Reconstrução emocional: se aproximando do bem-estar

A reconstrução emocional é a arte de fazer algo para resgatar a nós mesmos quando estamos em um "beco sem saída". Assim, gerenciamos nossas emoções e encontramos a harmonia.
Reconstrução emocional: se aproximando do bem-estar

Última atualização: 03 Junho, 2020

Todos nós já experimentamos aquela sensação de mergulhar no vazio sem paraquedas, de cair sem algo em que pudéssemos nos segurar. São momentos de extrema tristeza nos quais não vemos a luz nem a possibilidade de encontrá-la. Falamos de momentos em que precisamos de uma reconstrução emocional.

Reconstruir-se emocionalmente significa recuperar a segurança, avançar mesmo que o progresso seja muito pequeno. Reduzir o risco e buscar âncoras ou pontos de segurança. Dar forma a uma base sobre a qual podemos nos reerguer.

A reconstrução emocional é árdua; consome boa parte dos recursos que nos restam. No entanto, é um investimento que vale a pena. Portanto, neste artigo vamos analisar do que se trata e apresentar algumas estratégias que podem ajudar. Continue lendo!

“Reconstruir-se faz parte da jornada que é viver”.

Reconstrução emocional, conhecendo a si mesmo

Uma reconstrução emocional consiste, conforme você avança, em projetar e desenvolver novos alicerces. Ou seja, transformar ou remover tudo que te machuca. Para isso, você pode começar com uma análise do que aconteceu. Talvez seja o momento de sentar e tentar analisar o que tem acontecido ultimamente para que você esteja nesse estado.

Esse é um exercício positivo tanto na vitória quanto no fracasso, embora talvez a introspecção seja favorecida apenas pela inércia emocional no caso do fracasso. Além disso, é um processo gradual (à medida que você identifica e toma consciência, você se autoconhece) no qual entram os insights.

“Reconstruir-se emocionalmente é a arte de cuidar de si mesmo nos momentos mais difíceis”.

Reconstrução emocional: a arte de ser assertivo

Reconstrução emocional: a arte de ser assertivo

A assertividade é uma arte. Trata-se de mostrar o que realmente acontece com você de maneira eficaz e quando a situação não o favorece. Em muitas ocasiões, não é fácil dizer não a um ente querido ou a um chefe, embora ao fazer isso você esteja defendendo seus direitos.

Por que a assertividade é necessária para a reconstrução emocional? Porque abre um espaço no qual você pode se ver como um ser autônomo, capaz e com direitos, assim como obrigações e responsabilidades. Dessa maneira, você pode alimentar a sensação de controle que foi danificada com o reforço da sensação de desamparo.

Eu me amo, logo me reconstruo

Outro passo na reconstrução emocional é a autoestima. A autoestima compreende o conjunto de sentimentos que você tem em relação ao seu autoconceito. Ou seja, está relacionada à parte mais emocional do seu eu.

Mas por que isso é tão importante na reconstrução emocional? Porque as pessoas são mais inclinadas a cuidar de quem cuida delas (isso gera sentimentos positivos). Assim, se você cuida de si mesmo, você se sente mais inclinado a cuidar de quem cuida de você, isto é, de você mesmo. Pode parecer um pouco complexo, mas se você ler novamente, verá que não é; é apenas um círculo que se fecha.

Boas vindas às mudanças

Toda reconstrução emocional envolve mudanças, tanto a nível interno quanto externo. Existem autores que identificam dois tipos de mudança. Paul Watzlawick, um dos principais autores sobre a teoria da comunicação humana, faz referência ao indivíduo em relação ao sistema, especialmente em situações em que ele sente que não há saída. Essas mudanças são apresentadas da seguinte forma:

  • Mudança 1: trata-se de fazer modificações para retornar a um estado semelhante ao de antes da crise.
  • Mudança 2: mudança que situa a pessoa em uma posição diferente à do início da crise. É aí que acontece a transformação.

É possível aprender com cada mudança, seja ela do tipo 1 ou 2. Embora nem sempre seja possível ou fácil realizar uma mudança do tipo 2, retornar à posição de equilíbrio através de uma mudança do tipo 1 pode ajudar.

Benefícios da reconstrução emocional

Benefícios da reconstrução emocional

A reconstrução emocional traz grandes benefícios. Estes são alguns deles:

  • Aumenta a qualidade de vida.
  • Torna os relacionamentos mais saudáveis.
  • Melhora a relação que temos com nós mesmos.
  • Aumenta o autoconhecimento.
  • Aumenta a autoestima.
  • Melhora o gerenciamento emocional.
  • Diminui o sofrimento.
  • Aumenta a assertividade.

A reconstrução emocional depende em grande parte da sua vontade e das suas decisões, embora em última análise a ajuda de outras pessoas também possa ter influência. Além disso, você sempre pode pedir ajuda profissional para concretizá-la.

Antes de concluir, vale ressaltar que, embora falemos de reconstrução emocional, ela nunca é apenas uma reconstrução nesse nível. Ela é acompanhada pela reconstrução contratual e a reconstrução cognitiva, conceitos que teoricamente são fáceis de diferenciar, mas que na prática muitas vezes têm limites difusos.

Por fim, destacamos que a reconstrução emocional é uma aventura. Não é necessário que você se sinta mal para realizá-la. Na realidade, ela costuma produzir bons resultados quando realizada em momentos emocionalmente positivos. O motivo: você tem muito mais energia e não há tantas mudanças que precisam ser feitas.

Pode interessar a você...
Curar feridas significa que o ocorrido não controla mais nossas vidas
A mente é maravilhosaLeia em A mente é maravilhosa
Curar feridas significa que o ocorrido não controla mais nossas vidas

Curar feridas emocionais não significa esquecer, significa, acima de tudo, fazer com que elas deixem de controlar nossas vidas.



  • Watzlawick, P, Fisch, R., & Weakland, J. H. (2003). Cambio. Barcelona, España: Herder.