Negociar com um filho adolescente: você sabe como?

Você sabe como negociar com um filho adolescente?

Janeiro 25, 2018 em Psicologia 0 Compartilhados
Você sabe como negociar com um filho adolescente?

A adolescência é caracterizada como um estágio de rebeldia. O adolescente passa por uma série de mudanças hormonais, além de realizar uma busca intensa por sua própria identidade. Tudo isso faz com que eles desejem a independência e acreditem que seus pais não os entendem. Portanto, nesta etapa delicada é necessário saber qual é a melhor forma de negociar com um filho adolescente.

Negociar com seu filho trará menos dores de cabeça e irá ajudá-lo a sentir que é tratado como adulto. Isso irá encorajá-lo a cumprir os acordos que você propõe, a argumentar e a resolver as situações difíceis que surgem. Mas acima de tudo, isso irá ajudá-lo a se sentir amado.

Negociar com seu filho adolescente transmitirá a ideia de que você leva sua opinião em consideração, o que aumentará sua confiança e permitirá compartilhar o que o preocupa.
Compartilhar

Às vezes os adolescentes tendem a se afastar, e como não sabemos como abordá-los, eles acabam se sentindo muito solitários, com pais que não os entendem e em quem não podem confiar. Portanto, negociar pode melhorar significativamente circunstâncias como essa.

Negociar com os adolescentes lhes transmite valores

Todos os pais sabem o quão importante é transmitir valores desde uma idade precoce. Bons valores ​​permitem aos jovens guiar seu comportamento e tomar decisões corretas. No entanto, nem sempre sabemos como fazer isso de forma adequada. Ao negociar com um filho adolescente, podemos obter os seguintes benefícios:

  • Melhora o gerenciamento emocional: ele perceberá que é muito difícil chegar a um acordo quando uma das partes está com raiva, frustrada ou triste.
  • Traz confiança e coerência: a incoerência nas relações familiares pode desencadear explosões emocionais no adolescente. Negociar vai ajudar todos a confiarem uns nos outros e a serem coerentes com o que dizem, pensam e fazem.
  • Ajuda a expressar sentimentos: para negociar com seu filho adolescente é necessário falar honestamente, expressando como cada familiar se sente e fornecendo soluções para o conflito. Isso irá ajudá-lo a expressar seus sentimentos e a dizer o que ele pensa sem pressupor que não o entenderemos.
“Filhos adolescentes parecem mais difíceis de educar, mas se você tiver sucesso, seus ensinamentos durarão a vida toda”.
– Anônimo –
Adolescente e flores

Todos sabem que é necessário definir acordos, limites e certas regras que acelerem e evitem conflitos no âmbito da coexistência. Assim como com o nosso parceiro podemos ter a regra de não entrar em casa com sapatos sujos pisando nos tapetes, também devemos tê-las com os filhos.

É preciso chegar a acordos sobre a hora de voltar para casa se ele sai com amigos ou sobre atividades proibidas dentro ou fora de casa (fumar, beber, chamar amigos para dormir em casa…). Para cada família, os acordos serão diferentes. O ideal é negociar, ver os pontos de vista dos diferentes membros e estabelecer regras que todos considerem justas.

Erros que podemos cometer ao negociar com um filho adolescente

Negociar com um filho adolescente não é tão fácil quanto parece. Mas essa dificuldade às vezes não vem das crianças, e sim de você como pai. A crença de que o que você diz é indiscutível, exercer uma autoridade quase ditatorial em casa, não levar em conta as opiniões do seu filho adolescente… Tudo isso pode sabotar uma negociação antes mesmo que comece.

Por isso é necessário que você trate seu filho adolescente como uma pessoa que está amadurecendo, crescendo e aprendendo. Ele não é mais um filho pequeno, ele é uma pessoa com opiniões e capaz de entender muitos dos erros que comete. É verdade que nunca será e não deve ser um relacionamento simétrico, mas essa assimetria diminuirá ao longo dos anos. Nesse sentido, ouvir os filhos pode permitir que você aprenda muito sobre si mesmo.

Filho adolescente e sua mãe

Para negociar com seu filho adolescente, você deve eliminar certos “erros”. Um deles, por exemplo, é dizer “Eu sou seu pai, então faça o que eu mando”. Isto é terrível numa tentativa de negociação: impõe um princípio de autoridade que impede qualquer diálogo. Quando os pais abusam desta fórmula, é normal que o filho pare de expressar o que pensa. Ele pode tentar esconder o que faz dos pais, ou fingir atender aos seus desejos, mas dificilmente vai querer argumentar quando sabe que não tem nenhuma possibilidade de sair satisfeito do diálogo.

Você também deve evitar tentativas de manipulação e inconsistências. Se você combina algo, não é possível simplesmente mudar de ideia e justificar com o argumento de “nesse ponto não mudarei o que faço há tantos anos” ou “eu posso fazer o que eu quero e você não pode”. Essas situações irão aumentar a raiva e fazer seu filho adolescente ficar mais distante de você.

“A adolescência é a fase mais confusa. Somos tratados como crianças, mas esperam que ajamos como adultos.”
– Anônimo –

A conseqüência de cometer alguns erros ao negociar com seu filho é que o relacionamento com ele será prejudicado, não haverá harmonia ou possibilidade de crescimento. Nesse sentido, lembre-se de que todos podemos aprender com todos. Como pai, você é um guia e não deve impor algo de forma autoritária esperando que seu filho cumpra mesmo sem concordar. Por que não falar sobre isso e negociar? Isso não vai fazer você perder o respeito ou tornar o relacionamento simétrico.

Temos que ter em mente que nossos filhos são pessoas com sentimentos, que na adolescência começam a construir sua identidade e a definir seus valores. Eles podem pensar por si mesmos, e têm certas opiniões sobre diferentes tópicos que merecem ser respeitadas. Pense que se aprendermos a negociar com sabedoria, o relacionamento que mantemos com nossos filhos será muito melhor.

Adolescente e mãe conversando

Recomendados para você