Os 5 pecados emocionais – A mente é maravilhosa

Os 5 pecados emocionais

setembro 18, 2015 em Emoções 2 Compartilhados
pecados emocionais

Frequentemente falamos sobre um infinidade de ferramentas para obter bem-estar emocional e desenvolvimento pessoal, para que possamos nos sentir plenos e felizes em nosso interior. No entanto, também é bom falar um pouco sobre as “partes” menos positivas, que são obstáculos para o crescimento pessoal.

Hoje contaremos quais são os 5 pecados emocionais, de acordo com Norberto Levy, psicoterapeuta argentino de grande reconhecimento no campo da Inteligência Emocional.

Estas cinco emoções básicas são aquelas que costumam desencadear maior sofrimento ao longo de nossas vidas. Grande parte deste sofrimento é provocado por falta de cultura emocional em nossa sociedade, assim como por uma falta de compreensão da razão e o significado real das emoções que surgem em nossa mente. Ele também deriva, acima de tudo da nossa incapacidade de controlar nossas emoções e usá-las adequadamente em nosso dia a dia.

O desconhecimento de cada uma das funções de nossas emoções não é, de forma alguma, um “pecado”, mas se torna uma limitação. A tarefa de nos adaptarmos ao mundo se torna mais difícil, e a entrada do sofrimento em nossas vidas é facilitada, ainda que ele seja totalmente desnecessário.

Neste artigo, convido-lhes a conhecer e sentir estas “emoções obscuras” sob um ponto de vista mais saudável e real, com compreensão e consciência, e não com culpa, medo, raiva, etc… como até agora estivemos acostumados a fazer.

Os 5 pecados emocionais

– A culpa

– O medo

– A inveja

– A raiva

– O perdão

Conhecer estas emoções é apenas o primeiro passo no caminho da aprendizagem emocional. Como lidamos com elas é o que irá influenciar tremendamente as nossas vidas.

Para aprofundar o assunto, convido-lhes também a ler as seguintes frases de habilidade emocional:

  • “Na escola nos ensinaram matemática, geografia, história, etc, mas não nos ensinaram a expressar nossos sentimentos.”
  • “Quando conhecemos a nós mesmos, estamos dando aos filhos a oportunidade de que se sintam livres e com força suficiente para experimentar, sem temores nem restrições, seu próprio mundo emocional.”
  • “A aprendizagem é o seguinte: de repente você entende algo que compreendeu por toda a sua vida, mas de forma diferente.”
  • “Não se encontra a liberdade procurando-a, mas sim compreendendo o que aprisiona a mente. Quando estes muros carcerários caem por terra, então há, naturalmente, liberdade, e você não precisa procurá-la.”
  • “Todo sentimento de culpa é uma perda de tempo.”
  • “Não tema suas emoções; o que você realmente teme é o sofrimento elas provocam quando você tenta fugir delas.”
  • “Eu também me chateio, mas não fico com raiva da minha chateação.”
  • “Não é a carga que te destrói, mas a forma que ela toma.”
  • “Controlamos compulsivamente as emoções obscuras quando não temos a capacidade de tolerá-las. Muito controle desse tipo acaba produzindo o efeito contrário: a exposição emocional… eu chamo de efeito bumerangue emocional.”
Recomendados para você