Meu filho é narcisista: o que posso fazer?

Egoísmo, falta de empatia, agressividade ... O que podemos fazer se nos dermos conta de que estamos criando um narcisista? É possível reeducar essa criança ou adolescente? Descubra a seguir.
Meu filho é narcisista: o que posso fazer?
Valeria Sabater

Escrito e verificado por o psicólogo Valeria Sabater.

Última atualização: 29 julho, 2022

“Meu filho é narcisista. Não sei o que fizemos de errado ou não sei o que aconteceu em sua mente para se comportar dessa maneira.” Muitos pais buscam ajuda especializada quando percebem que certas situações estão além da sua capacidade. Comportamentos desafiadores, egos ampliados, necessidade constante de validação, ideias distorcidas…

Embora seja verdade que muitos presumam que os narcisistas não nascem, mas são feitos, e que o ambiente familiar costuma ser decisivo para o surgimento desse comportamento, há outro fato que devemos valorizar. O narcisismo patológico ou transtorno de personalidade narcisista é uma condição psiquiátrica na qual muitas outras variáveis convergem.

Uma vez detectado, quando a convivência se torna complicada ou mesmo ameaçadora, é comum se perguntar o que pode ser feito. Crianças, adolescentes e até filhos adultos: o narcisismo é uma realidade que causa sérios problemas em qualquer ambiente, sendo o familiar o mais comum.

Estima-se que cerca de 5% da população possa ter um transtorno de personalidade narcisista. No entanto, essa condição não é diagnosticada até a idade adulta.

Meu filho é narcisista

O que caracteriza uma criança narcisista?

Atualmente, não há evidências científicas de que exista um gene para o transtorno de personalidade narcisista. De acordo com uma pesquisa da Universidade de Utrecht publicada na revista Proceedings of National Academy of Sciences, a origem deste transtorno não é totalmente clara, mas o fator social (educação, contexto, modelos de referência, etc.) tem um peso relevante.

Às vezes, muitos pais têm plena consciência de que criaram uma criança excessivamente mimada sem limites. Outras vezes, os pequenos tomam um dos pais como modelo, imitando comportamentos egocêntricos e agressivos. Da mesma forma, a negligência afetiva ou ambientes altamente competitivos tendem a moldar comportamentos narcisistas.

Agora, existem muitos gatilhos e pode até haver circunstâncias em que há vários irmãos, mas apenas um apresenta traços dessa personalidade. Nem todas as variáveis são 100% conhecidas.

Vamos ver como saber se uma criança é narcisista:

Narcisismo infantil

  • Grandiosidade. Ela acredita que merece mais do que o resto e que é melhor do que todos.
  • Necessidade constante de ser o centro das atenções. Se não conseguirem, há gritaria, raiva e até comportamentos agressivos.
  • Sentimentos constantes de inveja.
  • Podem manifestar comportamentos antissociais: roubar de outras crianças, agressões…
  • Relações de exploração com seus irmãos, colegas de classe, etc. Eles sempre procuram algo em troca.
  • Problemas para fazer e manter amizades.
  • Nunca expressam gratidão.
  • Não são responsáveis por suas ações.
  • Tendência a ter acessos de raiva constantes.
  • Desafiam a autoridade.
  • Falta de empatia.
  • Senso de identidade muito superficial.
  • Se ofendem rapidamente.
  • Instabilidade emocional.
  • Se não recebem elogios, sentem-se vazios ou tristes, chegando a estados depressivos.

O filho adulto com transtorno de personalidade narcisista

A principal característica do filho adulto com traços narcisistas é manipular a família para conseguir o que deseja. São pessoas com pouca empatia e proximidade com os seus entes queridos. Eles também mostram uma tendência constante para a raiva quando não alcançam o que desejam, cortando inclusive o contato com os demais.

No entanto, depois de alguns dias, geralmente voltam como se nada tivesse acontecido. Repetem com frequência que seus pais os trouxeram ao mundo e que, como tal, devem provê-los com suporte financeiro, bem como qualquer tipo de ajuda. Seu egoísmo pode chegar a extremos muito insidiosos.

Mãe com filha adolescente

O que posso fazer se meu filho é narcisista?

O que eu faço se estiver totalmente ciente de que meu filho é um narcisista? Há como voltar atrás? Posso fazer as coisas de maneira diferente para corrigir seu comportamento, orientá-lo, reduzir sua grandeza e aumentar sua autoestima?

A verdade é que os avanços serão mais significativos quanto mais jovem for a criança, mas os adolescentes também podem se beneficiar de algumas mudanças na educação. Vamos ver algumas chaves.

Aumente a sua empatia

É importante garantir que nossos filhos sejam capazes de se colocar no lugar dos outros. Isso exige tempo e esforço, mas é essencial que eles levem em consideração as perspectivas das outras pessoas, sentimentos que vão além dos seus.

Resistência à frustração: eles não podem ter tudo o que desejam

Definir limites, dizer “não” quando necessário e ajudá-los a controlar as emoções negativas derivadas da frustração é fundamental para reduzir gradualmente a personalidade narcisista.

Impulsione-o em direção a comportamentos altruístas

Existem muitas maneiras de encorajar comportamentos cooperativos, pró-sociais e altruístas em nossas crianças e adolescentes. Inscrevê-los em cursos ou experiências de voluntariado, esportes coletivos, etc., pode ajudá-los a estabelecer novas visões, sentimentos e abordagens mais empáticas.

Capacidade de se maravilhar, educar o olhar humilde

Se uma criança é narcisista, esse olhar egocêntrico pode precisar ser desviado para outros ambientes mais amplos.

Estimular a capacidade de se maravilhar é um bom ponto de partida, e para isso, nada melhor do que aproximá-los de novos interesses: arte, astronomia, natureza… Aprimorar a paixão por algum assunto, prática, esporte ou disciplina é muito apropriado.

Seja o melhor exemplo para melhorar o seu comportamento

Cada criança deve ter o melhor exemplo de seus pais. Não devemos apenas orientar e promover neles o bom comportamento, os modos, o respeito e a empatia, eles devem ver em nós o que queremos incutir neles e, para isso, é fundamental que haja harmonia e coerência entre todos os pais e cuidadores.

Responsabilidades de acordo com a idade

Se uma criança é narcisista, sua arrogância e a ideia de que ela está acima de todas as responsabilidades e obrigações devem ser corrigidas. É prioritário que assumam responsabilidades de acordo com a idade; só assim se integrarão melhor na sociedade e regularão melhor seu comportamento aos poucos.

Meninas bravas uma com a outra

Gerenciamento emocional correto e habilidades sociais

Acessos de raiva, irritabilidade, mudanças de humor, momentos de tristeza, alta ansiedade… A personalidade narcisista se instala na infância como resultado de muitas variáveis, mas a má administração emocional sempre atua como um fator condicionante. Devemos orientá-los no correto entendimento e manejo de seus estados emocionais para melhorar o seu autocontrole e a forma de enfrentar cada situação.

Por outro lado, também é essencial que eles aprendam habilidades sociais para se moverem em harmonia e respeito na sociedade. Comportamentos como manipulação, mentira, desrespeito e agressividade os levarão à exclusão e sempre gerarão problemas em qualquer cenário.

Para concluir, é verdade que quando os pais assumem que seu filho é um narcisista, a primeira coisa que pensam é o que fizeram de errado. Nessas situações, é melhor procurar ajuda profissional.

Só então eles terão o melhor guia para se locomover na educação e no dia a dia dessas crianças. Este é um desafio complexo, mas se você começar cedo, os resultados serão visíveis.

Pode interessar a você...
Uma criança que faz bullying pode ser um adulto narcisista sem empatia
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
Uma criança que faz bullying pode ser um adulto narcisista sem empatia

A criança que faz bullying, que não tem limites ou não é educada no respeito e na empatia, pode se tornar um adulto narcisista e maquiavélico amanh...



  • Brummelman, E., Thomaes, S., Nelemans, S. A., Orobio de Castro, B., Overbeek, G., & Bushman, B. J. (2015). Origins of narcissism in children. Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America112(12), 3659–3662. https://doi.org/10.1073/pnas.1420870112
  • Kacel, E. L., Ennis, N., & Pereira, D. B. (2017). Narcissistic Personality Disorder in Clinical Health Psychology Practice: Case Studies of Comorbid Psychological Distress and Life-Limiting Illness. Behavioral medicine (Washington, D.C.)43(3), 156–164. https://doi.org/10.1080/08964289.2017.1301875