Quero superar o passado, mas eu não consigo!

dezembro 17, 2018

Dizem que o passado está sempre acontecendo. Isso quer dizer que tudo que vivemos permanece conosco para sempre, de um modo ou de outro. É inevitável. Mas entre aceitar esse fato e ficarmos completamente dominados pelo ontem há uma distância grande. Mergulhar na escolha de não superar o passado é, na verdade, um mergulho no abismo.

Há um poema de Miguel Hernández que diz: “Tudo passa e tudo fica, mas nada deixa de fazer parte de nós”. E é assim mesmo, é impossível fugir do que já fomos, das marcas que o passado deixou em nós, que a vida deixou em nós. Ainda assim, superar o passado é fundamental para seguir em frente.

“O passado é um prólogo”.
-William Shakespeare-

Agora, a única forma de superar o passado é assumindo-o a fundo, identificando a forma como ele nos modelou até hoje, aceitando e integrando o que ele pode nos ensinar. Pelo contrário, se não o olharmos nos olhos, é possível que ele acabe trancado lá nos confins da memória, onde não conseguimos nem sequer acessá-lo, mas mesmo assim ele continuará tendo influência sobre a nossa vida.

O irremediável do passado

Um dos fatores que nos impedem de superar o passado é a dificuldade para aceitar o que aconteceu e que já está fora do alcance das nossas ações. Parece algo bastante óbvio, mas há muitas coisas irracionais no ser humano. Por isso, ainda que não sirva para nada, às vezes ficamos nos lamentando pelo que aconteceu ou deixou de acontecer.

Mulher observando o pôr do sol

Isso acontece quando há sentimentos que não foram elaborados e integrados em relação a fatos do passado. É possível que exista um forte sentimento de culpa preso dentro de nós. Em alguns casos, nós não conseguimos perdoar uma ofensa, um dano sofrido ou uma mágoa. Inclusive, muitas vezes não conseguimos perdoar nem a nós mesmos. Consciente ou inconscientemente, nos castigamos por ter feito algo ou por ter deixado de fazer algo.

A reflexão sobre o passado sempre deve levar em consideração uma importante pergunta: é possível reparar o que aconteceu? Se ainda há algo que possa ser feito, o mais adequado é agir logo. Em vez de se arrepender ou de ficar se lamentando, é preciso fazer o que deve ser feito para garantir uma outra resolução para o acontecido, diferente da resolução que atualmente nos causa angústia. Mas se não é possível fazer nada, só nos resta chorar. Tudo bem ficar triste, mas não podemos esquecer de tirar um ensinamento do acontecido.

Para superar o passado, devemos aceitar e deixar ir

A impossibilidade de superar o passado nos prende em cenários imaginários e no reino do “mas e se eu tivesse…”. É possível que isso nos leve a ruminações longas e eternas. Fantasiamos sobre outros resultados possíveis. Imaginamos uma vida na qual aquilo não aconteceu. E no final das contas estamos no mesmo lugar, com o agravante de agora estarmos diante de uma frustração mais forte e renovada.

Aceitar o passado significa admitir que as coisas nunca mais voltarão a ser como antes. Não importa o que façamos, o tempo passa e muitas vezes não temos controle sobre o que acontece nele. Mesmo se tivermos sucesso e conseguirmos reverter os danos ou as consequências de algo, nenhum dos nossos atos será capaz de nos devolver o ontem que não está mais conosco.

É preciso valorizar a si mesmo para aceitar, deixar ir e superar o passado. Não basta vontade para conseguir. Transcender o ocorrido não é um ato de força, mas sim de persistência e convicção. Há um momento adequado para analisar e repassar o ontem, mas chega outro momento no qual a única coisa razoável é deixá-lo para trás.

Aprender a viver no momento presente

Há muitos casos nos quais nos propomos a viver no presente, mas mesmo com toda essa vontade não conseguimos cumprir a nossa promessa. Nesses casos, temos que fazer mais do que apenas ter o propósito em mente. O aconselhável é criar circunstâncias que nos puxem de volta para o presente, que nos permitam ficar no aqui e no agora, porque esse momento e esse lugar exigem a nossa atenção. Às vezes, é necessário construir um novo presente para superar o passado.

Mulher caminhando em plantação

Para conseguir ficar no presente, precisamos cortar os vínculos que podem nos unir ao passado, pelo menos aqueles vínculos que nós podemos eliminar nesse momento. Dizem que a melhor maneira de ir embora é não olhar para trás. E é por isso que é importante acabar com tudo aquilo que insiste em nos induzir a olhar de novo para o que já passou. Isso nos dá mais liberdade e nos permite refletir sem a angústia de algo que fica se prolongando eternamente na nossa vida ou que continua provocando sequelas.

Além disso, é importante começarmos a preencher a nossa vida com novidades. Novos amigos, novos interesses, novos hobbies. É um momento de renovação! Um momento para mudarmos a nossa vida e construirmos novas partes de nós. É provável que esse entusiasmo todo não apareça logo no começo. Algo dentro de nós sempre nos puxa de volta para mais do mesmo. Lutemos contra essa inércia e deixemos que a vida nos surpreenda com o inesperado. Agora, se mesmo com muitas tentativas e muito esforço seguir em frente parecer impossível, podemos sempre recorrer a uma ajuda profissional.