A melhor maneira de lutar contra a estagnação

janeiro 8, 2019

Sentir-se estagnado é uma sensação muito desagradável. Por algum motivo que desconhecemos, há situações em que não conseguimos lutar contra a estagnação que tanto nos limita.

Vamos imaginar que estamos em uma encruzilhada e temos três caminhos diante de nós. Apesar de termos mais de uma opção e de sabermos, mais ou menos, qual é a nossa favorita, ficamos parados. Passam-se dias, semanas, meses, e até mesmo anos.

Isso é algo que muitas pessoas – para não dizer todas – já sentiram alguma vez em suas vidas. Algumas, inclusive, mais de uma vez.

Essa sensação costuma aparecer quando não temos metas nem propósitos. Os dias são todos iguais, e isso pode nos fazer sentir uma forte angústia. Nós nos bloqueamos e continuamos no mesmo lugar porque não sabemos como sair dessa situação.

A sensação de estar nadando na lama

A psicóloga Judith Camargo, em seu artigo Carl Rogers, reflexiones teórico-prácticas, reúne alguns depoimentos de seus pacientes que se sentem estagnados. Um deles, Jorge, disse o seguinte “Antes eu tinha certezas […] hoje só movimento meu corpo de forma mecânica. Meu mundo se tornou do tamanho do meu entorno”.

Outra paciente que não quis revelar seu nome afirmou “Eu dei tudo ao meu marido, inclusive os filhos. Não queria, mas aceitei. E agora me sinto sozinha, minha vida não tem sentido, já estou velha, minhas oportunidades acabaram…”.

Mulher preocupada com a estagnação

Parece que todos eles estavam nadando em uma piscina cheia de lama na qual, por mais que pensem em diferentes opções, não conseguem ver uma saída. Isso é o que acontece quando nos sentimos estagnados.

Não somos capazes de enxergar mais além, é como se tivéssemos perdido toda a esperança. Às vezes, isso tem a ver com certas crenças que carregamos nas costas ou com determinados medos que estão nos impedindo de dar o primeiro passo.

Quando o trabalho não nos satisfaz e não fazemos o que queremos (uma viagem, aprender um idioma, mudar de casa, ser independente), nossos medos e inseguranças podem nos levar a assumir que “é isso que temos”. No entanto, o tédio e o cansaço dos dias que passam, sem que possamos aproveitar como gostaríamos, podem nos fazer pagar um preço alto.

Algumas formas de lutar contra a estagnação

Se acreditamos que estamos estagnados e ficamos assim por muito tempo – costuma-se tomar como referência 6 meses – é importante buscar ajuda profissional. No entanto, existem algumas formas de encarar essa situação quando ela aparece em momentos pontuais.

  • Fazer uma pausa. Pode ser que não tenhamos parado um pouco, nem nos permitido reservar um tempo para nós mesmos e para pensar, realmente, no que queremos. Se não fizermos isso, será muito difícil tomar uma decisão, permanecendo sempre na dúvida enquanto temos a sensação de que nos consumimos.
  • Vamos nos lembrar do empurrão inicial. Houve uma razão para que tomássemos determinadas decisões. Mas a rotina, a falta de motivação e muitos dos hábitos que adquirimos nos fizeram esquecer disso. Devemos nos lembrar do porquê da nossa escolha. Se não estamos mais satisfeitos com o que fazemos, se mudamos, talvez seja o momento de escolher outro caminho.
  • Buscar inspiração. Podemos entrar em contato com pessoas que nos inspirem, ler livros, ver documentários ou nos envolver em novas atividades. É preciso procurar a inspiração, pois é uma das chaves para lutar contra a estagnação.

 “Quando a inspiração não vem para mim, faço meio caminho para encontrá-la”.
-Sigmund Freud-

Como lutar contra a estagnação

Um exercício de visualização

Existe um exercício de visualização que alguns profissionais aplicam em suas consultas e que é essencial para lutar contra a estagnação. Ele nos permite ser conscientes da direção para a qual queremos ir, identificando, assim, os passos que precisamos dar. A maneira de fazer esse exercício é a seguinte.

Vamos começar relaxando. Respire fundo e feche os olhos. Depois disso, devemos nos imaginar diante de uma porta que vamos abrir. Atrás dela, nós nos encontraremos com nosso “eu” futuro e devemos estabelecer qual será a sua idade. Talvez 60, 70 ou 90 anos. Para cada pessoa será diferente.

Se nos visualizarmos com 70 anos e no momento atual temos 25, começaremos a fazer um percurso por todas as idades pelas quais passamos. Nós nos visualizaremos primeiro com 30 anos e continuaremos de dez em dez até chegar aos 70.

Em cada uma dessas fases da nossa vida nos perguntaremos: o que estamos fazendo? Onde vivemos? Com o que trabalhamos? Temos filhos? Viajamos? Também vamos estabelecer se temos um(a) parceiro(a), quais são nossas amizades e como é a relação com nossa família. O exercício vai acabar visualizando como abraçamos nosso “eu” de 70 anos.

Este exercício não cria nenhum precedente, mas nos dá uma ideia do que queremos fazer. Por exemplo, se nos visualizamos viajando para diferentes lugares ou trabalhando em uma empresa de um setor no qual não temos formação, isso nos permitirá tomar algumas decisões agora.

Talvez nos inscrever em cursos de formação relacionados ao que gostaríamos de nos dedicar ou economizar para a nossa próxima viagem.

Mulher que conseguiu vencer a estagnação

Passar à ação para lutar contra a estagnação

Apesar de tudo que podemos fazer para combater a estagnação, o importante é agir. Não podemos ficar em nossa mente, em um mar de dúvidas sem pisar na costa. Temos que começar a dar passos, de preferência pequenos, para irmos nos aproximando de todos os nossos objetivos.

A estagnação nos leva muitas vezes a postergar cursos, estudos e, inclusive, nos faz perder oportunidades muito valiosas. Mas tudo isso pode mudar. Enfrentar os medos e começar a mudar pequenas coisas com a ajuda de um profissional nos permitirá sentir que avançamos e que saímos dessa zona tão incapacitante na qual mergulhamos.