Os efeitos do estresse na pele

Como a ansiedade afeta nossa derme? O que podemos fazer para evitar isso? Descubra aqui!
Os efeitos do estresse na pele

Última atualização: 15 maio, 2022

Um estado nervoso contínuo é ruim para o organismo como um todo. No entanto, os sinais mais visíveis são os efeitos do estresse na pele, primeira barreira defensiva do organismo.

Apesar de os transtornos mentais serem cada vez menos estigmatizados, ainda não recebem a atenção necessária das instituições. Isso leva muitas pessoas (especialmente aquelas que não têm recursos para acessar a saúde mental privada) a buscarem maneiras de gerenciar essas questões por conta própria.

A pele é um dos órgãos mais delicados do corpo. Por esse motivo, é de se esperar que seja um dos primeiros afetados quando o estresse se tornar normal em nossas vidas. Neste espaço você encontrará todos os sinais de que seu nível de cortisol está começando a afetar seu corpo.

Quais são os efeitos do estresse na pele?

Você provavelmente já notou que, quando está estressado, a aparência da pele se deteriora. E não é apenas que sua expressão é mais sombria ou que você tem olheiras quando dorme mal, mas também que a acne aparece mais facilmente ou as feridas cicatrizam mais lentamente, entre outros efeitos.

Todos esses sinais respondem a mecanismos químicos regulados por hormônios no sangue que, por sua vez, estão respondendo a um estado de alerta psicológico que dura muito tempo. Vamos ver os mais importantes.

Garota coçando o braço
O estresse pode causar urticária e outros tipos de erupções cutâneas.

1. Acne

Foi demonstrado que o estresse psicológico piora a acne. À medida que o nível de cortisol no sangue aumenta, a pele secreta mais gordura, de modo que o aparecimento de cravos e espinhas tende a aumentar.

2. Dermatite atópica

A pele fica mais sensível em estados de estresse. Isso é “útil”, pois os sentidos são aguçados em tempos de perigo, mas não continuamente.

O círculo vicioso da coceira acaba complicando a condição da pele, fazendo com que essa doença apareça. A dermatite se apresenta com vergões, eczema ou erupções cutâneas.

3. Dermatite seborreica

Seguindo a linha anterior, na qual se comentava que o cortisol aumenta a produção de sebo na pele, também é possível encontrar uma dermatite produzida por esse fenômeno. Como na atópica, aparecem lesões na pele que são agravadas pelo coçar contínuo.

4. Surtos de psoríase

A psoríase é uma doença crônica caracterizada pela aceleração do ciclo de vida das células da pele, que morrem prematuramente. No entanto, sabe-se que o estresse causa episódios mais frequentes.

5. Sinais de envelhecimento da pele

Quando a pele detecta eventos estressantes do lado de fora, como temperatura ou pressão, ela envia sinais para o eixo hipotálamo-hipófise-adrenal, que desencadeia a liberação de cortisol e outros hormônios que movem o sujeito para resolver o suposto problema.

Esse mecanismo de defesa, quando ativado cronicamente, afeta o suprimento sanguíneo da pele, pois é desviado para os músculos e órgãos responsáveis por desencadear as respostas de luta, congelamento e fuga. Assim aparecem os efeitos mais marcantes do estresse na pele:

  • Rugas.
  • Flacidez.
  • Manchas.
  • Pele sem brilho.
  • Perda de elasticidade.
Mulher com manchas no rosto
O estresse gera a produção de cortisol que inflama a pele.

6. Infecções e problemas de cicatrização

O estresse também enfraquece o sistema imunológico. Portanto, é muito provável que, além de adoecer com mais frequência, você perceba que suas feridas fecham mais lentamente e tendem a infeccionar com mais frequência. Isto é especialmente observado no caso da acne.

O que fazer para evitar os efeitos do estresse na pele

Como a raiz do problema é o estresse crônico, a primeira coisa que você deve atacar é isso. Corrigi-lo, no entanto, é um processo complexo.

Portanto, nunca subestime a ajuda de um profissional de psicologia. Enfrentar os problemas da vida em estado de medo, nervosismo e angústia não é fácil e muitas vezes você nem sabe por onde começar. Aliviar esse estresse não apenas melhorará a saúde da sua pele, mas sua vida em geral.

Por outro lado, enquanto você resolve esse problema, você pode combater os efeitos do estresse na pele com um tratamento que melhore sua aparência e saúde. Para isso, você pode consultar seu médico.

Pode interessar a você...
Pele e emoções: qual é a relação entre elas?
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
Pele e emoções: qual é a relação entre elas?

Temos várias evidências do relacionamento revelador que existe entre pele e emoções. Falamos sobre algumas delas neste artigo.



  • Gracia, M.J. y Ruiz, S. Estrés, calidad de vida y psoriasis: estado actual. Psiquiatr Biol. 2001;08:141-5
  • Cheng, Yi., Lyga, John.Brain-Skin Connection: Stress, Inflammation and Skin Aging. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4082169/
  • Alonso, O. E. R., Sánchez, M. B. R., Fernández, M. H., & González, M. A. (2019). Aspectos de interés sobre dermatitis atópica, su diagnóstico y tratamiento. Revista Médica Electrónica41(2), 496-507.
  • Chiu, A., Chon, S. Y., & Kimball, A. B. (2003). The response of skin disease to stress: changes in the severity of acne vulgaris as affected by examination stress. Archives of dermatology139(7), 897-900.
  • Acuña De La Rosa, J. J., Altamar Castro, G. A., & Oñoro Vargas, P. R. (2020). Acné y estrés: Una problemática común entre los estudiantes de medicina.