Mindfulness, o coração da meditação budista

Mindfulness, o coração da meditação budista

11, abril 2016 em Psicologia 545 Compartilhados
Mindfulness

Jon Kabat-Zin e outros especialistas dizem que a Mindfulness é o coração da meditação budista por sua relação com a meditação Zen e a Vipassana, ambas representantes da doutrina filosófica do aqui e agora.

Quando falamos de Mindfulness, podemos entendê-la tanto como uma técnica de meditação quanto como um estado de consciência que gera um estilo de processamento mental, que se traduz por uma atenção plena ao que nos rodeia e aos eventos que estão acontecendo.

Considera-se, portanto, que através da Mindfulness desenvolvemos um processo de observação que não julga, mas nos ajuda a estarmos conscientes de tudo o que nos rodeia e do que sentimos internamente.
Compartilhar

buda-com-borboletas

A relação da Mindfulness com a Vipassana

Embora existam outras tradições budistas como Mahayana e Vajrayana, a Mindfulness é considerada a pedra angular do budismo Theravada, que foi transmitido por Siddharta Gautama no sul e sudeste da Ásia.

Uma das principais técnicas de meditação do budismo Theravada é a Vipassana, que é imprescindível para alcançarmos o nirvana e a auto-observação. Para entender melhor, podemos recorrer à própria tradução da palavra “Vipassana”: a experiência de ver as coisas como elas são, não como parecem ser.

Aqui, damos uma breve descrição da meditação Vipassana:

– A pessoa se compromete a não matar, não roubar, não ter um comportamento sexual inadequado, não mentir, não utilizar substâncias tóxicas, não perturbar a paz dos demais, etc. Dessa maneira, conseguimos a serenidade para vivermos em paz.

– Como segundo passo, a pessoa deve aprender a controlar a mente concentrando-se em um único objeto, registrando de maneira clara tudo o que acontece em relação a ele. Podemos usar como objetos de observação a respiração, objetos mentais, sentimentos… A pessoa deve ser imparcial e justa ao analisar os acontecimentos.

– A terceira etapa é a percepção do desenvolvimento da própria natureza. Este é o ponto culminante do ensinamento de Buda: a autopurificação através da auto-observação.

mulher-meditando-na-natureza

A meditação Zen e a Mindfulness

Como já dissemos anteriormente, a Mindfulness também se baseia em práticas da meditação Zen, que enfatiza a respiração e as posições do corpo (caminhar, sentar e deitar). Além disso, Kabat-Zinn diz com referência a este tipo de meditação que os elementos fundamentais da atenção plena são:

Não julgar: abandone o hábito de classificar as experiências como boas ou ruins.

Ser paciente: ter a capacidade de respeitar os processos naturais dos acontecimentos, estar abertos a novas experiências, pois só aprendemos quando vivenciamos algo.

Manter a mente de um principiante: permaneça livre das expectativas com base em experiências anteriores.

Tenha confiança e responsabilidade por si mesmo. Aprenda a ouvir o seu próprio ser e a confiar nele.

Não se esforçar: devemos abandonar o esforço para alcançar resultados. A prática regular da Mindfulness produz resultados por si mesma.

Aceitar: devemos aceitar as coisas como elas são no presente. Isto não é uma atitude passiva, mas a vontade de ver as coisas como elas realmente são. No princípio podemos negar e ficar irritados com a situação, mas a aceitação é o melhor caminho.

buda-e-passaros

Mindfulness, a terapia de 3ª geração

Mindfulness é vista como elemento central entre as inúmeras terapias chamadas de terceira geração, que representam uma aproximação mais ampla e flexível das experiências emocionais que promovem uma sensação de bem-estar.

A consciência que adquirimos através dessa prática revela-se como uma capacidade humana universal que, paradoxalmente, está apagada ou adormecida na nossa vida diária.
Compartilhar

Portanto, a Mindfulness é um fim em si mesma, uma forma de viver plenamente consciente. Alcançar a consciência plena é algo que requer esforço para mudar os maus hábitos como a distração ou a negação. É preciso praticar para ser bem-sucedido.

Muitas vezes não percebemos as sensações que ocorrem em nós mesmos, nos preocupamos com o futuro ou ficamos remoendo o passado, o que nos impede de prestar atenção no que realmente importa, o aqui e agora, um estado de consciência plena que desenvolvemos através da Mindfulness.

Recomendados para você