Movimentos sacádicos dos olhos: características e funções

Os movimentos sacádicos dos olhos favorecem a adaptação do ser humano, uma característica pouco explorada, mas importante.
Movimentos sacádicos dos olhos: características e funções

Última atualização: 12 Novembro, 2021

A visão humana abrange vários processos; os movimentos sacádicos dos olhos são um deles. São essenciais para as diferentes atividades que realizamos no nosso dia a dia, e podem até estar relacionados com algumas patologias.

Existem papéis essenciais em cada uma das partes do nosso corpo que podem ser fascinantes. Você já se perguntou quais são os mecanismos que usamos para prestar atenção quando falamos com uma pessoa e a atendemos olhando para ela? O que nos permite ler ou observar algo com atenção?

“Os olhos são o ponto onde a alma e o corpo se misturam.”
-Friedrich Hebbel-

Como funcionam os movimentos sacádicos dos olhos?

Os movimentos sacádicos dos olhos, também chamados de sacadas, são tão rápidos quanto simultâneos e ocorrem quando direcionamos o nosso olhar. São controlados pelo nosso córtex cerebral e pelo colículo superior do nosso cérebro.

Eles favorecem o rápido deslocamento da fixação de um ponto a outro em nosso campo visual. Assim, graças a eles somos capazes de mapear os ambientes em que estamos, pois facilitam a captura das imagens que vemos movendo rapidamente o nosso olhar.

Eles nos ajudam a capturar detalhes, por isso precisam ser precisos, e podem ser voluntários, involuntários ou induzidos. Para entendê-los melhor, pense nos movimentos que fazemos com a cabeça para observar o que está ao nosso redor. Faça este exercício tentando ficar ciente dos movimentos sacádicos dos seus olhos; assim, você entenderá melhor essa qualidade.

Olho azul

Por que eles ocorrem?

Conforme Gutiérrez de Piñeres Botero explica no capítulo “Visão humana e movimentos oculares, estes movimentos ocorrem a partir da sua associação com o controle. Os voluntários e aqueles que são induzidos por nós aparecem quando um determinado estímulo visual chama a nossa atenção ou quando respondemos a uma ordem, por exemplo, quando nos dizem para olharmos para uma determinada direção.

Os movimentos voluntários são acompanhados pelos prossacádicos e antissacádicos. Os primeiros ajudam-nos a dirigir o nosso olhar para um novo estímulo; o segundo se certifica de que possamos afastar o olhar. Por exemplo, quando queremos olhar alguém nos olhos para transmitir a atenção de nossa linguagem não verbal.

Os involuntários manifestam-se como um reflexo de orientação, que ocorre quando surge repentinamente um estímulo que está fora da periferia do nosso campo visual ou quando há um estímulo novo. Portanto, estão relacionados à sobrevivência, pois nos ajudam a detectar se há sinais de perigo.

Essas funções podem ser evidenciadas quando lemos ou devemos seguir algo e captar os seus detalhes. Por exemplo, ao ler por um longo período de tempo, precisamos desses movimentos para manter nossos olhos em uma palavra; isso também ocorre quando tentamos seguir algo com os olhos, como um inseto, ou quando queremos atentar para os detalhes de uma obra de arte.

Tipos de movimentos sacádicos dos olhos

Os movimentos sacádicos dos olhos são divididos de acordo com o objetivo. Existem quatro.

  • Antissacádicos. É o movimento que fazemos quando movemos o olho para o lugar oposto ao de onde está o estímulo.
  • Movimentos sacádicos preditivos. São aqueles que nos ajudam a seguir trajetórias e predizer o comportamento daquilo que observamos, por exemplo, ao olhar para um carro.
  • Movimentos sacádicos visualmente guiados. Eles ocorrem quando precisamos captar o que está sendo visto após o aparecimento de um estímulo em nosso campo visual, ou simplesmente quando precisamos captar algo.
  • Movimentos sacádicos relacionados à memória. É quando movemos nossos olhos em direção a algum ponto que temos em nossa memória, mesmo que não estejamos realmente contemplando o estímulo.

Os movimentos dos olhos foram estudados por Louis Émil Javal, um médico parisiense interessado em instrumentos ópticos e movimentos oculares. Ele fez isso depois de observá-los em um experimento em que as pessoas tinham que ler em silêncio.

Pessoa lendo um livro

A que patologias estes movimentos estão relacionados?

Os movimentos sacádicos dos olhos podem estar relacionados a problemas de leitura, principalmente quando a precisão é necessária. Um exemplo seria a dislexia. Quando os movimentos falham, eles não mantêm a duração que deveriam ou são imprecisos.

O que causa esse problema é que você não consegue identificar corretamente uma letra ou compreender as informações completas. É comum as crianças compensarem esta dificuldade entortando a cabeça, ajudando-se com o dedo ou pulando frases do texto que estão lendo. Por isso, os pesquisadores avaliam se alunos com um alto número de sacadas precisam de programas de apoio e intervenção.

Uma patologia bastante associada a esses movimentos é o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade; neste, os erros ocorrem graças aos movimentos antissacádicos e aos guiados visualmente. Isso faz com que os detalhes sejam definidos com atraso, então pode ser difícil captar os detalhes com atenção.

Por outro lado, esses movimentos podem ocorrer involuntariamente, fazendo com que a visão seja reduzida por um movimento errático constante dos olhos. Isso é chamado de nistagmo e nos impede de ver com clareza ou de fixar o olhar.

Em suma, cada vez que lemos, analisamos um ambiente ou participamos uma conversa, estamos fazendo uso dos movimentos sacádicos dos olhos. Em outras palavras, sua função nos ajuda a nos conectarmos com o outro, a entender a palavra escrita e a sobreviver.

Pode interessar a você...
Além do olhar visível
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
Além do olhar visível

A beleza imensurável e imortal da vida, sem dúvida, está além do nosso entendimento lógico, do palpável e visível pelo nosso olhar tão limitante.



  • Coronel, R. (2018). Relación entre los movimientos sacádicos, lateralidad y proceso lector. Espirales Revista Multidisciplinaria de investigación, 2(7). Disponible en: https://acortar.link/SBh6oE
  • Botero, C. (2019) Visión humana y movimientos oculares. Registro de movimientos oculares con el eye tracker Mobile eye XG. Universidad Católica de Colombia.
  • Supèr, H. & Cañete, J. (2016). Hacia un diagnóstico más objetivo del TDAH: el papel de la vergencia ocular. Revista de psiquiatría infanto-juvenil, 33(3), 397-406.