O desenvolvimento da vida profissional

· dezembro 9, 2018

Durante o desenvolvimento da vida profissional, encontramos amigos e inimigos, adquirimos um senso de competência, cumprimos uma série de objetivos, aprendemos com os nossos erros e alcançamos as nossas metas. A nossa profissão é uma parte importante da nossa identidade e do nosso contexto social. Ter um emprego é ter um modo de vida e, é claro, uma remuneração para se sustentar. No entanto, a carreira profissional é muito mais do que isso.

A vida profissional será muito diferente dependendo do estágio da vida em que nos encontramos, já que dependendo disso, a nossa visão do trabalho será de uma forma ou de outra. Neste artigo, falaremos sobre as conclusões derivadas dos estudos e pesquisas sobre o desenvolvimento da vida profissional.

Dessa forma, podemos dizer que existem 3 fases ou momentos importantes relacionados à nossa vida profissional: a busca pelo trabalho, a sua realização e posse, e a subsequente aposentadoria.

As etapas do desenvolvimento da vida profissional

A busca por um emprego

Um dos principais objetivos dos jovens adultos é encontrar um emprego que lhes permita ser produtivos e ter recursos suficientes para alcançar a autonomia. Este último objetivo é considerado uma das razões pelas quais os jovens escolhem as posições que são mais bem remuneradas. Por outro lado, os idosos que já têm autonomia garantida terão como objetivo principal a satisfação no trabalho.

Entrevista de emprego

Lembre-se de que existem muitos fatores que influenciam o caminho e a eficácia da procura de emprego. Uma das mais importantes é a família de origem do jovem candidato a um emprego. Por exemplo, a família pode influenciar diretamente utilizando a sua rede de apoio social para ajudar a conseguir um emprego para os seus filhos, ou mantendo um certo papel ou status de emprego determinado.

No entanto, a família também pode influenciar indiretamente a busca pelo trabalho, facilitando a possibilidade de acessar o treinamento adequado ou promovendo certas atitudes ou comportamentos.

Por outro lado, um aspecto central na busca pelo trabalho é o status social. As pesquisas mostram que as famílias muitas vezes transmitem o seu status social para seus filhos e influenciam a sua vida profissional. Dessa forma, as famílias trabalhadoras, que no trabalho devem mostrar obediência à autoridade, muitas vezes veem a obediência dos seus filhos como uma atitude positiva. Isso pode implicar no perigo de ficar preso na mesma vida social ou econômica dos pais, se for levado a extremos.

A vida com um emprego

Uma vez que conseguem um trabalho, os objetivos ou metas dos indivíduos consistem em mantê-lo no emprego ou obter uma posição de maior qualidade. É importante ter em mente que a vida profissional atual é muito mais dinâmica do que no passado, por isso os jovens estão mais motivados a mudar de emprego.

Há dois aspectos centrais na avaliação do trabalho que determinarão a sua manutenção: remuneração e qualidade do trabalho. O salário representa a motivação extrínseca do trabalho. Embora no início tenha grande importância, será colocado em segundo lugar de acordo com o desenvolvimento da vida profissional.

Por outro lado, a qualidade do trabalho seria o fator motivacional intrínseco, que determinará o grau de satisfação. Afinal, o objetivo final do emprego é cumprir as aspirações de produtividade e qualidade de vida, e isso geralmente está mais relacionado com a qualidade do trabalho do que com a remuneração.

Aposentadoria: o fim da vida profissional

Todas as etapas chegam ao fim, e a aposentadoria representa o final da vida profissional. Devemos ter em mente que a aposentadoria não precisa ser um corte brusco da vida profissional, mas sim uma transição. É um estágio que cada pessoa viverá de uma determinada maneira, de acordo com o desenvolvimento profissional e as suas aspirações.

Homem aposentado

Dessa forma, podemos dizer que existem 3 maneiras diferentes de assumir uma aposentadoria:

  • Lua de mel: é o caso daqueles indivíduos que começam a realizar todas as atividades que desejavam fazer, mas a sua vida profissional não permitia. Eles agora têm tempo para viajar, estudar, descobrir hobbies, etc. Geralmente são pessoas que assumem a aposentadoria de forma voluntária e feliz, e têm recursos financeiros suficientes para desfrutar dessa “lua de mel”.
  • Descanso e relaxamento: Neste caso, o adulto assume a aposentadoria para descansar das obrigações que ele precisou suportar durante a sua vida ativa.
  • Continuidade: São pessoas que continuam realizando atividades relacionadas à sua vida profissional após a aposentadoria. Aqui encontramos aqueles indivíduos que estavam satisfeitos com o seu trabalho e desejavam continuar com ele, descartando as antigas obrigações profissionais.

Como podemos ver, a aposentadoria é o final da vida profissional, mas não é o fim da vida. Embora para muitas pessoas seja uma crise devido à perda de produtividade e atividade, é uma etapa da vida com novos desafios, comportamentos e objetivos.