A metáfora da laranja: o que sai de você quando a vida te aperta?

24 Dezembro, 2020
Dizem que, nos piores e melhores momentos, costumamos mostrar o que temos dentro de nós. Raiva, medo, ingenuidade, amor. O que sairia de você se fosse espremido com força, como se estivessem fazendo um suco de laranja?

Se alguém te provocasse ou incomodasse ou, metaforicamente, apertasse você, o que sairia do seu interior? Raiva? Alegria? Fúria? A metáfora da laranja, criada pelo psicólogo, professor e escritor Wayne Dyer, nos ajuda a entender por que é tão importante saber o que temos dentro de nós.

Wayne Dyer é conhecido por ter feito palestras em diversos países. Seu sucesso veio com a publicação do seu conhecido livro Seus Pontos Fracos. A metáfora da laranja surgiu em uma das suas palestras, em Toronto (Canadá), e teve a peculiaridade de ter ocorrido na véspera da sua morte.

Sua palestra, enquadrada na série de palestras I can do (Eu posso fazer) , surpreendeu a todos: Wayne trouxe uma laranja até o palco para apoiar suas explicações. Ele então começou um diálogo com um garoto inteligente de cerca de 12 anos que estava sentado na primeira fila.

Wayne Dyer

O diálogo da metáfora da laranja

Se eu apertasse essa laranja o mais forte que pudesse, o que sairia dela?” Dyer perguntou. O menino olhou para ele como se ele fosse louco e respondeu: “Suco, claro.” Dyer respondeu: “Você acha que poderia sair suco de maçã? . “Não, o menino riu. “E suco de toranja?”. “Não”. “O que sairia dela?”. “Suco de laranja, é claro.”

“Por quê? Por que o suco de laranja sai quando você espreme uma laranja?”. O jovem, a essa altura, já estava à beira do desespero, mas mesmo assim disse: É uma laranja, e isso é o que está dentro dela.” Wayne assentiu e continuou.

“Vamos supor que essa laranja não seja uma laranja. Que ela é você. Imagine que alguém aperta você, pressiona você, diz algo que você não gosta, te ofende. E de dentro de você vem a raiva, a ira, o ressentimento e o ódio. Por que isso saiu?”.

O que sai quando a vida te aperta?

“Porque é isso o que está dentro de você. É uma das grandes lições da vida”. “Se a raiva, a dor ou o medo saem, é porque é o que está dentro de você. Não importa quem aperta você: sua mãe, seu parceiro, seus filhos, seu chefe, seu subordinado… Se alguém falar algo de você que você não gosta, o que você tem do lado de dentro vai sair. E o que está do lado de dentro é escolha sua.”

“Se nada além de amor sair de você, é porque é isso que você permitiu. Depois de remover todas aquelas emoções que te consomem (inveja, ódio, ressentimento, vingança…) e substituí-las pelo amor, você estará vivendo uma vida altamente funcional”. “Obrigado, meu jovem amigo“, disse Wayne. “Esta laranja é para você.”

Resiliência

Nada melhor do que continuar a metáfora da laranja com outra moral cítrica. Certamente você já ouviu a frase: “Se a vida lhe der limões, faça limonada.” Mas você já parou para pensar no que isso significa? Essa frase, longe de ser relacionada ao conformismo, é certamente uma das formas mais simples de definir a resiliência.

Resiliência é uma palavra que vem do latim (resilio, resilire) e que significa ‘pular’. Aplicada à psicologia, refere-se à habilidade que as pessoas possuem de superar adversidades e seguir em frente. Portanto, seriam as pessoas resilientes que conseguiriam fazer limonada com os limões que a vida lhes oferece: perdas, decepções, separações…

Costumava-se pensar que a resiliência era algo com o que você nasce, que fazia parte da sua genética. No entanto, pesquisas subsequentes conseguiram mostrar que essa habilidade pode ser treinada.

Como? Por exemplo, assumir que mudanças fazem parte da vida, confiar em si mesmo ou cuidar das relações sociais, focando também no positivo, assumindo os desafios como oportunidades ou sendo flexível e realista com seus objetivos.

Flor nascendo no asfalto

Cultive-se

Concluindo, as metáforas da laranja e dos limões se unem para nos fazer ver a importância de cultivar o nosso interiorSe o preenchermos com um solo menos fértil, o que crescerá serão ervas daninhas. Se, pelo contrário, o regarmos com frequência, cuidarmos dele e usarmos um solo fértil, será mais difícil que elementos que podem nos prejudicar nasçam dentro de nós.

Os pensamentos ou sentimentos tóxicos não nos fazem bem. No final, as únicas vítimas somos nós mesmos. Quem sofre com toda a inveja que sentimos? Nós. A quem nosso desejo de vingança afeta? A nós. Somos nós, na primeira pessoa, aqueles que vão sofrer as consequências de manter esses tipos de emoções dentro de nós. É como dizem… A vingança é servida fria, e geralmente é servida para ambos: para quem serve e para quem é servido.