O impacto da regra dos três graus de influência

· setembro 27, 2018

Nos últimos anos, um número significativo de pesquisas foi realizado sobre como as pessoas são influenciadas. Desses estudos surgiu a regra dos três graus de influência, uma teoria muito interessante que nos motiva a prestar atenção ao efeito do que dizemos e fazemos.

Há algum tempo, surgiu a teoria dos seis graus de separação. Ela dizia que cada pessoa está separada das grandes figuras da humanidade por apenas seis graus. Em outras palavras, cada um de nós conhece alguém que, por sua vez, conhece alguém, que conhece alguém, que conhece alguém, que conhece alguém, que conhece alguém que conhece Donald Trump.

“Mesmo as pessoas mais insignificantes exercem alguma influência no mundo”.
-Louisa May Alcott-

A regra dos três graus de influência é semelhante, mas opera de maneira diferente e tem efeitos muito mais decisivos em nossas vidas. Ela foi formulada por Nicholas Christakis e James Fowler em 2010 e mostra que, por mais afastados que estejamos dos outros, nunca seremos uma ilha.

A regra dos três graus de influência

De acordo com Christakis e Fowler, a regra dos três graus de influência pode ser expressa da seguinte maneira: o que dizemos e fazemos influencia o pensamento e o comportamento dos nossos amigos (primeiro grau), dos amigos dos nossos amigos (segundo grau) e amigos dos amigos dos nossos amigos (terceiro grau).

Regra dos três graus de influência

Agora, como é que eles chegaram a essa conclusão? Em 2007, esses pesquisadores retomaram um estudo sobre doenças cardiovasculares iniciado em 1948. Essa pesquisa estava sendo realizada na cidade de Framingham, nos Estados Unidos. Dois terços dos habitantes adultos da cidade participaram desse estudo, e depois seus filhos e netos fizeram o mesmo.

O estudo anterior exigia que cada participante fizesse uma lista de parentes, amigos, vizinhos e colegas de trabalho. Muitos desses contatos também estavam participando da pesquisa, já que a população dessa cidade é pequena. Esses dados permitiram fazer uma rede de relacionamentos entre os participantes.

As descobertas dos pesquisadores

Após definirem as ligações entre os participantes do estudo, foram definidos 50.000 vínculos entre eles. A partir disso, os pesquisadores começaram a cruzar dados sobre o estilo e a qualidade de vida dos participantes. Eles queriam saber se as mudanças em um dos membros dessa rede social tinham algum tipo de influência sobre os outros participantes.

Uma das questões que estava no estudo era o problema da obesidade. Christakis e Fowler decidiram então determinar se, por exemplo, o fato de alguém ter se tornado obeso influenciava a sua rede social para que outros também adquirissem essa condição. Os resultados foram surpreendentes.

Como influenciar os outros

Os pesquisadores conseguiram determinar que, se alguém se torna obeso, os seus amigos têm 45% de chance de se tornarem obesos também. Por sua vez, amigos dos seus amigos teriam um risco de 20%. E os amigos dos amigos dos seus amigos apresentariam um risco de 10%. Além do terceiro grau, nenhuma influência foi observada. E assim, a regra do terceiro grau de influência foi estabelecida.

Os aspectos físicos e mentais

Os pesquisadores concluíram que algo semelhante à questão da obesidade ocorria com outros comportamentos, como por exemplo, com o tabagismo. A regra do terceiro grau de influência também acontecia nessa situação. Da mesma forma, o efeito contrário também influenciava os demais. Se alguém perdia peso na rede social, ou alguém parava de fumar, isso também afetava o comportamento dos outros.

Tanto Christakis e Fowler, assim como outros pesquisadores, puderam comprovar que tudo isso também se aplica a atitudes e emoções. Por exemplo, pessoas que compartilham amizades com pessoas que se sentem solitárias tendem a se sentir solitárias também. Algo semelhante acontece com os níveis de felicidade, comportamentos cooperativos, consumo de álcool e quase todos os comportamentos e atitudes.

Para surpresa dos pesquisadores, também descobriu-se que artistas ou pessoas famosas, por exemplo, têm pouca ou nenhuma influência no comportamento do povo. Se uma celebridade decide começar uma dieta, isso não afeta os seus seguidores. Por outro lado, se um amigo faz isso, a influência é muito visível.

Regra dos três graus de influência

A que isso nos leva? Principalmente a assumir que não somos ilhas. Que tudo o que dizemos e fazemos afeta os outros de uma forma ou de outra. Se desejamos uma mudança, a melhor maneira é começando por nós mesmos. De uma maneira imperceptível, isso começará a se espalhar e poderá trazer grandes mudanças pelas quais tantos anseiam.