No dia em que eu comecei a me amar

· março 15, 2018

No dia em que eu comecei a me amar, pude ver todas as coisas que perdia quando não me dava atenção. Aspectos que estavam guardados no meu interior e que nunca cheguei a imaginar. Eu me dei conta do quanto eu era importante e, principalmente, de que eu tinha que dizer isso a mim mesma. No dia em que eu comecei a me amar, pude me olhar no espelho e, curiosamente, gostei do que ele me devolvia. E a partir daí me tornei consciente do quanto eu era importante para mim.

No dia em que eu comecei a me amar, eu me dei conta de que não precisava de ninguém e bani o medo do abandono e da rejeição. Porque eu não preciso dos outros, mas os prefiro ao meu lado. Desde então, eu aprecio muito mais todas as pessoas que convivem comigo. Agora sei que elas não preenchem nenhum vazio porque se me falta alguma coisa não posso completar com o que vem de fora, mas sim com o que vem de dentro. As relações não preenchem vazios, simplesmente acompanham, oferecem afeto e criam momentos.

Meu ritmo de vida mudou no dia em que eu comecei a me amar. Eu parei de andar nas pontas dos pés e passei a andar a toda velocidade, a estar presente com os pés no chão. Agora eu aproveito o momento e, em vez de não esperar, vivo a espera tornando-a mais intensa e muito mais divertida. Exatamente nesse dia a minha visão do amor também mudou. Agora eu sei que amar também é aceitar os erros e saber corrigi-los, e que amar a si mesmo, de alguma maneira, implica encarar a si mesmo e se dar conta de que não somos perfeitos. Na verdade, eu percebi que o amor-próprio requer um grande trabalho a longo prazo.

No dia em que eu comecei a me amar, comecei a apostar em mim para não me deixar de lado. Além disso, nesse mesmo dia eu compreendi que foram as minhas decisões que me levaram ao lugar em que hoje estou e eu gosto disso, com os prós e contras incluídos, mas eu gosto de onde estou e, certamente, de como sou.

Eu comecei a me amar e de repente consegui encontrar a liberdade e a paz dentro de mim.

No dia em que eu comecei a me amar

Comecei a me amar e entendi que buscar fora não é a solução

Gostar de mim foi a melhor decisão que eu já tomei na vida. Graças a ela eu sei que somente quando já tiver acabado as construções, os consertos e as reformas internas é que eu poderei sair para buscar materiais lá fora. É fundamental estar com tudo bem mobiliado e sem nenhum tipo de tijolo partido. Meus pensamentos e minhas emoções, todas as minhas condutas são o que me fazem ser como eu sou junto com o que está ao meu redor. Por isso, quando alguma coisa não está bem, eu sei que primeiro devo olhar para dentro, depois para fora.

Talvez buscar fora alguma coisa e não encontrar seja um sinal de que eu estou procurando no lugar errado. Às vezes desistir também funciona. Começar a me amar me ensinou isso. E não é só isso, também me mostrou que eu ainda tenho um longo caminho a percorrer. Mas não importa porque eu tenho a melhor motivação de todas: ser a melhor versão de mim mesma, ou seja, praticar o amor-próprio todos os dias da minha vida.

 “Você mesmo, tanto quanto qualquer outro ser em todo o universo, merece o seu amor e o seu afeto.”
-Buda-

Mulher fazendo coração com as mãos

Amar a mim mesma não é ser egoísta

Amar a mim mesma não é ser egoísta nem narcisista. É simplesmente um aspecto fundamental que me impulsiona a me dar conta de como eu realmente sou e do que me ajuda a ser feliz. Porque se eu me amo, não preciso ser superior nem competir. Também não preciso ser a melhor, mas simplesmente melhorar e avançar na direção das minhas metas.

No dia em que eu comecei a me amar, eu aproveitei. E desde então vivo com vontade de viver. Eu me amo sim e digo isso bem alto. Eu não sinto medo, me protejo e me deixo levar. Aprecio o de fora ainda mais e aproveito quando sou querida, mas não porque me sinta menor e precise disso, mas porque gosto e vivo com intensidade.

O dia em que eu comecei a me amar foi mágico! Eu só desejo que aconteça com você também para que você comece a sentir como você é maravilhosa ou maravilhoso, para que você descubra tudo que está aí dentro de você e que você não demonstra por medo. Mas desejo principalmente que você possa aproveitar a sua própria companhia. Eu já comecei a me amar. E você, está preparado?

Coração desenhado em vidro