As mulheres difíceis são mais atraentes?

setembro 28, 2019
O mito da mulher difícil é muito difundido em todo o mundo. Dizem que os homens se interessam apenas pelas mulheres que não impõem facilidades no momento de estabelecer um relacionamento. Será que isso é verdade?

As mulheres difíceis recebem esse rótulo porque interpõem obstáculos durante a conquista amorosa. A tradição nos diz que essa atitude desperta o interesse masculino e que, pela mesma razão, não há nada mais ineficiente do que ser uma “mulher fácil”. Será que esta lenda tem alguma parte de verdade?

Em primeiro lugar, é preciso destacar que, no que se refere à conquista e ao ato de se apaixonar, não existem regras fixas. Nos apaixonamos por alguém, mas sem completar uma lista de motivos.

Por outro lado, no estágio do flerte, parece haver alguns padrões que se repetem com relativa frequência. Eles indicam que, de fato, as mulheres difíceis despertam mais interesse, mas não em todas as circunstâncias.

A questão parece trivial, mas há pesquisadores e estudiosos que dedicaram tempo a isso. Mais que buscar a receita perfeita para a conquista, o que foi explorado é como respondemos a determinados estímulos. Além de como as relações amorosas são construídas.

Vejamos o que a ciência diz sobre isso.

“A fantasia do homem é a melhor arma das mulheres”.
-Sofia Loren-

Casal conversando em parque

Um experimento antigo sobre mulheres difíceis

Em 1973, a Dra. Elaine Walster, da Universidade de Wisconsin (Estados Unidos), realizou um experimento um tanto rudimentar. Ela queria saber se os homens eram “programados” para se sentir mais interessados ​​por mulheres difíceis.

O que Walster e seus colaboradores fizeram foi contratar os serviços de uma prostituta. A escolha de uma pessoa com esse trabalho permitiria identificar os detalhes do assunto na situação mais básica possível.

Eles pediram que ela se mostrasse relutante na abordagem com alguns de seus clientes e solícita com outros de forma aleatória.

O resultado foi que, nessas circunstâncias, os homens as valorizavam menos e se mostravam menos interessados quando a mulher adotava uma atitude fácil. Imediatamente perdiam o interesse.

A experiência foi repetida com mulheres que utilizavam os serviços de uma agência de encontros. A conclusão foi semelhante. A única diferença foi que, nesse caso, os homens mostravam um maior interesse por aquelas que eram seletivamente difíceis. Isto é, difícil para os outros, mas muito acessível com eles.

O que esses estudos indicam é que essa diferença sutil modificava a atratividade da atitude. Ambos os contextos correspondiam a mulheres que estavam disponíveis para um relacionamento. Portanto, era ilógico que impusessem obstáculos ao que elas mesmas estavam procurando.

A dificuldade e o desejo

Existe a ideia de que o que é alcançado com maior dificuldade acaba sendo mais valorizado. Também foi comprovado na psicologia social que as pessoas valorizam a participação em grupos que tiveram dificuldade para entrar.

Além disso, os homens adoram desafios e, por isso, se uma mulher “facilita as coisas”, o encanto desaparece.

As neurociências indicam que não apenas os homens, mas também as mulheres, gostam de desafios. Estes dão um toque adicional de encanto a qualquer situação.

O Dr. Robert Weiss, vice-presidente da Elements Behavioral Health, indica que homens e mulheres utilizam estratégias, mais ou menos elaboradas para desafiar o outro durante o estágio de flerte. No entanto, as técnicas empregadas por ambos são diferentes.

O mais usual é que elas “brinquem” de ser garotas difíceis, através de comportamentos como fingir desinteresse, adiar suas respostas e não estar disponíveis sempre. Eles, por outro lado, preferem realizar ações que causem ciúmes na mulher em que estão interessados.

Jovens apaixonados

Mulheres difíceis: uma questão de cuidado

Uma pessoa que impõe barreiras nem sempre tem a intenção de flertar. Algumas pessoas não podem evitar o fato de estabelecer obstáculos nessa fase inicial de flerte. Elas fazem isso porque são muito inseguras e temem ser feridas. O outro detecta essa reticência temerosa e geralmente responde se afastando.

Além disso, uma pesquisa publicada no Journal of Experimental Psychology indicou que o paradigma da mulher difícil funciona somente quando o outro está altamente interessada na mulher.

A dificuldade no acesso a ela não funciona como um gatilho para o desejo, mas aumenta quando há uma manifestação de interesse prévia.

No entanto, muitas vezes não existe esse interesse exposto anteriormente. Nessas situações, a dificuldade apresentada por um ou outro geralmente leva a uma perda de impulso.

Ninguém quer se esforçar demais para conseguir algo que não tem certeza de que deseja. Nesses casos, acontece o contrário: aproximar-se e estar mais disponível para o outro acaba sendo a faísca que acende o fogo.

  • Bozal, A. G. (1999). El papel de los arquetipos en los actuales estereotipos sobre la mujer. Comunicar, (12).