para cada pensamento apoiado por uma emoção, há uma mudança muscular. Os padrões musculares primários foram a herança biológica do ser humano. Todo corpo humano mantém um registro de seu pensamento emocional”.
-Mabel Ellsworth Todd-

Pessoa ansiosa

As mãos na linguagem corporal da ansiedade

As mãos são um dos elementos mais importantes na linguagem corporal da ansiedade. Um dos gestos que delatam a inquietação interior é escondê-las. Desde os tempos antigos, deixar as mãos à mostra é um gesto de paz, harmonia e amizade. Ou seja, dá a entender que nada está oculto, que não se carrega uma arma ou algo que possa fazer mal aos outros.

Inconscientemente, as pessoas deixam suas mãos à vista quando estão tranquilas. Por outro lado, quando sentimos medo, desconfiamos da situação ou queremos expressar nossas reservas, fazemos o oposto. Nós escondemos as mãos, colocando-as nos bolsos, atrás do corpo, deixando-as debaixo da mesa, etc.

O olhar, outro elemento revelador

O olhar é outro desses elementos que sempre revelam o estado de espírito. Quando uma pessoa está ansiosa, todo o seu rosto e corpo denotam uma certa rigidez. É normal que esteja constantemente com a testa franzida.

Por esse motivo, é muito comum que perguntem para a pessoa se está de mau humor ou preocupada com alguma coisa. Também é comum que essa manifestação possa fazer com que os outros a vejam como uma pessoa séria.

Há um gesto particular do olhar que demonstra esse estado de angústia. Tem a ver com combinar um olhar totalmente fixo com momentos em que se reduz a área exposta do olho e se abaixa a cabeça. Às vezes, um predomina mais do que o outro, mas em geral são gestos que estão presentes em pessoas com um estado de ansiedade elevado.

Devemos lembrar que, na ansiedade, há um sentimento de preocupação constante, mas ao mesmo tempo indefinido. Isso também inclui certa irritação e intolerância generalizada com o ambiente ao redor. É por isso que o olhar fixo, que denota certa agressividade, é combinado com o olhar abatido, que é um sinal de introspecção.

Linguagem corporal da ansiedade

Outros gestos que denotam ansiedade

O gesto de morder é um dos mais típicos nos estados de ansiedade. Fica mais evidente quando, por exemplo, a pessoa começa a roer as unhas. No entanto, nem todo mundo tem esse hábito.

Também é possível que exista o hábito de morder outros objetos, como lápis, borrachas ou qualquer outro objeto que estiver nas mãos da pessoa.

Quando alguém está nervoso, também é muito comum que morda os lábios. É um gesto de contenção que denota preocupação. O mesmo se aplica a ações como mascar chicletes.

A linguagem corporal da ansiedade

Outro elemento que revela ansiedade são os movimentos contínuos e compulsivos. Às vezes é a famosa perna que balança e não para nem por um instante. Em outras ocasiões é um objeto com o qual a pessoa fica brincando nas mãos sem parar. Também pode ser um tique, batendo no chão com os pés, tamborilando os dedos ou algo parecido. Tudo isso denota inquietação e nervosismo.

Algo particular acontece com a ansiedade. O fato é que ela é facilmente contagiosa, especialmente se o(s) interlocutor(es) também estiver(em) sob tensão. É por isso que a linguagem corporal da ansiedade é mais do que casual. É um sinal revelador da ansiedade de alguém. Por um lado, isso mostra que há preocupações a serem resolvidas. Por outro, pode estar prejudicando a comunicação com os outros.

  • Baró, T. (2012). La gran guía del lenguaje no verbal: Cómo aplicarlo en nuestras relaciones para lograr el éxito y la felicidad. Grupo Planeta (GBS).