Por que, às vezes, temos um comportamento irracional?

Por que, às vezes, temos um comportamento irracional?

outubro 7, 2015 em Emoções 7 Compartilhados
Por que temos um comportamento irracional?

Tenho certeza de que você já passou por isso alguma vez. Fazer algo de maneira espontânea, tomar uma decisão errada ou cometer um ato que depois só causa arrependimento. Você não precisa ser um adolescente para fazer coisas que estão além da compreensão de todos, inclusive de si mesmo.

Isso acontece. Você pode, neste momento, encontrar-se em um contexto que o levou, de uma maneira ou de outra, a fazer uma determinada coisa, ou é bem possível que o seu estado emocional tenha exigido de você uma reação que não era exatamente a mais apropriada.

As pessoas são criaturas complexas e aparentemente equipadas com equilíbrio e racionalidade, mas a verdade é que nem sempre nos comportamos assim. E encontrar justificativa para as nossas ações quando elas são um pouco irracionais sempre é difícil. No entanto, existem várias explicações sobre por que tivemos um comportamento irracional, e vale a pena entender por que isso acontece.

1. O efeito halo

O efeito halo é um viés cognitivo muito comum. Um exemplo: gostamos de uma pessoa, mas não a conhecemos muito. Entretanto, o pouco que sabemos a respeito dela já é suficiente para acreditarmos que tudo o que ela faz, diz e pensa é igualmente positivo e bom. Nós construímos uma série de interpretações que nem sempre estão de acordo com a realidade, mas a atração que sentimos por essa pessoa já é suficiente para pensarmos que ela é tão boa quanto os sentimentos que estão em nós.

Tudo isso nos leva a atos e comportamentos que são justificados pelo efeito halo, por pensarmos que estamos fazendo coisas por alguém que realmente vale a pena. Isso é, sem dúvida, um dos erros mais recorrentes entre as pessoas, e que pode acontecer na vida de todos a qualquer momento.

2. A dissonância cognitiva

Nossas vidas e nossas realidades estão cheias de contradições; isso é o normal e também esperado. Existem pessoas que sabem como lidar com esses fatos normalmente, interpretá-los e agir de acordo com princípios adequados, sem causar danos a ninguém. No entanto, outras pessoas podem não suportar essa ambivalência, e isso causa ansiedade e inquietação. Como manter duas ideias contraditórias na mente?

Daremos um exemplo ilustrativo: você ama o seu parceiro, a pessoa com quem você convive. No entanto, você se sente muito atraído por um colega de trabalho. A atração é tão forte que você acaba cometendo uma traição. Como suportar essa dissonância? “Eu amo minha parceira, mas eu sou um traidor”.

As pessoas que não sabem como enfrentar a realidade e preferem ficar com a dissonância eventualmente buscarão uma explicação que possa beneficiá-las: traí meu companheiro porque ele não me desejou o suficiente. Portanto, essa seria uma pequena justificativa que serve para manter a nossa própria integridade. Uma maneira de nos sentirmos bem, apesar de não termos agido corretamente. E depois nos perguntamos: por que tivemos um comportamento tão irracional?

3. Obediência à autoridade

Existem muitas experiências, como a realizada por Stanley Milgram, que nos mostram como somos capazes de seguir os passos de uma determinada pessoa ou grupo, mesmo quando as ideias são inconsistentes com nossos próprios princípios e valores. Por que isso ocorre? Pela necessidade de sermos parte de um grupo, por pressão, por conveniência, para não sermos diferentes, para mantermos a mesma ideia ou comportamento de um determinado grupo. Pode parecer muito chocante a realidade que normalmente ocorre em nosso dia a dia, em pequena ou grande escala.

Pode ser que, em alguma ocasião, nós já tenhamos sido pressionados ou induzidos por alguém, ou por um grupo de pessoas, a cometer algum ato irracional, de maior ou de menor importância. Algo que nós ainda nos perguntamos por que razão fizemos. A obediência à autoridade, seria, talvez, uma simples explicação.

Recomendados para você