Transtorno de personalidade narcisista no cinema

Muitos diretores de cinema recorrem ao narcisismo para criar personagens que despertem a curiosidade do espectador e sirvam de eixo para provocar mudanças surpreendentes no fio da trama.
Transtorno de personalidade narcisista no cinema

Última atualização: 04 Novembro, 2021

Os distúrbios psicológicos têm sido uma boa fonte de inspiração para as telonas. Eles permitem moldar enredos e reviravoltas emocionantes que, sem dúvida, despertam o interesse do espectador. Como o transtorno de personalidade narcisista costuma ser apresentado no cinema?

Muitos diretores se voltaram para temas desse tipo por diferentes motivos: culturais, sociais e reflexivos. Certamente você já viu um filme que aborda esse transtorno, mas é possível que não saiba exatamente quais são suas características mais significativas. Portanto, apresentaremos alguns exemplos que oferecem um entendimento mais específico a seguir.

O que é o transtorno de personalidade narcisista?

Via de regra, falamos de um transtorno de personalidade em que as pessoas costumam exigir muita atenção dos outros. A esse fato se soma a sua falta de abertura mental para conciliar seus interesses com os dos outros. Falaríamos de uma atitude egocêntrica.

Por outro lado, deve-se destacar que esse tipo de personalidade é um potencial gerador de conflitos. A insegurança se expressa na busca por destaque, independentemente das consequências. Ao mesmo tempo, essas pessoas costumam ser muito sensíveis às críticas, e a frustração surge quando um propósito não é alcançado.

“Quem vive apenas para si está morto para os outros.”
-Publio Siro-

Como o transtorno de personalidade narcisista é apresentado no cinema?

Este tema é interessante por causa das possibilidades que oferece ao permitir criar enredos e personagens diferentes. Vejamos alguns filmes em que o transtorno de personalidade narcisista aparece:

  • O filme Vanilla Sky, de Cameron Crowe, tem um enredo sombrio e único. David sofre de um claro distúrbio de autoestima, repleto de narcisismo. Na verdade, ele não aceita as condições impostas pelos demais e não tolera se posicionar pessoalmente abaixo das pessoas.
  • Outro exemplo é Psicopata Americano de Mary Harron. Nesta história vemos Patrick Bateman, um narcisista psicopata que se posiciona na elite social. Ele busca continuamente a perfeição física e pessoal, preenchendo seu vazio interior por meio de uma falsa aparência externa que o leva a cometer crimes sem remorso.
  • Remédio Amargo é outro dos filmes que, recentemente, tiveram um grande reconhecimento no Netflix. O diretor, Carles Torras, mostra um narcisista chamado Ángel que, após sofrer um grave acidente, permanece em uma cadeira de rodas e submete sua ex-namorada ao inferno, tornando-se um buscador compulsivo de atenção e satisfazendo suas necessidades emocionais.

O narcisismo de acordo com Woody Allen

Um dos diretores que mais se preocupa com a construção psicológica dos personagens é Woody Allen. Ele aborda o narcisismo com um toque picaresco, mesclando drama e comédia. Isso se reflete no filme Meia-Noite em Paris, no qual o egocentrismo e a arrogância estão presentes.
Ele chega a contemplar o amor a partir de um ponto de vista narcisista, onde o romantismo é idealizado dentro de uma cidade hedonista e apaixonada como Paris. O sarcasmo e a capacidade de viver emoções fortes estão presentes. Por isso, pode-se dizer que a a psicologia e o cinema estão intimamente relacionados.

Personagens com transtorno de personalidade narcisista

Alguns enredos enfocam aspectos simples do comportamento narcisista, mas esses papéis costumam ser ocupados por personagens relevantes, sejam eles protagonistas ou secundários. Alguns exemplos são encontrados em filmes de ficção, como Tony Stark no filme Homem de Ferro e Jonah Jameson em Homem-Aranha.

A necessidade de ser admirado é algo que está presente nas pessoas narcisistas, segundo Otto Friedmann Kernberg. Às vezes eles exigem essa atenção, e em outras ela vem naturalmente, como pode ser visto em títulos como O Lobo de Wall Street.

Em suma, esse transtorno se tornou referência para muitos roteiristas e diretores, que recorrem à psicologia como fonte de inspiração para criar suas produções.

Pode interessar a você...
Psicologia e cinema: o que têm em comum?
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
Psicologia e cinema: o que têm em comum?

Afinal, o que a psicologia e o cinema têm em comum? Provavelmente muito mais do que você pode imaginar. Descubra neste artigo!



  • García García, A. (2006). Psicología y cine. Vidas cruzadas. UNED. Madrid.
  • Kernberg, O. F. (2005). Agresividad, narcisismo y autodestrucción en la relación psicoterapéutica. México: El manual moderno.
  • Semerari, A. y Dimaggio, G. (2008). Los trastornos de la personalidad. Modelos y tratamiento. Bilbao: Editorial Desclée de Brouwer.
  • Trechera, José Luis, & Millán Vásquez de la torre, Genoveva, & Fernández Morales, Emilio (2008). Estudio empírico del trastorno narcisista de la personalidad (TNP). Acta Colombiana de Psicología, 11 (2), 25-36. [Fecha de Consulta 30 de Septiembre de 2021]. ISSN: 0123-9155. Disponible en: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=79811203