A metáfora da lata de lixo - A Mente é Maravilhosa

A metáfora da lata de lixo

outubro 19, 2015 em Emoções 0 Compartilhados
A metáfora da lata de lixo

O uso de metáforas e exercícios experienciais é muito comum para que possamos esclarecer aspectos ocultos ou difíceis de resolver em nossas vidas.

Algumas novas terapias, como a Terapia da Aceitação e Compromisso, de Wilson e Hayes, já as usam como uma de suas principais ferramentas.

Neste artigo iremos tratar de uma delas e, em seguida, passaremos a explicar seu significado para que você possa aplicá-la em seu dia a dia.

peça de quebra cabeça

O poder dos seus pensamentos

Pegue uma lixeira e encha-a de lixo. Se você não tiver uma lixeira, imagine uma que esteja cheia de lixo de todo tipo. Então, pergunte-se se você seria capaz de enfiar a mão na lata de lixo. Obviamente, a resposta costuma ser negativa.

Numa segunda situação, imagine agora que, no fundo do lixo, há algo que é realmente importante para você. Pode ser dinheiro, a possibilidade de estabelecer uma relação com a pessoa que você quer, a recuperação de alguma doença, etc. Agora você enfiaria a mão no lixo?

Se aquilo que nos propusemos a fazer é verdadeiramente importante, você enfiaria a mão na lixeira. Entretanto, você sentiria “nojo”? O mais provável é que sim, mas diferentemente da primeira situação, nesta segunda, “sentir nojo” faz sentido, tem um propósito.

Não estamos pedindo que você enfie a mão na lixeira achando que isso é algo maravilhoso ou sentindo um aroma agradável. Mas a vontade de conquistar um objetivo nos impulsiona a fazer coisas que trazem consequências psicológicas desagradáveis. 

Se acreditarmos que o resultado final vale a pena, não iremos nos importar com este momento desagradável para chegar a ele. Aí está a importância de trabalhar adequadamente os seus valores.

monta de lixo

O que essa metáfora quer dizer?

Basicamente, essa metáfora tenta quebrar com a literalidade de pensamentos e comportamentos que a maioria das pessoas têm, ainda que, em alguns casos, ela seja mais acentuada do que em outros.

Vejamos um exemplo:

– Você levanta pela manhã e, sinceramente, seu pensamento sobre si mesmo e sobre o que acontecerá em seu dia não é muito “positivo”. Você tende a dar voltas na cabeça, sua mente começa a repetir frases como: “Nada dá certo para mim”, “Sou um lixo”, “Nunca me darei bem nesse trabalho”, etc.

Diante dessa situação, a metáfora que expomos quer lançar uma mensagem a você: o que você vai fazer com esse pensamento?

Ou seja…Você está disposto a suportar o cansaço e os imprevistos, a enfiar a mão na lixeira para alcançar o que há de valioso no fundo dela? Um pagamento para a hipoteca, talvez uma promoção no trabalho? Ou, pelo contrário… você vai surtar com esses pensamentos e, como você pensa que é um lixo, vai se jogar dentro da lixeira?

O que você deseja?

mulher pensando

Sua decisão:

Se, de verdade, o objetivo vale a pena, a metáfora está lhe dizendo que suportar dias estressantes ou cargas de trabalho é necessário para alcançar aquilo que você deseja; independentemente de como você se sente, os pensamentos e sentimentos são automáticos, mas nem por isso devemos jogar tudo no lixo.

Às vezes, pensamos que não podemos continuar e nos sentimos desanimados, e isso é normal. Saber que esta sensação faz parte do processo é realmente importante. Haverá momentos agradáveis e outros nem tanto; a questão é ter em mente que o que você quer custa algo.

Por exemplo, se seu trabalho é valioso para você e você não quer perdê-lo, é comum suportar momentos difíceis; além disso, você se tornará uma pessoa mais resistente, eficaz e constante. Pense nos custos e benefícios de se deixar levar por seus pensamentos e pese as consequências.

Certamente, se você agir sem se deixar levar, terá controle sobre seus pensamentos porque você os deixará existir e, mesmo assim, poderá agir funcionalmente.

O fato de nos esforçarmos, persistirmos, nos mantermos no caminho e atravessarmos as dificuldades é algo que tem valor quando conseguimos o que desejamos: a satisfação de ter conseguido por nossos próprios méritos.

Então, lembre-se desta metáfora antes de jogar tudo fora e você mesmo no lixo…

Recomendados para você