Linguagem corporal dos lábios: 4 gestos que nos entregam

· dezembro 2, 2018

A comunicação não verbal e as expressões faciais transmitem muitas informações sobre os sentimentos ou o estado pessoal dos que nos cercam. Na maioria das vezes, de forma inconsciente, elas abrem uma janela de oportunidade para “ler as pessoas”. Portanto, um olhar, um gesto, uma careta ou a linguagem corporal dos lábios podem ser mais esclarecedores do que suas próprias palavras.

Em particular, esta análise aplicada à área da boca é tremendamente informativa. A maneira de sorrir ou de posicionar e abrir os lábios pode dar pistas sobre os sentimentos que uma certa pessoa ou uma determinada circunstância lhe causou. Aprofundemos a seguir a linguagem corporal dos lábios, especificamente os 4 gestos com os quais podemos ler os outros dando especial atenção à sua boca.

O que a linguagem corporal dos lábios tem a nos dizer?

O sorriso

É a melhor carta de apresentação. Um sorriso pode ser um sinal de alegria, de esperança, de envolvimento e de aceitação. Mas existem muitos tipos de sorrisos, e o estudo da linguagem corporal dos lábios e dos músculos faciais tem sido responsável por desvendá-los.

Mulher sorrindo

Por exemplo, estudos nos dizem que a máxima expressão de felicidade é aquela em a dentição superior é mostrada de maneira quase completa. Não pode ser controlada e é realizada inconscientemente. Libera endorfinas e ativa nosso circuito cerebral do prazer. Surge sem paralelos e é frequentemente acompanhada de uma risada.

Mas, tenha cuidado! Às vezes é difícil diferenciar entre este sorriso, natural e verdadeiro, e um sorriso falso e forçado. Os gestos que realizamos em ambos são diferentes, uma vez que, em cada caso, diferentes tipos de músculos são contraídos. No entanto, à primeira vista é muito difícil diferenciá-los, portanto, nessas situações de dúvida, é mais esclarecedor observar a região dos olhos.

A mordida no lábio inferior

Dependendo da intensidade com que mordemos o lábio inferior, o significado da nossa linguagem não verbal pode ser distinto. Ou, pelo menos, nos orientar de uma forma ou de outra. Se o fizermos de forma gentil e delicada, indica atração. Se, por outro lado, for uma mordida forte, chegando a ficar marcado pelos dentes, falamos de um estado de nervosismo.

Atração

Quando nos sentimos atraídos por uma pessoa, é praticamente inevitável realizar esse gesto. Mordemos o lábio inferior ou o cobrimos com os dentes quase automaticamente. Além disso, costumamos acompanhá-lo com uma leve inclinação da cabeça em direção a um dos lados ou para baixo, o que mostra que nos sentimos confortáveis ​​e satisfeitos com a companhia do outro.

Este tipo de comunicação não verbal reflete o que sentimos em relação à pessoa à nossa frente e em relação à situação (muitas vezes é difícil saber exatamente a que o gesto se refere). Embora essa linguagem corporal dos lábios seja inconsciente, em geral somos capazes de perceber quais gestos estamos fazendo. Portanto, se formos rápidos, podemos conseguir disfarçá-lo até certo ponto.

Morder o lábio

Nervosismo

Tente observar um colega de trabalho que esteja muito focado fazendo suas tarefas. Pode ser que ele coce a cabeça ou o pescoço ou mova as mãos e as pernas sem parar. Agora concentre-se apenas em seu rosto, nas pequenas mudanças que se manifestam em seu rosto durante o dia.

Uma delas será, possivelmente, morder os lábios. Isso, normalmente, significa que a pessoa está em um estado de tensão, que está apressada, preocupada ou nervosa. É, também, um sinal claro de que seu estado de ativação fisiológica interna está aumentando.

Tomada de decisão

Se movermos os lábios da direita para a esquerda, demonstraremos o gesto característico de tomada de decisão. Neste curso de tempo em que os movemos de um lado da face para o outro, refletimos, pensamos e tratamos de decidir. Nosso cérebro está em funcionamento e a manifestação fisiológica está centrada na boca.

Linguagem corporal dos lábios

Em geral, a primeira careta é a que dura mais tempo. Então, repetimos o gesto mais duas ou três vezes. Então, pronunciamos ou expressamos o raciocínio ou a decisão em que estávamos pensando dentro de nós mesmos. Inúmeras pesquisas consideram que a linguagem corporal representa entre 50% e 70% da quantidade de informação que transmitimos.

Em particular, como podemos ver, os lábios podem se tornar ótimos mapas do que pensamos ou sentimos. No entanto, também é essencial prestar atenção a outros sinais, como, por exemplo, o contexto, os gestos com as mãos ou os olhos. Eles nos proporcionam uma quantidade infinita de informações que não expressamos verbalmente, mas que fazem parte de nós e comunicam nosso estado interior.