Podemos mudar nossa personalidade?

· agosto 6, 2018

Mudar nossa personalidade é algo que todos nós já desejamos, e até tentamos fazer, em algum momento. Isso pode ser devido a várias razões, mas a principal delas é que alguma característica da nossa maneira de nos relacionar com o mundo não nos agrada.

Antes de falar de mudanças, é necessário apontar a condição que as torna possíveis: a personalidade não tem uma estrutura fixa. Também é necessário derrubar um mito: ela não se torna fixa com a idade. O que geralmente acontece é que, com a idade, os padrões associados a uma determinada característica são geralmente maiores, de modo que a resistência à mudança geralmente também é maior.

Entendemos a personalidade, então, como algo dinâmico, capaz de sofrer várias modificações, seja a partir de um processo intencional ou propiciado pelas circunstâncias.

Durante a infância e adolescência é muito mais fácil mudar nossa personalidade. Isso ocorre porque ela ainda não foi totalmente configurada. Desta forma, todas as influências exercem um poder maior sobre ela.

O que entendemos por personalidade?

A personalidade, ou estrutura de personalidade, é o conjunto de traços psicológicos que definem todo ou uma boa parte do universo de sentimentos e cognições. Essa estrutura configura os comportamentos e o modo habitual de nos relacionarmos com nós mesmos e com os outros.

Mulher de olhos fechados

Outras conotações do conceito de personalidade têm a ver com a representação que o indivíduo tem de si mesmo e com a maneira como ele se apresenta ao mundo. A partir dessa perspectiva, a personalidade é a “máscara” que mostramos aos outros, uma estratégia para esconder algum aspecto interno e melhorar a aceitação social.

De fato, a origem epistemológica do conceito “pessoa” remonta à Grécia antiga, onde significava máscara. Lá, no teatro, as máscaras eram colocadas para representar as diferentes personalidades representadas pelo ator.

Mudar nossa personalidade pode se tornar uma necessidade

Conforme mencionamos na introdução, os anos podem dificultar a mudança da mesma maneira que tornam as raízes mais sólidas. No entanto, isso não impede que mudanças possam ser feitas em idades mais avançadas, embora muitas pessoas acreditem que, na sua idade, é impossível mudar.

Não será estranha para nós a frase “Eu sou o que sou” ou “Agora não vou mudar mais”. Isso pode ser parcialmente verdadeiro em alguns casos, mas na maioria das vezes, podemos fazer mudanças na nossa personalidade.

De fato, modificações de personalidade são uma necessidade terapêutica para aqueles que têm um transtorno de personalidade. Essas pessoas têm estruturados diversos padrões comportamentais e mecanismos psicológicos que lhes causam um profundo sofrimento, ou a aqueles que as rodeiam.

Este sofrimento costuma ser traduzido em angústia, ansiedade, agressão, perda de autocontrole, insatisfação, etc. As relações interpessoais também são afetadas por este tipo de transtorno, que, além disso, são muitas vezes acompanhados de dificuldades de adaptação e integração social, com o consequente isolamento.

Mudar nossa personalidade é possível, embora não seja uma tarefa simples

Modificar a personalidade não é fácil: desmontar e substituir esses padrões de comportamento por outros mais apropriados requer recursos finitos, como motivação ou tempo. Por outro lado, pensemos que um padrão de comportamento – uma disposição – é estabelecido com a ajuda da repetição de um certo tipo de comportamento como forma de resolver situações semelhantes. Por exemplo, existem pessoas cujos padrões de comportamento foram estruturados usando como sistema a fuga ou a evitação.

Se essas pessoas sabem que precisam enfrentar uma situação na qual não sabem como se desenvolver adequadamente, elas reagem evitando-as ou escapando se não forem capazes de antecipá-las. Fazem isso mesmo sabendo que, a médio ou longo prazo, esse modo de agir irá prejudicá-las.

Assim, o resultado é que, evitando ou fugindo dessas situações, essas pessoas conseguem evitar o sofrimento. No entanto, a médio ou longo prazo elas sofrem, possivelmente, mais, e se sentirão incapazes de levar uma vida normal.

Rostos feitos de fios brancos e pretos

Abandonar velhos mecanismos psicológicos para mudar de personalidade

Uma mudança de personalidade pode supor o abandono desses mecanismos patológicos, sendo progressivamente substituídos por outros mais adequados. No exemplo anterior, essas pessoas devem tentar enfrentar essas situações de maneira determinada. Assim, elas poderão comprovar como, em muitos casos, são capazes de superá-las. Além disso, aumentarão sua confiança. A pessoa aprende a se confrontar e descobre que tem poder para influenciar seu crescimento pessoal.

Além disso, as mudanças de personalidade são mais fáceis de alcançar quando a pessoa direciona sua atenção para objetivos muito específicos. Nesse sentido, ajuda, e muito, determinar como ou em que a mudança irá se manifestar (detalhes específicos). Claro, um psicólogo deve fornecer técnicas ou instrumentos psicológicos que a ajudem a alcançar os objetivos propostos.