9 mecanismos que as pessoas usam para evitar as emoções

Comer, jogar videogame como uma forma de escapar e até projetar o nosso mau humor nos outros são estratégias que usamos com frequência para fugir da realidade.
9 mecanismos que as pessoas usam para evitar as emoções

Última atualização: 18 Setembro, 2021

As pessoas costumam evitar as suas emoções de várias maneiras. Poderíamos dizer que somos verdadeiros malabaristas ao reprimir, ocultar ou deslocar as emoções sentidas. Nossa vida é muito complexa e frequentemente dolorosa. Se há algo que ansiamos é nos desconectarmos do sofrimento por meio de alguma prática gratificante que nos faça esquecer. E aí começa o problema.

Ao nos desligarmos das nossas experiências emocionais, reforçamos as bases silenciosas da ansiedade e da depressão. Não pensar para não sofrer não adianta. Distrair a mente para fugir do que dói, perturba e turva a calma é uma fórmula imprecisa.

Empurrar os sentimentos para baixo, como alguém tentando afundar algo incômodo, implica se afogar gradualmente. É bom lembrar que a saúde mental depende muito da capacidade de gerenciar, aceitar e regular as emoções. Não é uma tarefa fácil, é verdade. Nem todo mundo sabe fazer isso, ninguém nos ensinou e muitos são os fatores que dificultam essa capacidade.

Não hesite em buscar ajuda especializada e evite estas práticas sobre as quais falaremos a seguir.

Recorrer à comida de maneira compulsiva é uma forma de catarse emocional que revela a má gestão das nossas preocupações, medos, ansiedades.

Comer para evitar as emoções

O que as pessoas fazem para evitar as suas emoções?

Trabalhos de pesquisa, como os realizados na Universidade de Columbia, lembram que o gerenciamento emocional correto é a chave para a nossa adaptação. Essa arte psicológica é complexa porque envolve a ativação de processos cognitivos sofisticados. Um exemplo disso é direcionar nossa atenção, escolhendo alguns pensamentos em detrimento de outros, sabendo interpretar estímulos emocionais de valência negativa.

Sabemos que regular o que sentimos não é uma tarefa fácil e, portanto, a opção mais banal é nos desligarmos desses estados psicofisiológicos. De que forma?

Na realidade, as pessoas evitam as suas emoções de maneiras tão sofisticadas e ocultas que podemos nos surpreender. Além disso, podemos até nos sentir identificados com alguns desses mecanismos.

1. Dormir, o consolo sob as cobertas

Sherlock Holmes disse em uma de suas aventuras que a solução para todos os problemas era dormir. É verdade que um bom descanso limpa a mente e nos reinicia física e psicologicamente, mas tome cuidado. Há quem busque o abrigo dos lençóis e o sono para fugir, não pensar e evitar o enfrentamento da realidade.

Lembremos também que dormir mais de 8-9 horas por noite não é saudável e gera alterações metabólicas.

2. Hiperatividade e multitarefa como mecanismo de escape

Há quem consiga dormir 15 horas por dia, enquanto outros, por outro lado, evitam a todo o custo o descanso. Fazer uma grande quantidade de coisas é outro mecanismo para não entrar em contato com as emoções. É não deixar espaço para a mente, não permitir uma fissura por onde surja o eco daqueles sentimentos complicados que precisam ser atendidos.

Um exemplo disso é dedicar 200% ao trabalho, trabalhar cada vez mais horas e ocupar o pouco tempo livre com qualquer outra atividade para chegar em casa cansado o suficiente para ir para a cama instantaneamente.

3. Comida, um mecanismo de escape emocional

Uma das maneiras mais comuns pelas quais as pessoas evitam suas emoções é “comê-las”. Se as coisas dão errado para mim no trabalho ou com meu parceiro, ataco a geladeira e como todos os alimentos que me dão mais satisfação. Acreditemos ou não, desapontamento, ansiedade, preocupação, angústia e até vergonha são canalizados por meio do comer compulsivo.

Uma pesquisa realizada na Universidade Hebraica de Jerusalém concluiu que boa parte dos transtornos alimentares tem essa origem.

4. Culpar os demais para evitar as suas próprias emoções

Existem pessoas que projetam seu desconforto e frustração nos outros, colocando a culpa, o medo, a raiva e, é claro, o mau humor nos ombros dos demais. Este é outro mecanismo recorrente em quem não consegue fazer contato com seu universo interno e, em vez disso, distribui toda a sua carga emocional negativa aonde quer que vá.

5. Videogames, passar o dia todo na frente de uma tela para escapar

Os videogames são um perigo quando existe uma dependência potencial ou quando as pessoas os utilizam como um recurso constante para escapar da realidade. Nesse caso, há pessoas que evitam suas emoções mergulhando naquele mundo paralelo por horas, negligenciando todo o resto.

Esses universos virtuais são catárticos, isolando-os da realidade e desconectando-os completamente do mundo real.

6. Voltar-se para os outros para não pensar em si mesmo

Concentrar-se nos filhos, no parceiro, na família ou em qualquer pessoa que precise de algo de nós. Colocar seus olhos, seu coração e toda a sua força de vontade nos outros é uma forma de distrair a mente, negligenciando completamente suas verdadeiras necessidades. Este é, sem dúvida, outro recurso muito comum quando as pessoas evitam as suas emoções.

7. Procrastinar, o tédio improdutivo

Já apontamos isso muitas vezes: por trás da procrastinação não há preguiça ou irresponsabilidade. O que se observa em muitos casos é insegurança, baixa autoestima, medo e uma série de emoções que não foram aceitas e reguladas.

Vamos ter isso em mente: quando percebermos que caímos na prisão da procrastinação, devemos entrar em contato com aquelas realidades internas que precisam da nossa atenção.

Mulher no celular no sofá

8. Escapismo audiovisual e consumo de séries

As maratonas de série servem para algo mais do que apenas nos entreter depois de um longo dia. Em muitos casos, são aquele refúgio onde a mente pode descansar. A cada capítulo, desligamos nossas preocupações para acessar histórias alternativas que nos levam a outras realidades longe dos nossos problemas.

9. Evitar as emoções levando o corpo ao limite

Sair para correr até ficar sem ar. Passar horas na academia levando sua força ao limite. Praticar exercícios em casa até sentir que cada fibra do corpo dói… Pois é, focar no corpo e se exercitar de forma quase obsessiva é outra estratégia para se desvencilhar das próprias emoções.

É verdade que existem outras vias de escape para fugir da angústia, do medo, da ansiedade e da frustração. O álcool e outros tipos de substâncias seriam exemplos. No entanto, com essa lista traçamos um panorama claro das estratégias que costumamos usar para escapar do que sentimos.

Vamos evitar fugir do que dói; em troca, vamos tentar resolver o que nos machuca.

Pode interessar a você...
Reprimir as emoções pode te deixar doente?
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
Reprimir as emoções pode te deixar doente?

O problema de reprimir as emoções é que vai se criando um ressentimento ou mal-estar que se acumula e, cedo ou tarde, se refletirá na nossa saúde.



  • De France, K., & Evans, G. W. (2021). Expanding context in the role of emotion regulation in mental health: How socioeconomic status (SES) and developmental stage matter. Emotion, 21(4), 772–782. https://doi.org/10.1037/emo0000743
  • Tian, Y., Liu, P., & Huang, X. (2018). The Role of Emotion Regulation in Reducing Emotional Distortions of Duration Perception. Frontiers in psychology9, 347. https://doi.org/10.3389/fpsyg.2018.00347
  • Koole, Sander. (2009). The psychology of emotion regulation: An integrative review. Cognition & Emotion – COGNITION EMOTION. 23. 4-41. 10.1080/02699930802619031.