Por que não nos lembramos dos nossos primeiros anos?

Por que não nos lembramos dos primeiros anos de vida?

8, abril 2015 em Psicologia 0 Compartilhados

Ninguém (ou praticamente ninguém) consegue se lembrar de seus primeiros anos de vida. É algo que as pessoas não podem evitar. Mas isso tem uma resposta científica e biológica: no Canadá, um grupo de pesquisas concluiu que o fato de não ser possível se lembrar do tempo e das experiências vividas em nossos primeiros anos, deve-se ao crescimento neuronal correspondente a tal etapa de desenvolvimento. 

Isso quer dizer que a notável produção de novos neurônios (quem tem a finalidade de elevar a aprendizagem durante o crescimento) tem um efeito negativo no campo da memória.

primeiros anos de-vida

O que é a neurogênese?

A grosso modo, a neurogênese é o processo de criação de novos neurônios em nosso cérebro, especialmente na região conhecida como hipocampo (associada diretamente com a memória e com a aprendizagem). Esse processo tem dois picos: antes e depois do nascimento, sendo a infância e a idade adulta períodos de diminuição.

Segundo o autor Huttenlocher, durante o primeiro ano de vida, o cérebro das pessoas tem o dobro de conexões neuronais, se comparado com o período adulto. Foi descoberto que o principal fator do decréscimo dessas conexões é, sem dúvida, a experiência adquirida com a idade.

As bases do estudo

Se no passado foi demonstrado que as memórias infantis podem persistir a curto prazo (se perdendo a longo prazo), um grupo de pesquisadores canadenses decidiu averiguar a razão desse fenômeno.

Por meio de experiências com ratos (tanto jovens quanto adultos), modificando seus processos neuronais, descobriu-se a relação direta entre o crescimento neuronal e a recuperação da memória, o que explica a amnésia a longo prazo, que se produz em memórias da idade infantil e os problemas de memória em pessoas adultas.

Desde que nascemos até cumprirmos 4 ou 5 anos, nosso hipocampo se encontra envolto em um dinamismo constante, o que repercute inversamente nas lembranças a longo prazo.

Esses achados na área substituem as teorias anteriores, que afirmavam que a amnésia infantil era devida ao desenvolvimento da fala e de outras habilidades relacionadas ao crescimento biológico e social.

Apesar das conclusões obtidas no Canadá não serem suficientes para dar uma resposta irrefutável sobre a matéria, sem dúvida, é um começo renovador para diferentes estudos sobre este tema tão pouco compreendido, mas que busca-se conhecer. Isso quer dizer que, entre os muitos mistérios que estão ativos no campo da neurologia, a causa da amnésia infantil está a ponto de ser desvendada.

O que fazer com essa falta de lembrança?

Chegado neste ponto, podemos afirmar que não há nada de mau no fato de não nos lembrarmos dos nossos primeiros anos de vida.

Talvez a melhor recomendação seja escutar essa lembranças dos relatos de outras pessoas (familiares, amigos, etc.), para gerar histórias que, mesmo que não possamos nos lembrar por nós mesmos, indubitavelmente contribuirão para definir nossa própria história, como também para melhorar nossos vínculos sociais. 

Recomendados para você