Como passar da tristeza para a criatividade 

· julho 21, 2018

A tristeza é uma emoção que pode surgir a qualquer instante. Trata-se de uma sensação intensa que pode fazer com que nos sintamos para baixo e com um grande mal-estar. No entanto, também podemos utilizá-la como uma ferramenta para tirar o melhor de nós e passar da tristeza para a criatividade.

Aprendemos que a felicidade é um estado permanente que podemos alcançar. Isso nos faz pensar que se sentir triste é algo ruim, mas nem sempre é assim. Há um momento para cada emoção, por isso é importante que nos permitamos senti-las e expressá-las. Dessa forma, a tristeza é uma emoção necessária e da qual também podemos tirar proveito.

Já que essa emoção também faz parte da nossa vida, ao nos permitirmos senti-la, podemos aprender muito. Tudo depende da perspectiva que temos e da atitude que adotamos. Existem diversas formas de tirar proveito da tristeza, mas uma delas é usar a arte para isso. Por essa razão, vamos apresentar neste artigo quatro segredos para que você possa passar da tristeza para a criatividade.

Conselhos para passar da tristeza para a criatividade

1. Conecte-se consigo mesmo

Veja o mais profundo de si. Muitas vezes é difícil aceitar a tristeza porque pensamos que temos que estar sempre bem. Acreditamos que senti-la é algo ruim, o que pode acabar gerando um sentimento de culpa. No entanto, se nos permitirmos sentir essa emoção, podemos nos conectar com a nossa essência e criar coisas únicas. 

Mulher sentindo o vento na natureza

Passar da tristeza para a criatividade consiste em aproveitar este sentimento de dor para remodelar nosso mundo interno criando. Através da arte, podemos transformar essa emoção expressando o que nos incomoda, traduzindo o que sentimos e pensamos em nossa obra, ou focando nossa atenção no que queremos melhorar.

“A arte mais poderosa da vida é fazer da dor um talismã que cura. Uma borboleta renasce florida em uma festa de cores!”
-Frida Kahlo-

A criatividade vem do mais profundo do nosso ser. Por isso, ao estabelecer um vínculo com nós mesmos, teremos mais facilidade para evocá-la. Pelo fato da tristeza muitas vezes ser uma emoção intensa que se mistura aos nossos aspectos mais íntimos, podemos tirar dela o nosso lado mais criativo se nos conectarmos com o nosso interior. Trata-se de mergulhar no mais profundo de nós mesmos e de expressar isso através da arte.

Uma vez misturada aos nossos sentimentos, se tentarmos expressá-los, a criatividade sairá à flor da pele. Conecte-se com a emoção e deixe que flua. Está em você o poder de criar e de curar esta ferida emocional. Este processo não precisa ser rápido, você pode ir se conhecendo aos poucos. Desta maneira, será cada vez mais simples fazer florescer o seu lado criativo.

2. Escolha um lugar onde você se sinta confortável

É mais fácil se sentir inspirado se você estiver em um lugar onde se sente confortável. Cada pessoa tem seu próprio cantinho para encontrar tranquilidade e harmonia. Como todos nós somos diferentes, a escolha vai depender de cada um. Não há um lugar específico. Você escolhe.

Pense, de todos os lugares que você conhece, qual é o seu favorito? Você pode até escolher um lugar ao qual nunca foi antes, explorar e decidir se este é um espaço agradável para você. O importante é que seja um lugar no qual você se sinta confortável e onde possa expressar sua criatividade ao máximo.

Escolher o lugar adequado é fácil, pense em um lugar que seja acolhedor. Onde você sente uma certa magia e pode ser livre para expressar tudo que sente?

3. Selecione o material que você mais gosta

Uma vez que você tenha encontrado o lugar, comece a pensar com que tipo de arte você se sente mais confortável. Por exemplo, o teatro, a dança, a escrita, a pintura, a música… existem muitas opções: Qual é o seu preferido? Com qual você se sente mais confortável?

Saiba que você pode usar o que quiser, que as possibilidades são infinitas na hora de escolher o material. Uma vez que você tiver escolhido a arte que quer explorar, escolha quais elementos são necessários. Fornecemos aqui algumas ideias para que você possa usar a tristeza e transformá-la em criatividade, mas lembre-se: Ninguém além de você mesmo sabe o que é do seu agrado.

  • Um material no qual você possa pintar, acompanhado de lápis de cores, tintas, giz de cera, cartolinas, aquarelas, etc.
  • Uma roupa confortável para dançar ou atuar se conectando com o mais profundo de si mesmo, acompanhado da sua música favorita. Mesmo em artes que não exijam tanto movimento, é igualmente importante se sentir confortável. 
  • Folhas brancas para compor uma canção, um poema, uma história ou um conto. Crie o melhor texto! Você só precisa de lápis e papel. Inclusive, se preferir, você pode usar o computador.
  • Use seu próprio corpo para fazer uma obra de teatro ou alguma cena, procure os elementos que melhor se adaptem a você.
  • Um instrumento. Componha sua própria canção ou interprete alguma criada por outra pessoa. Se você não souber tocar, cantar está ao alcance de todos. 
  • Crie uma arte no seu computador. Editar um vídeo é um exemplo muito divertido.
  • E se você fizer uma escultura? Encontre o material que melhor se adapte aos seus gostos e habilidades, e mãos à obra.
Mulher fluindo

As ideias são infinitas, basta deixar a sua imaginação voar e colocar o plano em ação. Lembre-se de que uma vez que você escolher a arte a ser feita, deve procurar os elementos necessários para realizar sua obra, e então começar a traduzir suas ideias nela.

4. Comece a traduzir o que você sente

Para transformar a dor em arte, deixe fluir tudo que está preso em sua garganta e comece a explorar os materiais de sua obra. Você pode testar o que vier a sua mente, já que uma vez iniciado o projeto, vai ser mais fácil continuar. Trata-se de ir tentando até que a sua criatividade apareça por completo e você possa expressar tudo que quer e precisa.

Permita-se pensar no que o atormenta, atreva-se a ser você mesmo e comunique tudo que você sente. Remodelar o que tanto lhe faz mal é possível. Uma das melhores formas de fazê-lo é pensar no que o incomoda e dar um novo sentido a isso, para aprender com esta experiência ou para deixar o que lhe faz mal ir embora.

E se você não se sentir seguro para começar sozinho, não se preocupe: você pode fazer isso através da arteterapia, uma forma de ajuda psicológica que busca o bem-estar pessoal através da arte. Trata-se de uma aventura fantástica que busca o autoconhecimento através da criação. Consiste em buscar a solução para os seus problemas através da representação artística.

Passar da tristeza para a criatividade é um método para tirar o melhor daquilo que nos faz mal. Além disso, favorece a conexão com nós mesmos, permite que exploremos nossa criatividade através de diferentes materiais e tipos de arte, e que coloquemos neles os nossos sentimentos mais íntimos.

Sinta a tristeza, deixe-se levar pela criatividade, construa, remodele, deixe que o mais profundo que existe em você flua. Passar da tristeza para a criatividade pode ser tão fácil quanto abrir a sua mente e aceitar que a dor é uma emoção que pode trazer algo positivo.

“A arte da vida consiste em fazer da vida uma obra de arte.”
– Voltaire –