As 10 melhores frases de Virginia Woolf

· abril 8, 2018

As frases de Virginia Woolf revelam uma alma atormentada que aparentemente nunca teve paz. Elas expressam claramente um grande talento, mas também um enorme ceticismo. Não é para menos, se você levar em conta que ela testemunhou os horrores da Primeira e Segunda Guerra Mundial. Esses eventos impactaram profundamente a sensibilidade dos artistas da época.

Virginia Woolf nasceu em Londres (Inglaterra) em 1882. Ela foi uma das figuras mais importantes do modernismo na literatura e uma feminista convicta. Ela perdeu sua mãe aos 13 anos e, não muito depois, sua irmã e seu pai. Alguns de seus biógrafos sugerem que ele foi vítima de abuso sexual por seus meio-irmãos.

Eu me faço e desfaço continuamente. Pessoas diferentes tiram diferentes frases de mim“.
-Virginia Woolf-

Apesar de tudo, essa grande escritora sempre manteve sua constante produção literária. As frases de Virginia Woolf que selecionamos mostram sua inquietude interior, mas também seu talento impressionante. Ela é uma romancista para ler e reler, ontem e hoje.

Amor, um tema comum nas frases de Virginia Woolf

As frases de Virginia Woolf sobre o amor têm um tom existencialista. A verdade é que ela não olhava para esse sentimento com ingenuidade ou romantismo. Aqui, por exemplo, mostra um realismo contundente: “O amor é uma ilusão, uma história que a gente constrói na própria mente, consciente o tempo todo de que não é verdade, e por isso toma cuidado para não destruir a ilusão“.

Pessoas de mãos dadas

Apesar de ter sofrido sucessivos colapsos nervosos e de suas experiências adolescentes traumáticas, pode-se afirmar que essa escritora teve sorte no amor. Ela se casou aos 30 anos e, 25 anos depois, ainda se declarava feliz com o marido em sua autobiografia. Não foi seu único amor. Ela teve outros relacionamentos controversos. A este respeito, disse: “Nada é tão estranho quando você está apaixonado quanto a total indiferença dos demais.”

Ser você mesmo

Várias frases de Virginia Woolf se referem à autenticidade. Esta diz: “Seja honesto, e o resultado certamente será incrivelmente interessante“. É uma afirmação muito profunda. Chama a atenção para o fato de que a coisa mais singular que cada um possui também é o que mais chama a atenção.

No entanto, para esta escritora, ficou claro que a tarefa de ser genuíno não é nada fácil. É o que ela diz nesta frase: “Para além da dificuldade de comunicar aquilo que se é, há a suprema dificuldade de ser aquilo que se é. “. Para estabelecer essa conexão com nós mesmos através da comunicação, devemos primeiro ser realmente como somos, e isso não é tarefa fácil.

Essa ideia é reforçada em outra das frases de Virginia Woolf, que diz assim: “Você não precisa ter pressa. Não há necessidade de brilhar. Você não precisa ser ninguém além de si mesmo“. A autenticidade, então, tem um enorme valor para ela. Na verdade, é um valor supremo do seu ponto de vista. Mas não só isso: também uma tarefa titânica.

A cultura

Muito de acordo com essa ideia do genuíno, Virginia Woolf também nos convida a repensar a origem de nossas ideias. Esta frase faz alusão a ela: “Não paremos de pensar: o que é essa ‘civilização’ em que nos encontramos? Quais são essas cerimônias e por que devemos participar delas? Quais são essas profissões e por que devemos ganhar dinheiro com elas? 

Trata-se de um chamado para repensar o que pode parecer óbvio para nós. Uma maneira de retornar às razões originais, já que ali pode estar a pista que nos leve ao nosso mais autentico ser. Ela nos convida a refletir sobre como vivemos a vida cotidiana, às vezes mecanicamente.

Sobre a cultura, Virginia Woolf também tem uma frase que é muito pontual. Ela diz: “humor é o primeiro dos presentes a perecer em uma língua estrangeira “. Com isso, ela quer dizer que a língua é muito mais que sintaxe ou gramática: também é, acima de tudo, cultura. É a cultura que dá sentido a qualquer afirmação, e o sentido mais vulnerável a isso é o humor.

Criança interior

As prisões e o sinal da juventude

Nesta bela frase, Virgina Woolf descreve de uma maneira muito poética o contraste do que é apenas aparência e o que é realmente carregado por dentro. Diz: “Cada um tem o seu passado fechado em si, tal como um livro que se conhece de cor, livro do qual os amigos só podem ler o título. ”

Esta outra frase refere-se ao condicionamento imposto pelos outros e o compara a uma prisão. Ela observa: “Os olhos dos outros são prisõesseus pensamentos nossas celas“. Estamos presos pelo olhar e pela opinião dos outros. Nós não estamos livres até escaparmos dessa influência.

Rosto fragmentado

Finalmente, esta frase é muito interessante. Nela, Woolf descreve uma das características mais tocantes da juventude: a fraternidade. Ela diz assim: “Um dos sinais de juventude passageira é o surgimento de um sentimento de camaradagem com outros seres humanos, enquanto conquistamos nosso lugar entre eles“.

Esta escritora inglesa tem um lugar próprio na literatura. Com o tempo, além de conquistar cada vez mais leitores, ela também se tornou uma das vozes mais reconhecidas dentro do feminismo. Sua marca persiste e certamente seguirá presente entre nós, como seu trabalho, por vários séculos.