Mitos e verdades sobre as relações sexuais

· junho 26, 2015

Não há um “casal perfeito”. O que existe são duas pessoas que se complementam o melhor que podem e constroem uma vida bela juntos.

Em relação ao sexo, ainda há muito para aprender e saber. Deixemos de nos sentir culpados se “não temos relações três vezes por semana”, se “sempre usamos as mesmas posições na cama” ou se “você deve fazer o máximo possível para que o fogo não se apague entre os lençóis”. Sem dúvida, a vida dessa maneira é muito complicada e difícil de levar.

Tudo o que se relaciona ao amor, o casamento, o casal e a sexualidade está repleto de falsas ideias sobre o que “deveria ser”. Quão saudável, real e sustentável é a sua relação intima no curto, médio e longo prazo não é algo que possa se analisar em uma revista de tendências e moda, por exemplo. Assim como também não em um filme ou uma novela.

Isso nos provoca a necessidade de estar “loucamente apaixonados” ou “fazer sexo todos os dias”. E na vida real, não é exatamente assim. Também nos exigem que deixemos de lado sentimentos como a dúvida, o ciúmes e a ansiedade, já que temos o nosso parceiro “ideal”.

Então, é fácil acreditar no que dizem as histórias de princesas. O romance se apresenta como se fosse a coisa mais maravilhosa do mundo, mas fala que se você não fizer as coisas “como se deve” há algo errado em você ou na outra pessoa, e vocês precisam conversar, trabalhar nos seus defeitos, etc.

Nas revistas ou na televisão não se falam muitas das verdades sobre os casais, basicamente, porque elas “não vendem”. Existem muitos mitos que giram em torno deste tema e é preciso derrubá-los. Por que? Porque dessa forma poderemos viver mais plenamente e aproveitar o dia a dia. Todos sentimos alguma vez frustração, temor, ódio, ansiedade e estresse. Isso não quer dizer que estejamos indo mal.

Verdades sobre as relações sexuais

É preciso deixar de lado a fantasia e adequar-se exclusivamente à realidade. Focar no que realmente importa, perceber os erros que machucam e não focar no que “deveríamos” fazer. Quanto ao sexo, estas são as 4 verdades que nem todos conhecem:

– A intimidade saudável funciona entre os dois: cada casal decidirá o que isso significa. Para alguns, pode ser ter relações todos os dias, para outros, uma vez por semana. Acontece que nem todos se “conectam” do mesmo jeito; os casais são um mundo à parte e ninguém tem o direito de dizer quantas vezes deve-se fazer cada coisa (falando não apenas de sexo).

– Geralmente, um tem mais necessidade do que o outro: isso quer dizer que é provável que um seja o que quase sempre toma a iniciativa, que procura se divertir, fantasiar, usar brinquedos, etc. O fato de ter mais ou menos “apetite” não significa que não alguém ame o seu companheiro, e sim que nem todas as pessoas são iguais. O desafio é encontrar o equilíbrio para que o protagonista não seja sempre o mesmo.

– As relações sexuais não acontecem somente no dormitório: uma cultura mais tradicional dirá que o único lugar “permitido” para ter relações sexuais é na cama matrimonial, mas não é bem assim. Nesse ponto, podemos aceitar o que as revistas dizem, que vale a pena usar outros ambientes da casa de vez em quando. E não só na intimidade, mas também para os beijos, as caricias, as belas palavras e as demonstrações de afeto. Se o texto diz “você está tendo relações suficientes ?” você pode encará-lo do ponto de vista do romantismo ou do amor também.

– Fazer sexo não é só chegar ao orgasmo: outro dos tópicos mais comuns nos testes. Pensa-se que se ambos os integrantes do casal não chegam ao clímax, então a relação sexual “não conta”. Esta é, sem dúvida, uma perspectiva muito limitada. Também devemos incluir os beijos, as carícias, tocar, “degustar”. Em outras palavras, desfrutar do encontro, que costuma ficar cada vez mais raro atualmente por conta das obrigações e do estresse.

A maioria dos casais que estão juntos há um tempo experimentam diferentes momentos. Se bem é verdade que no começo a paixão inunda tudo, com o passar dos anos, se transforma em outro sentimento, o do amor puro. Por que? Porque se conhecem mais, já se exploraram muitas vezes, sabem os gostos do outro, se aceitam como são, etc.

Então, se você ler um artigo onde disserem que para um casal estar bem ele precisa fazer sexo de segunda a domingo, tenha em mente que isto não é “o ideal”. Pode ser possível para alguns poucos (afortunados podem dizer) mas é muito difícil manter esse comportamento com o tempo. Respeite a sua relação e não permita que supostas pesquisas digam quanta paixão deve haver entre os seus lençóis. Viva momentos inesquecíveis com seu companheiro muito além do que pensem os outros e, principalmente, desfrute da sua relação deixando de lado os “padrões” impostos pela sociedade.