A psicologia de Anakin Skywalker - A Mente é Maravilhosa

A psicologia de Anakin Skywalker

Maio 3, 2018 em Filmes 0 Compartilhados
Anakin Skywalker

Com a estreia da nova trilogia de Star Wars e a espera pelos próximos filmes, parece que a antiga paixão pela saga se reacendeu. Apesar dos novos filmes terem tido uma recepção muito boa pela crítica e terem alcançado grandes bilheterias nas salas de cinema, ainda falta algo que estava presente nos filmes das duas trilogias originais. Estou me referindo, claro, ao personagem de Anakin Skywalker.

Anakin Skywalker, mais tarde conhecido como Darth Vader, era um dos personagens centrais dos primeiros seis filmes, e um dos ícones da história do cinema. O escolhido pela profecia dentro do universo proposto pela saga é, sem dúvida, o personagem mais complexo de todos os que compõem a história original.

Entender algumas ações desse personagem, no entanto, pode ser algo bastante complicado. Por que ele deixou de ser um guerreiro que lutava pela paz para se tornar o braço direito de um tirano que oprimiu toda a galáxia? Nesse artigo vamos examinar a psicologia por trás de Anakin Skywalker para conhecê-lo de verdade.

A psicologia de Anakin Skywalker: entendendo o personagem mais famoso de Star Wars

Apesar dos filmes I, II e III não serem os preferidos dos fãs em relação à trilogia original (IV, V e VI), nesses longas estão escondidas as chaves para entender o que está por trás de Anakin Skywalker. Na verdade, ‘A ameaça fantasma’, ‘O ataque dos clones’ e ‘A vingança dos Sith’ têm suas histórias centradas quase que exclusivamente no desenvolvimento de Anakin.

Nos longas, podemos ver a história da vida de Skywalker, que começa como uma criança e acaba assassinando um povo e destruindo o tempo Jedi. Mais tarde, já convertido em Darth Vader, trouxe terror para a galáxia durante décadas, até se redimir e voltar para o lado da luz da Força.

O que provocou essas mudanças tão bruscas na personalidade de Anakin? As chaves para entendê-lo devem ser buscadas em sua história.

Anakin Skywalker na infância

Os estragos de uma infância difícil

Para entender a psicologia de Anakin Skywalker temos que voltar para sua infância. Vivendo em um planeta deserto, sem recursos e com condições de vidas brutais – Tatooine – sua mãe e ele eram escravos de um comerciante local. O pequeno Anakin terá que se preocupar com o bem-estar de sua mãe desde sua pequena e tenra infância.

A ausência de uma figura paterna, segundo uma grande quantidade de estudos, pode trazer muitas complicações para a vida de uma criança quando esta finalmente se torna um adulto. Entre outras coisas, pode ser um dos motivos pelos quais uma pessoa acabe possuindo um tipo de apego chamado de evitativo, uma forma de se comportar que podemos observar em Anakin, principalmente em sua relação amorosa com Padme.

As pessoas que têm esse tipo de apego evitam expressar suas emoções e tentam ser completamente autossuficientes. Isso é algo que podemos observar na psicologia de Anakin Skywalker, que coloca suas próprias decisões na frente dos conselhos de seus próprios mestres, mesmo que os respeite e goste deles.

Por outro lado, Anakin apresenta muito traços das crianças com altas capacidades cognitivas. Mas ser inteligente demais também traz mais problemas para o pequeno do que ele consegue solucionar: conflitos com seus mestres, acaba se sentindo diferente dos outros, e torna-se muito inocente e idealista. Todos esses traços vão influenciar sua virada para o lado sombrio da Força.

Adotado pelos Jedi

Quando conhece Obi Wan e Qui Gon Jinn, Anakin acredita ter encontrado um jeito de se livrar de sua escravidão e também de tornar-se capaz de ajudar os outros. Isso é algo muito importante para ele, já que uma das suas queixas no primeiro filme é que ninguém ajuda aqueles que precisam. Para o jovem Anakin, os Jedi representam tudo que há de bom no mundo, e ele os tem como algo completamente idealizado. Infelizmente, apesar de parecer que a união de Anakin aos Jedi é tudo que a criança poderia desejar, no fim o fato resulta em muitas complicações.

  • Ao ir embora com Obi Wan e Qui Gon Jinn, Anakin terá que abandonar sua mãe à sua própria sorte. Ela é a única pessoa na vida que deu a ele afeto incondicional, e apesar da tecnologia do universo de Star Wars ser tão avançada, parece que não poderão se comunicar enquanto eles estiverem separados pela simplicidade do planeta em que ela vive.
  • Ainda que Qui Gon esteja convencido de que Anakin é o escolhido para destruir os Sith e trazer de volta o equilíbrio para a Força, o conselho Jedi não quer treiná-lo. A alegação é que ele já é mais velho do que geralmente se aceita para o início do treinamento, e eles têm por isso receios quanto ao que esse treinamento pode trazer para a criança. Eles se negam a aceitar Anakin como padawan. Isso provoca um forte sentimento de rejeição em Skywalker, que irá pouco a pouco perder a fé no Conselho.
  • Um dos traços mais importantes da psicologia de Anakin Skywalker é sua independência. Os mestres Jedi, no entanto, tratam de colocar uma grande quantidade de normas para evitar que ele atropele a ordem das coisas. Isto, somado ao dano psicológico sofrido quando ele foi rejeitado, faz com que guarde cada vez mais rancor.

Anakin Skywalker

Relações muito turbulentas

Ao longo dos três filmes iniciais, podemos ver como Anakin passa de uma criança inocente para ser um adolescente rebelde, para mais tarde tornar-se um adulto narcisista. Completamente seguro de sua superioridade em comparação aos outros, mas cada vez mais inseguro e incapaz de se abrir em suas relações, Skywalker se sente isolado e incompreendido por todos. Além disso, as relações que ele consegue manter trazem uma grande quantidade de problemas:

  • Obi Wan Kenobi, seu mestre, tem um papel mais de irmão que de mentor. Apesar do fato de ambos terem uma excelente relação, também podem ser vistas algumas evidências de competição no comportamento dos dois.
  • Padme, sua mulher, é uma personagem pela qual Anakin foi apaixonado durante toda sua vida, e portanto a tem completamente idealizada. Isso não colabora nada com o fato de que passam a maior parte do tempo separados, então ele nunca chega a conhecê-la de verdade. Além disso, ambos precisam manter sua relação em segredo porque se alguém descobrir, a posição de Anakin entre os Jedi seria comprometida, já que Jedi não podem se envolver.
  • O Chanceler Palpatine, um dos personagens que Skywalker mais admira, é na realidade um mestre Sith que acaba por o corromper. Dito isso, Anakin tem uma relação tóxica com ele, por meio da qual o chanceler provoca sua insegurança de formas diretas e também de formas indiretas.

Devido às complicações presentes nas suas principais relações, e ao seu isolamento do resto do mundo, Anakin se sente muito sozinho e inseguro no seu trato com os outros. Isso vai ajudar na sua queda para o lado mais sombrio da força mais tarde.

Traição dos seus ideias

Quando Anakin, já um jovem Jedi, descobre que um dos moradores das aldeias de seu planeta havia assassinado sua mãe, a raiva o cega e ele mata todo o povo da raça do assassino que mora em Tatooine, inclusive mulheres e crianças. Esse ato vai contra todas os ideais de Skywalker, pelo menos todos que ele havia mantido at é então. Ele se torna alguém ainda mais arrogante e cheio de raiva.

Por outro lado, ao longo dos três primeiro filmes Palpatine o manipula para ir cada vez mais contra o Conselho Jedi, fazendo-o acreditar que seus interesses são contrários aos dos mestres. Quando Anakin descobre que Padme está grávida, começa a ter sonhos premonitórios de sua morte no parto e vai buscar conselhos com o Chanceler. É nesse momento que ele revela que é, na verdade, um poderoso mestre Sith, e que o lado sombrio da Força pode salvar sua esposa.

Atormentado pelas dúvidas, um elemento central da psicologia de Anakin Skywalker, o jovem Jedi denuncia Palpatine para o Conselho, mas quando vê que um dos membros ameaça matar o chanceler, ele sai em defesa de seu mestre. Desse modo, ele trai os Jedi e se torna um aprendiz de Darth Sidious, a verdadeira identidade de Palpatine.

Darth Vader

Por ordens de seu novo mestre, Anakin, já convertido em Darth Vader, começa a cometer uma série de atrocidades que o fazem ir cada vez mais fundo em uma espiral de ódio e autodestruição. Entre elas, uma das mais chamativas é a destruição do Templo Jedi e o assassinato de todas as crianças que estavam lá dentro. Padme obviamente também o rejeita depois de cometer essa loucura.

Depois de perder tudo e estar a ponto de morrer após enfrentar seu ex-mestre, Obi Wan, Palpatine o resgata e o converte em seu servo. Assim, ainda que Anakin o odeie por tudo que ele o fez perder, não há mais opção do que se unir a ele, já que está totalmente isolado do resto do mundo e em total desespero e descrença em relação a si mesmo.

É esse ódio pelo futuro Imperador, no entanto, que permite que em ‘O retorno dos Jedi’ Darth Vader se sacrifique para salvar seu filho Luke, assassinando seu mestre. Dessa forma, ele é capaz de voltar para o lado da luz da Força, e se reencontra com seu mestre, Obi Wan, na forma de um fantasma da Força.

Recomendados para você