Mercedes Rodrigo: a primeira grande psicóloga espanhola

· setembro 26, 2018

Mercedes Rodrigo Bellido foi uma das primeiras grandes psicólogas espanholas. Após décadas no esquecimento, seu trabalho começou a ser valorizado recentemente. Ela dedicou uma grande parte de sua vida ao estudo dos processos de seleção de pessoal e orientação profissional. Sua maior contribuição foi ter fundado o primeiro programa de estudos em psicologia da América do Sul.

Mercedes Rodrigo nasceu em Madri em 1891, onde viveu parte de sua infância e juventude. Ela terminou seus estudos de magistério em 1911, se especializando na educação de crianças surdas e cegas. Seu interesse em expandir sua educação a levou a obter uma bolsa de estudos para realizar seus estudos de psicologia na Suíça, na Universidade de Genebra.

Nessa universidade, ela foi aluna de Édouard Claparède, com quem trabalhou durante anos em seu laboratório experimental. O Dr. Claparède contribuiu grandemente para transformar Genebra no centro da moderna pedagogia europeia. Sua principal contribuição foi um novo modelo educacional, distante dos padrões tradicionais.

Sua proposta era criar uma escola ativa em que o interesse do aluno fosse valorizado, e uma educação voltada para a prioridade do aluno. Essa foi uma ideia que interessou muito a elite de pedagogos da época. Para criá-la, ela usou algumas ideias e conceitos de psicologia para aplicá-las à pedagogia. Assim, propôs que os professores aprendessem a observar seus alunos por meio de questionários pré-estabelecidos e trabalhassem e investigassem a partir das anotações.

Mercedes Rodrigo recebeu seu diploma em psicologia pela Universidade de Genebra em 1923. Juntamente com o Dr. Claparède, ela revolucionou os fundamentos da pedagogia moderna. Ambos foram precursores de um ensino baseado na observação do aluno para aplicar a instrução mais apropriada de forma individual.

Édouard Claparède

Mercedes Rodrigo e sua contribuição para a psicologia na Espanha

Em 1923, essa psicóloga retornou à Espanha e lançou um projeto didático de capacitação de professores em técnicas pedagógicas avançadas. Em seu país natal, aplicou um manual educacional elaborado em Genebra, juntamente com Piaget. Com ele, instruiu educadores em técnicas de observação e aplicação de aprendizagem em sala de aula. Para a Espanha da época, esse era um grande desafio na educação básica.

Em 1929, começou a trabalhar no Instituto Nacional de Psicologia, em Madrid. Lá, especializou-se em estudos psicométricos. Seu objetivo era colocar em prática os resultados obtidos no processo de seleção de pessoal e orientação profissional. Em 1939, pouco antes do fim da guerra civil, foi embora da Espanha.

Estágio na Colômbia

Mercedes Rodrigo chegou à Colômbia com o objetivo de colocar em funcionamento um departamento de psicotécnica nas universidades. Com este propósito, planejou alguns testes de admissão para a carreira médica. Isso foi fundamental para a faculdade, uma vez que o número de demandas era muito superior ao número total de vagas oferecidas pela universidade.

O resultado do processo de seleção de estudantes foi muito bem recebido por todas as instituições públicas. Logo, seu trabalho se espalhou para outros ambientes educacionais e de trabalho.

Em 1948, com o “bogotazo”, a vida na capital colombiana se tornou muito difícil. O prólogo de uma guerra e as tensões nas ruas se tornaram insustentáveis. Nesse contexto, um jornal jesuíta acusou Mercedes de ser comunista por ter visitado a URSS. A isso também foi adicionada sua condição de refugiada espanhola.

A partir dessas acusações, uma interpretação maliciosa foi feita dos testes de seleção que foram aplicados nos aspirantes a entrar na universidade. Diante dessa perda de prestígio, Mercedes e sua equipe tiveram que deixar o país.

Estágio em Porto Rico

Depois de sua temporada na Colômbia, a Dra. Rodrigo trabalhou na Universidade de Porto Rico como professora de educação e como psicóloga consultora durante um tempo.

Mais tarde, ela decidiu continuar com seu trabalho experimental em psicologia clínica, realizando terapias em grupo e terapias individuais. No entanto, nunca abandonou a psicometria.

Em Porto Rico, tornou-se famosa por ter dedicado sua vida ao ensino de pesquisa e à formação de educadores. Graças ao prestígio da Dra. Rodrigo na universidade porto-riquenha, muitos estudantes espanhóis do pós-guerra puderam melhorar seus currículos e concluir seus estudos neste país anfitrião.

Mercedes Rodrigo, psicóloga

Reconhecimento merecido

Por último, Mercedes Rodrigo viveu na Colômbia por uma década. Seu prolífico trabalho científico e sua grande dedicação ao programa de formação psicológica em toda a América do Sul foram contribuições importantes para o desenvolvimento de estudos posteriores e formação de profissionais latinos em todos os campos da psicologia atual.

Em 20 de novembro, a Colômbia celebra o Dia do Psicólogo. Neste dia, comemora-se a criação da primeira faculdade independente de Psicologia do país. O trabalho da Dra. Rodrigo teve uma grande importância nesse fato. Por isso, ela é considerada uma pessoa importante neste país.

O trabalho de Mercedes Rodrigo foi esquecido durante décadas. Felizmente, na atualidade, os estudos sobre mulheres estão começando a resgatar muitas pioneiras que, como ela, contribuíram para lançar as bases de nosso atual conhecimento científico.

“Toda mulher leva o limite de seu próprio campo de visão aos limites do mundo”.
-A. Schopenhauer-