Psicologia das cores: o significado e as curiosidades de cada cor

· agosto 16, 2017

Falar da psicologia das cores é falar sobre as emoções. É um tipo de linguagem capaz de provocar sentimentos de prazer, bem-estar, inquietação ou vitalidade. É um universo que vai além do mundo do marketing e, muitas vezes, baseia-se em experiências pessoais enraizadas na nossa infância e em um simbolismo psicológico que a ciência sempre tentou desvendar.

Claude Monet costumava dizer que o mundo das cores era a sua obsessão diária, sua alegria e seu tormento. Se não é fácil para um artista capturar a sutileza de cada tom e cada combinação de cores, é ainda mais difícil definir os impactos que provocam no ser humano e no seu comportamento.

“O que é o ser humano diante das cores do mundo? As cores do mundo são maiores do que o sentimento do homem”.
 – Juan Ramón Jimenez –

Algumas pessoas veem as cores quase como uma pseudociência, e de alguma forma existe uma parte de verdade nisso. A cor tem muito a ver com as nossas preferências pessoais, com as nossas experiências, educação, e até mesmo com as nossas diferenças culturais. No entanto, vale a pena citar que o mais interessante de tudo é que existem muitos estudos que explicam como as pessoas reagem a determinadas cores ou quais são, em média, as mais apreciadas.

Um dos livros mais interessantes sobre o assunto é “A psicologia das cores: como as cores afetam a emoção e a razão” da psicóloga, socióloga e professora da teoria da comunicação Eva Heller. Este trabalho interessante é o resultado de anos de pesquisa, estudos e observações, cujos resultados coincidem com muitos outros estudos efetuados anteriormente e também com as pesquisas mais recentes.

Como curiosidade, podemos dizer que, em média, a cor azul é a mais apreciada.

A psicologia das cores

A psicologia das cores: qual é a sua finalidade?

A cor estimula o nosso cérebro de muitas maneiras diferentes. Tanto é assim que, no passado, os egípcios e os chineses se utilizaram do efeito das cores com o propósito de curar, de favorecer determinados estados de consciência ou promover um estado emocional particular. A arte antiga também cuidava muito bem da escolha das cores. O vermelho era para os egípcios o reflexo da vida, da terra, da vitória, e também da raiva ou da fúria dos deuses hostis como Seth ou Apófis.

Em essência, a cor é muito mais do que um fenômeno ótico. Todas as cores têm um significado próprio, todas criam um determinado impacto no nosso cérebro. Por isso, a psicologia das cores é uma ferramenta básica e essencial para o neuromarketing atual. Entender como o consumidor reage a certos estímulos cromáticos pode aumentar as vendas e, embora seu efeito nem sempre seja 100% infalível, os resultados positivos demonstram que a psicologia das cores é muito útil.

Também não podemos esquecer do efeito que a cor exerce sobre o mundo da arte e do cinema. David Lynch, por exemplo, é um dos diretores mais obcecados por escapar do mundo da lógica e mergulhar no caleidoscópio sutil das emoções. Portanto, em suas produções sempre usa esses contrastes entre o preto e o branco porque, para ele, simbolizam a fuga do mundo real para o sonho.

“A cor é um meio de exercer influência direta sobre a alma: a cor é a tela, o olho é o martelo, e a alma é o piano com suas cordas”.
 – Wassily Kandiski –

Van Gogh também escolhia deliberadamente certos tons para expressar seus estados emocionais, deixando sempre as tonalidades mais vivas como o amarelo e o azul para darem forma aos seus campos e as suas noites estreladas.

O significado e as curiosidades de cada cor

Para mergulhar no universo psicológico de cada cor e na psicologia das cores, continuaremos mostrando os estudos publicados pela Dra. Eva Heller, bem como o atual trabalho da psicóloga e professora de Stanford Jennifer Aaker, que recentemente elaborou uma análise interessante das cores aplicadas ao mundo do neuromarketing.

O azul

  • A cor azul é mais usada nas empresas por ser produtiva e não invasiva.
  • É uma cor que sugere uma sensação de segurança e confiança em uma marca.
  • Verificou-se que o azul reduz o apetite, portanto, não deve ser utilizado em uma promoção de alimentos.
  • É a cor da harmonia, da fidelidade e da simpatia.
  • É a cor mais fria e está ligada ao conceito de espiritualidade e fantasia.
  • Existem 111 tons de azul.
  • É uma cor primária e, para os pintores, a tonalidade mais valorizada de azul era o “azul ultramar”. Era o mais caro, mas dava aos quadros uma vivacidade excepcional.

O vermelho

  • O vermelho é uma das cores mais utilizadas no marketing: ela se destaca do restante das cores, tem mais poder de convencimento e é usada para atrair a atenção.
  • Aumenta o ritmo cardíaco e cria uma necessidade de urgência, de perigo ou imediatismo.
  • É usado para estimular o apetite e favorecer as compras por impulso.
  • Ela representa o amor, mas também o ódio.
  • É a cor dos reis, da alegria e do perigo.
  • Representa o sangue e a vida.
  • É uma cor dinâmica e sedutora capaz de despertar o nosso lado mais agressivo.
Vermelho: psicologia das cores

O amarelo

  • No marketing representa otimismo e juventude.
  • Traz clareza e pode ser usado para chamar a atenção para certos produtos nas vitrines.
  • Não se pode abusar desta cor nas lojas, porque cansa rapidamente a vista. Por isso, é mais usada nas prateleiras laterais do que nas prateleiras centrais de um comércio.
  • Alguns estudos mostram que tons intensos de amarelo provocam choro nos bebês.
  • Para os especialistas em psicologia da cor, o amarelo é uma cor contraditória: representa o bem e o mal, o otimismo e o ciúme, a compreensão e a traição.
  • Ilumina e estimula a criatividade.
  • É uma cor masculina, e na China representava as instituições imperiais.

O verde

  • O verde é a cor do crescimento, da renovação e do renascimento.
  • Ela está associada com a saúde, com a natureza, frescor e paz.
  • Promove a resolução de problemas, traz liberdade, cura e paz.
  • O verde opaco representa o dinheiro, a economia e a burguesia.
  • Existem mais de 100 tons de verde. Os tons intermediários são os mais estimuladores do humor.
  • Ele também representa o amor incipiente.
  • É uma cor que ajuda relaxar; na verdade, é muito útil para pessoas que estão passando por uma depressão.
Verde: psicologia das cores

O preto

  • A cor preta está associada com a elegância, com o secreto, o mistério e o poder.
  • Gera emoções fortes, é uma cor autoritária.
  • No mundo da moda é considerada elegante e sofisticada.
  • Existem 50 tons de preto.
  • Ele também simboliza o fim de algo, a morte, a perda.
  • Antigamente representava os sacerdotes e atualmente os conservadores.
  • Na física, o preto é a cor que tem a capacidade de absorver 100% da luz incidente e, portanto, não reflete qualquer espectro. Ao longo da história a cor preta era vista como algo associado com o perigo ou a maldade.

“Existem coisas na cor que surgem em mim enquanto pinto, coisas que eu não sentia antes, coisas importantes e intensas”.
 – Van Gogh –

O branco

  • O branco simboliza inocência e pureza.
  • Ele representa o início, a vontade de começar algo novo.
  • Traz amplitude e honestidade para um ambiente, assim como uma sensação de paz, cura e tranquilidade.
  • Está associado com a perfeição.
  • Há 67 tons de branco.
  • Uma gola branca na roupa simboliza status.

O violeta

  • No marketing é usado frequentemente em produtos de beleza e antienvelhecimento.
  • Proporciona calma.
  • Muitas marcas o utilizam para representar a criatividade, a imaginação e a sabedoria.
  • Está associado com o feminino, com a magia e a espiritualidade.
  • Há 41 tons de violeta.
  • Se for muito usado gera ambivalência: não é recomendado pintar salas, quartos ou lojas com esta cor.
  • O violeta simboliza o poder, mas também o ambíguo.

O laranja

  • Está associado com o entusiasmo para fazer compras, reflete emoção e cordialidade.
  • No entanto, um tom de laranja intenso pode ser associado com a agressividade. Utilize um tom suave, confortável e amigável.
  • É um das cores preferidas no mundo da publicidade porque incentiva a compra.
  • Ela está associada com a transformação e o budismo.
  • O laranja não só promove emoções positivas, mas também gera sentimentos de “sabor”.
Laranja: psicologia das cores

O rosa

  • Ele simboliza o charme e a cortesia.
  • No marketing está associado com o mundo infantil ou com o romantismo.
  • É o tom da ternura erótica.
  • Simboliza a ternura, o infantil ou o pequeno.
  • Era a cor favorita de Madame Pompadour.

Para concluir, é bem possível que não nos sintamos identificados com estas descrições da psicologia das cores. Como observamos no início, o impacto de cada tom depende das nossas experiências de vida. No entanto, comercialmente e artisticamente esses fundamentos podem ser muito úteis e eficazes.

Além disso, sabemos que nesta lista faltam outras cores como o marrom, o ouro, a prata ou o cinza. Nos limitamos a descrever apenas aquelas cores que causam mais impacto sobre nós, aquelas que o mundo da arte e o neuromarketing utilizam com mais frequência e que, sem que percebamos, enfeitam as nossas vidas nos influenciando secretamente.

Imagens cortesia Sakimichan, Marina Melvik.