Psicologia integral, um caminho para o bem-estar

· agosto 8, 2018

A psicologia integral é uma perspectiva que se interessa pelo desenvolvimento de uma individualidade saudável. É um modelo de consciência que busca o bem-estar através do crescimento e da criatividade. Além disso, propõe que, para alcançar o estado desejado, cada pessoa precisa realizar práticas diferentes, porque somos todos diferentes pelo que somos e por causa do que vivemos.

A ideia é que, através da psicologia integral, poderíamos alcançar um estado de realização, desenvolvendo a nossa consciência e evitando o sofrimento. Assim, essa prática seria uma maneira de tirar o melhor de nós. É um ramo da psicologia que busca o bem-estar do ser humano através de diferentes ferramentas.

“Conectar-se com o mais profundo é tirar as asas e se atrever a voar na vastidão do nosso universo. É receber com amor o que a vida nos traz”.
-Anônimo-

Abraçando diferentes teorias através da psicologia integral

A psicologia integral leva diferentes modelos terapêuticos em conta. O importante é aplicar o que melhor se adapte à pessoa para melhorar sua qualidade de vida. Portanto, não há uma luta para definir qual teoria é a melhor. Pelo contrário, todas têm a mesma importância e princípios diferentes podem ser usados.

Psicologia integral

Desta forma, a psicologia integral tenta incluir tudo que pode ser usado para o desenvolvimento pessoal. Assim, faz uma tentativa de conciliar as teorias psicológicas que existem, destacando os benefícios de cada uma delas. Além disso, integra várias práticas espirituais fora do estudo da mente que também poderiam ser úteis.

Na psicologia integral, o que prevalece é a pessoa. Cada uma tem um desenvolvimento pessoal diferente, no qual passa por diferentes níveis. Dependendo do momento em que se encontra, deverá realizar uma prática ou outra, porque cada momento da vida traz consigo diferentes problemas.

“Abraçar diferentes teorias é reconhecer que cada crença é valiosa e que cada pessoa é única. Por isso, uma prática diferente será a melhor escolha para o desenvolvimento de cada um de nós”.

Como a psicologia integral foi criada?

A psicologia integral nasceu porque alguns autores acreditavam que era necessário ter uma teoria que unificasse o conhecimento psicológico. Em outras palavras, era necessária uma disciplina que levasse em conta diferentes crenças e práticas espirituais. Assim, essa corrente surgiu como um modelo que abrange diversos campos do ser humano para buscar seu crescimento pessoal.

O autor mais relacionado a essa prática é Ken Wilber, um escritor americano. Ele foi o primeiro a descrever em que consiste a psicologia integral, estudando aspectos relacionados à psicoterapia e à espiritualidade. Além disso, ele discutiu a natureza de diferentes ramos da psicologia e promoveu novos caminhos para a interpretação e prática da saúde mental humana.

Ken Wilber também fundou o Instituto de Psicologia Integral em 1998, além de formular a teoria integral. Ele destacou um esquema de 4 quadrantes, no qual descrevia os campos com os quais o ser humano se relaciona:

  • Quadrante intencional. É a área individual das pessoas. Em seu estudo, foram envolvidas disciplinas como a psicologia, a filosofia e aspectos relacionados à espiritualidade.
  • Porção comportamental. Tem a ver com as habilidades técnicas. Para estudá-la, são utilizados conhecimentos de áreas como a fisiologia, a neurologia e a psicologia comportamental, entre outras.
  • Seção cultural. Está relacionada aos aspectos coletivos da mudança. Por exemplo, são estudados os mitos, as crenças, as histórias e os símbolos construídos.
  • Quadrante social. Está associado a áreas como a tecnologia, a política e os sistemas.

Segundo Wilber, é necessário integrar esses quatro quadrantes para que haja um desenvolvimento pessoal completo. Ou seja, temos que alcançar um equilíbrio em cada quadrante para conseguir um bem-estar supremo. Isso nos ajudaria a conhecer nosso papel no mundo, além de desenvolver diferentes níveis de consciência de forma integrada.

No entanto, a psicologia integral continua se desenvolvendo na atualidade. É uma perspectiva que se pratica em todo o mundo. É usada, por exemplo, como terapia e como uma forma de conhecimento, através de workshops, seminários, cursos, grupos de apoio, de meditação e de crescimento pessoal.

Crescimento pessoal

Benefícios da psicologia integral

Praticar a psicologia integral aumenta o bem-estar, pois proporciona diferentes benefícios para a qualidade de vida. Estes são alguns dos mais importantes.

  • Desenvolvimento pessoal. Através da prática da psicologia integral, entramos em um processo de constante transformação em que vamos nos conhecendo cada vez mais. A transformação deve ocorrer em diferentes campos ao mesmo tempo.
  • Melhora a criatividade. Isso consiste em gerar novas ideias para enfrentarmos o que a vida nos traz. Somos seres criativos, então, ao tornarmos essa prática habitual, podemos agir de maneira mais precisa diante dos nossos problemas.
  • Expansão da consciência. A psicologia integral nos ajuda a nos conectarmos com a parte mais profunda do nosso ser. Também expande nossa visão da vida.
  • Conhecer novos recursos para ser mais saudáveis. Através do desenvolvimento da consciência e da conexão espiritual, podemos conhecer aspectos importantes para o nosso bem-estar. Trata-se de ver quais são as virtudes que possuímos na hora de enfrentar problemas e usá-las quando os enfrentamos.
  • Empatia. Na psicologia integral, é muito importante o relacionamento que temos com nós mesmos e com os outros. Graças a essa disciplina, podemos desenvolver nossa empatia de maneira eficaz.
Mulher caminhando sozinha em estrada

Portanto, através deste modelo, podemos potencializar o melhor de nós mesmos, enfatizando cada área em que operamos. Assim, aprimoramos nosso modo de nos relacionar, de assumir problemas e de tomar decisões por meio da criatividade e da busca pelo equilíbrio.

Como vemos, a psicologia integral é um modelo terapêutico e de conhecimento que podemos aplicar à nossa vida. A criatividade e a abertura serão as ferramentas para alcançar um estado de realização no relacionamento com nós mesmos, com os outros e com a natureza. Desta forma, o desenvolvimento da consciência se tornará nosso melhor aliado em cada aprendizado.

“A pessoa mais desenvolvida é aquela que pode tomar o lugar do maior número de pessoas.”
-Ken Wilber-