As melhores frases de André Gide

março 25, 2019
Nas frases de André Gide é fácil apreciar a alma livre e tenra que foi este escritor francês. Sua inclinação homossexual e posições políticas críticas lhe renderam muitas antipatias, mas isso nunca estragou seu equilíbrio e otimismo.

Nas frases de André Gide é possível ver o gênio humanista e profundo que este grande homem foi. Ele não apenas se destacou como escritor, mas também alcançou grande renome pela perspectiva crítica com a qual abordou a presença dos franceses na África.

Este escritor francês viveu na primeira metade do século XX, uma época convulsionada na qual ainda existiam muitos tabus. Durante toda a sua vida enfrentou grandes dilemas morais, principalmente associados ao amor, à verdade e à sexualidade. Isto fica claramente expresso em várias das frases de André Gide.

“Se você quer realmente ser feliz, não caia na tentação de comparar este momento com outros momentos do passado, os quais você não soube desfrutar porque os estava comparando com os momentos que viriam a seguir”.
-André Gide-

Várias de suas obras têm um claro viés autobiográfico, já que sua própria vida lhe apresentava grandes encruzilhadas. As frases de André Gide, no entanto, são quase sempre alegres e frescas. Não havia nada de ressentimento em suas abordagens, apesar de ter sido rechaçado por muitos de seus contemporâneos. Estas são algumas de suas declarações mais lembradas.

O segredo da felicidade

Esta é uma das mais belas frases de André Gide e alude à combinação mágica que às vezes ocorre entre a felicidade e o trabalho. Diz: O segredo da minha felicidade não está em me esforçar pelo prazer, mas em encontrar o prazer no esforço”.

Ele definitivamente tem razão quando destaca que o prazer ou a satisfação não são alcançados através do esforço como tal. Mais do que um objetivo em si, esse prazer é uma consequência. Esforçar-se naquilo que se ama é um ato de liberdade que produz satisfação por si só, sem que seja necessário algo a mais.

Mulher observando paisagem

Uma das frases de André Gide sobre posses

O tema das posses materiais é um dos que mais provocaram reflexões ao longo da história. A esse respeito, André Gide ressalta: A posse completa só é demonstrada dando. Tudo o que não podemos dar nos possui”.

É uma frase bela e lúcida na qual ele reitera o fato de que dar é a manifestação ativa de possuir. Quem dá é porque tem. Quem não dá, mesmo que tenha, não possui nada, mas pertence ao que guarda para si mesmo. O desejo de conservar o domina porque sente que não tem o suficiente. Desta forma, os bens acabam aprisionando seu dono.

As coisas mais belas 

Muitas das frases de André Gide têm um tom delicado e poético, despretensioso. Esta, por exemplo, diz: As coisas mais belas são ditadas pela loucura e escritas pela razão. Neste caso, declara a beleza como resultado do casamento entre a loucura e a razão.

Segundo sua perspectiva, a loucura é a força criativaEssa paixão absurda é o que resulta em algo novo, que só se torna belo se a razão lhe der forma. Portanto, no mundo das ideias deve dominar a imaginação, a irracionalidade. Isso dá origem ao artístico, se o intelecto o moldar, aderindo às leis da lógica.

Os descobridores nas frases de André Gide

André Gide foi um grande viajante, que sentiu um enorme prazer em conhecer novas culturas e novos modos de vida. Como você sabe, os grandes viajantes também são pessoas curiosas, que não temem o novo e que enfrentam a aventura com coragem e determinação. Isso se aplica tanto para as viagens materiais quanto para as intelectuais ou espirituais.

Esse espírito de explorador é refletido nesta frase de André Gide: “Não descobriremos novas terras se não nos atrevermos a perder de vista as velhas margens”. É também uma metáfora em torno da importância de abandonar o que é conhecido para expandir a visão do mundo e abrir-se ao novo.

Mulher caminhando por estrada

Às vezes não percebemos…

Esta é uma frase muito sábia, com a qual muitos certamente podem se identificar. Ela destaca: Se não notamos a presença de felicidade com mais frequência, é porque ela se apresenta com uma aparência diferente da que esperávamos. Nesta declaração, ele enfatiza o contraste entre felicidade como conceito e felicidade como realidade concreta.

Nós, seres humanos, geralmente cometemos erros ao julgar o que nos faz felizes. Muitas vezes colocamos a felicidade naquilo que não temos ou no que não alcançamos. Em vez disso, talvez devêssemos aprender a reconhecê-la no que há em cada momento de nossa existência. Talvez assim pudéssemos desfrutar mais dessa felicidade que muitas vezes temos e que não sabemos reconhecer.

André Gide ganhou o Prêmio Nobel de Literatura em 1947. Mesmo assim, seus livros foram proibidos pela igreja por muito tempo. Apesar disso, seu trabalho e seu legado foram o guia de muitos de seus contemporâneos, como Albert Camus e Jean Paul Sartre. Deixou uma marca que permanecerá para sempre nas letras e na cultura.

  • Gide, A. (2012). Corydon. Editions Gallimard.
  • Gide, A. (1981). Defensa de la cultura (Vol. 1). Ediciones de la Torre.
  • Gide, A. (1988). El inmoralista (Vol. 96). Ediciones Catedra.