O que devemos abandonar para sermos felizes

O que devemos abandonar para sermos felizes

1, maio 2015 em Emoções 737 Compartilhados
felizes

Existem situações e pessoas que não nos fazem nenhum bem, e seria muito melhor deixá-los ir de nossas vidas: aquele amigo mentiroso, a ideia de que é preciso agradar os outros ou a obsessão pelo passado.

A obsessão pelo passado

Uma pessoa que se sente culpada ou se arrepende do que fez no passado pode entrar num círculo vicioso de lágrimas, tristeza e depressão. Muitas vezes nos esquecemos de que não podemos mudar o passado, e a única forma de sermos felizes livres é o esquecimento. Se você realmente prejudicou alguém, tente reparar os danos causados pelos seus erros. Perceba que existem coisas que não podem ser mudadas e se perdoe, reconheça seus erros, mude seus comportamentos e siga em frente.

Aquele amigo problemático

A amizade é um dos tipos de relacionamentos que mais enriquecem a vida humana. Alguns dos nossos amigos estão conosco desde a infância; outros vamos conhecendo ao longo da vida. Se algum desses amigos só lhe causa problemas, lhe engana, se aproveita da sua boa-fé, lhe decepciona ou provoca qualquer tipo de constrangimento frequentemente, talvez tenha chegado a hora de terminar essa amizade. Isso muitas vezes gera um grande conflito interno, porque nos sentimos responsáveis pelos nossos amigos e acreditamos que devemos ajudá-los sempre. Lembre-se de que a pessoa mais importante da sua vida é você, e se essa situação lhe está afetando negativamente, procure o seu bem estar.

Agir como os outros desejam

Você pode ter um amigo, o pai, a mãe ou um companheiro que vivem querendo mudar seu comportamento. Eles provavelmente desejam o melhor para você, mas isso pode colocar em risco a sua identidade, ou seja, o que você é. Às vezes, mesmo sem querer, essas pessoas podem lhe causar muito sofrimento. É uma mistura de sentimentos: você se sente culpado, não quer decepcioná-los, mas ao mesmo tempo, não quer desistir dos seus sonhos. Viver a vida do outro é uma bomba que acaba explodindo cedo ou tarde, e a recompensa por tentar agradar não compensa a eventual perda de si mesmo. Ninguém tem o direito de decidir como você deve agir ou se comportar.

A liberdade de “ser”

Algumas pessoas permanecem em nossas vida porque estão acostumadas ao conforto que lhe damos, porque temem nos deixar sozinhos, pois não acreditam que podemos ser independentes ou porque estamos exercendo algum tipo de coerção. Nesses casos, você não vai conseguir alcançar a felicidade. Quando uma pessoa não está feliz ao nosso lado, ficamos infelizes também. Algumas relações não são saudáveis para nenhum dos envolvidos; não fique cobrando e exigindo que o outro seja o que ele não pode ser.

Para ser feliz, o importante é “ser e deixar ser”. Viva o presente, valorize suas conquistas, diga sim à vida, aos novos projetos e a si mesmo.

Recomendados para você