Por que a estatística é útil na psicologia?

· maio 5, 2018

Existe uma matéria que costuma chamar muito a atenção dos estudantes que começam a estudar o curso de psicologia. Trata-se da estatística. Pensando que haviam se livrado dos números, logo aparece essa angustiante realidade. Qual é a utilidade da estatística na psicologia? Por que ela tem alguma serventia para um psicólogo ou para alguém que se interesse por este campo?

Quando se cursa psicologia nos deparamos com matérias como “Fundamentos da Pesquisa”, “Análises de dados”, “Desenhos de Pesquisa”, “Psicometria” ou similares. Falamos de matérias cujo fundamento está ligado diretamente à estatística. Por outro lado, essas matérias não costumam ser as mais apreciadas por quem opta pela carreira na psicologia, já que muitos estudantes não gostam e não se sentem motivados a estudá-las.

Neste artigo trataremos de responder às perguntas que muitos alunos e curiosos se fazem ao encará-las. Para desenvolver estas respostas, falaremos sobre a psicologia como ciência e a utilidade da estatística nessa profissão.

A pesquisa na psicologia e sua metodologia

Lembremos que a psicologia é uma ciência. Todas as conclusões derivadas desta disciplina procedem (ou deveriam proceder) da aplicação de um sistema exaustivo e confiável denominado método científico. Esse método se baseia no acúmulo progressivo de evidências utilizando diferentes recursos matemáticos.

Pessoas analisando estatísticas

A psicologia é uma disciplina ampla e com aplicações em diferentes áreas: clínica, educativa, esportiva, social, empresarial, etc… Entretanto, por trás da aplicação se encontra a pesquisa; quer dizer, o contraste da eficiência dos procedimentos aplicados. Esse contraste requer a estatística como instrumento. Na hora de tirar conclusões acertadas sobre a realidade observável, precisamos da matemática para avaliar o significado dos resultados obtidos nas experiências e pesquisas.

Se não existisse a estatística na psicologia, não poderíamos saber se os resultados observados seriam válidos e confiáveis. Uma correta metodologia e o estudo matemático aportam a segurança necessária aos dados que obtivemos em nossas pesquisas, o que será útil quando tivermos a intenção de aplicá-los a situações reais.

A psicologia é uma ciência e, por essa razão, é necessário utilizar um sistema abstrato que permita trabalhar de forma mais imune possível a opiniões e subjetividade. Esse sistema é um método científico, e um de seus principais aspectos é a utilização da estatística como ferramenta. Por essa razão é de suma importância que os psicólogos se dediquem a estudá-la e compreendam profundamente pelo menos seus fundamentos.

A utilidade da estatística na psicologia

Um estudante recém-ingressado no curso de psicologia pode achar que estudar estatística não tem qualquer utilidade. Porém, em pouco tempo esse mesmo estudante de psicologia se dará conta de que esses recursos matemáticos fazem muita falta para entender profundamente a matéria. Constantemente iremos nos deparar com dados e estatísticas de diversos estudos, como os coeficientes de variabilidade e confiabilidade de testes utilizados em terapias, modelos matemáticos de processos cognitivos…

Por razões óbvias, se você tem interesse em se dedicar à pesquisa no campo da psicologia (ou simplesmente ter uma formação mais completa para seus trabalhos), a metodologia e a estatística são essenciais para que você possa avaliar realmente o peso das conclusões obtidas na pesquisa que tem em mãos. Assim, poderá avaliar até que ponto o procedimento que foi utilizado pelos pesquisadores é o mais apropriado ou até que ponto os resultados obtidos são confiáveis.

Conexões cerebrais

Tanto na psicologia clínica quanto em outros campos aplicados, é exigida de nós uma formação contínua; o que significa estar atentos a novas atualizações da disciplina. Se queremos conhecer e interpretar as conclusões da psicologia acadêmica, é necessário contar com conhecimentos mínimos de estatística e metodologia. Por isso, inclusive nas áreas mais remotas da pesquisa, qualquer psicólogo se vê “obrigado” a ter conhecimentos de estatística e análises de dados.

A estatística na psicologia é uma matéria que provoca muito medo e um pouco de dor de cabeça nos estudantes. Porém, é bastante gratificante e útil saber utilizar os recursos que ela oferece. Por essa razão, é importante que os estudantes e interessados se dediquem com entusiasmo ao estudo da metodologia e da análise de dados.