Personalidade de alto conflito e imaturidade emocional

A imaturidade emocional é uma característica das pessoas propensas a conflitos, assédio e comportamentos problemáticos. Por trás desses perfis, pode se esconder um transtorno de personalidade.
Personalidade de alto conflito e imaturidade emocional

Última atualização: 10 maio, 2022

Personalidade de alto conflito e imaturidade emocional quase sempre andam de mãos dadas. Além disso, essas características se integram ao que conhecemos como transtornos de personalidade do tipo B e são, em geral, mais comuns do que pensamos. São perfis muito problemáticos que, em muitos casos, estão por trás do comportamento violento nas relações amorosas.

O seu pensamento é muito rígido, demonstrando visões de “tudo ou nada” ou de que “você está comigo ou você está contra mim” e, como não poderia deixar de ser, o clássico “sou eu quem manda aqui”. São intimidadores natos, especialistas em assédio e abuso emocional, bem como hábeis estrategistas da desarmonia na família, nas relações e, é claro, no trabalho. Poderíamos dizer, sem dúvida, que essas pessoas trazem problemas por onde passam.

Embora esse alto nível de conflituosidade, por si só, não defina uma entidade clínica como tal, este é, de fato, um traço presente em mais de um transtorno de personalidade. Alguns exemplos disso são o transtorno antissocial, o transtorno de personalidade borderline ou o transtorno narcisista, entre outros. Em todos eles há também uma clara desregulação emocional, bem como uma incapacidade para transitar no mundo das relações…

Mulher estressada gritando com seu parceiro devido à personalidade de alto conflito e imaturidade emocional
Manter um relacionamento amoroso com uma pessoa viciada em conflitos pode ser tão problemático quanto perigoso.

Personalidade de alto conflito e imaturidade emocional: como são essas pessoas?

Bill Eddy é escritor, advogado, terapeuta, mediador e presidente do High Conflict Institut. Um de seus livros mais conhecidos é High Conflict People in Legal Disputes. Neste trabalho, ele explica como a personalidade de alto conflito é uma figura persistente nos tribunais do mundo todo. A razão? As denúncias por conflitos interpessoais são uma constante em suas vidas.

As pessoas de alto conflito (HCP, na sigla em inglês) exibem um comportamento quase sempre ameaçador, problemático e prejudicial. Embora seja verdade que algumas delas têm uma melhor capacidade de conviver com os outros, a verdade é que boa parte desses homens e mulheres muitas vezes acabam diante de um juiz.

Uma pesquisa da Universidade de Oslo destaca algo interessante. Esse comportamento está associado aos transtornos de personalidade do tipo B. Se nos perguntarmos por que agem, respondem e são como são, há duas variáveis que parecem explicar esses traços: fatores ambientais e influências genéticas.

Uma característica quase constante das personalidades de “alto conflito” é a imaturidade emocional.

O peso da imaturidade emocional no alto conflito

Podemos definir a maturidade emocional como a capacidade de enfrentar qualquer situação de forma equilibrada e ponderada. Trata-se de aplicar a empatia e a consciência emocional para entender e tratar os outros com respeito. Toda pessoa com estas competências lida e administra as suas relações, desafios, problemas e necessidades de forma adequada, conhecendo tanto as suas emoções quanto as dos outros.

Em contraste, a personalidade de alto conflito carece de autorreflexão e autoconsciência, tendo a idade emocional de uma criança de três anos. Assim, não toleram a frustração, sentem-se ofendidos por quase qualquer situação, são impulsivos e dominados pelos medos. Mas que medos são esses? Podemos nos perguntar. Na verdade, são muitos.

Alguns têm medo de serem abandonados, traídos, de não serem o centro das atenções e até mesmo de que outros tenham algum tipo de controle sobre eles. Ou seja, são perfis claramente patológicos.

Quais são as características que definem a personalidade de alto conflito?

A personalidade de alto conflito tem como principal característica a sua capacidade de causar danos relacionais. É algo inegável. Toda pessoa que tem um relacionamento amoroso com um homem ou uma mulher com esses traços sabe bem disso. Também sabem disso aqueles que têm um filho de alto conflito, bem como os ambientes de trabalho que tiveram um funcionário que só trouxe problemas e disputas.

Não é difícil identificar essas figuras, pois, em geral, apresentam essas características marcantes:

  • Tendência a culpar os outros por quase qualquer frustração ou problema que tiverem. Nunca assumem a responsabilidade por nada. O mundo sempre está contra elas, e é comum que reforcem um pensamento conspiratório.
  • Pensamento de tudo ou nada. Não refletem, não levam em conta os pontos de vista alheios e são capazes de romper qualquer relacionamento (inclusive amorosos e de amizade) só porque foram contrariadas.
  • Incapacidade de controlar as emoções. Geralmente mostram reações exageradas, tais como gritos, explosões de raiva, etc.
  • Comportamentos extremos são outra dimensão recorrente no alto conflito. Ou seja, isso significa que podem agir de forma violenta, quebrando coisas, empurrando ou agredindo.
Homem que sofre desregulação emocional devido à personalidade de alto conflito
Entre as personalidades de alto conflito estão os histriônicos, que procuram ser o centro das atenções a todo custo e em qualquer circunstância.

Os 5 tipos de personalidades conflituosas

Existem 5 tipos de personalidades conflituosas e todas elas podem revelar desde um transtorno antissocial até um transtorno narcisista. São pessoas que nem sempre têm consciência das consequências do seu comportamento e que raramente procuram ajuda profissional. De fato, é comum que sejam encaminhados para terapia ou para um programa específico por ordem judicial, em decorrência de algum delito cometido.

Vamos entender esses perfis que geralmente mostram uma personalidade de alto conflito:

  • Os borderline: mostram um medo obsessivo do abandono, são muito instáveis, dependentes e geralmente formam relacionamentos “intensos e instáveis”.
  • Narcisistas: procuram ser o centro das atenções e são arrogantes, dominadores, manipuladores, distorcem a verdade e procuram sempre se colocar acima dos outros.
  • Pessoas antissociais: são insensíveis, não obedecem a regras, são impulsivas, hostis, hábeis para dominar os outros e claramente problemáticas em todos os níveis.
  • Os paranoicos. A dimensão mais característica deles é o medo de serem traídos. Esse medo leva a reações exageradas.
  • Os histriônicos. São pessoas que também demonstram medo do abandono, o que faz com que se mostrem excessivamente gentis, sociáveis e amigáveis. No entanto, caem no excesso e até mesmo na agressividade.

Para terminar: Não nos enganamos se alertamos que esse tipo de perfil mostra os comportamentos mais extremos e perigosos. Qualquer relacionamento pessoal com alguém com essas nuances deixa uma ferida e uma marca dolorosa. Por isso, é importante saber identificá-los e também estabelecer expectativas realistas com eles. Afinal, não é fácil lidar com alguém que não tem consciência das suas ações.

This might interest you...
Personalidade tipo B: características principais
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
Personalidade tipo B: características principais

Neste artigo, vamos nos focar na classificação desenvolvida pelos cardiologistas Rosenman e Friedman para explicar a personalidade tipo B.



  • Dingfelder, S. (2004). Treatment for the ‘untreatable’. American Psychological Association, 35 (3).
  • Eddy, Bill (2018). 5 Types of People Who Can Ruin Your Life: Identifying and Dealing with Narcissists, Sociopaths, and Other High-Conflict Personalities.  J.P.Tarcher
  • Eddy, Bill (2012) High Conflict People in Legal Disputes. HCI Press 
  • Lester, G.W. (2018) Advanced Diagnosis, Treatment, and Management of DSM-5 Personality Disorders. Ashcroft Press.
  • Torgersen S, Czajkowski N, Jacobson K, Reichborn-Kjennerud T, Røysamb E, Neale MC, Kendler KS. Dimensional representations of DSM-IV cluster B personality disorders in a population-based sample of Norwegian twins: a multivariate study. Psychol Med. 2008 Nov;38(11):1617-25. doi: 10.1017/S0033291708002924. Epub 2008 Feb 14. PMID: 18275631.