Relacionamentos afetivos com pessoas altamente sensíveis (PAS)

Relacionamentos afetivos com pessoas altamente sensíveis (PAS)

novembro 2, 2016 em Emoções 0 Compartilhados
Relacionamentos afetivos com pessoas altamente sensíveis (PAS)

Apaixonar-se é, para muitos, uma montanha russa de emoções nervosas, difíceis de organizar. É um caos intenso de felicidade salpicado, às vezes, da mais insuportável das tristezas.

Uma realidade que pode ser ainda mais transbordante para as chamadas “pessoas com alta sensibilidade” (PAS).

Vamos lembrar que as pessoas altamente sensíveis ocupam 20% da nossa população e englobam uma série de particularidades psicológicas e emocionais que as diferenciam do resto.

coracao

Características das pessoas altamente sensíveis

A visão de mundo das pessoas com alta sensibilidade parte do fundo do coração, e embora muitos qualifiquem isso como um “dom”, às vezes como aura, a verdade é que pode acabar prejudicando a felicidade autêntica.

Essas pessoas são intuitivas e criativas, são capazes de perceber as emoções dos demais em todos os seus tons, mas isso faz, por sua vez, com que eles sejam mais reativos, ou seja, que se sintam mais afetados e feridos ante determinadas coisas que o restante das pessoas.

As pessoas altamente sensíveis apreciam muito mais sua solidãoàs vezes preferem empreender atividades sozinhas, podendo apreciar o mundo em sua autêntica realidade.

Elas dispõe de seu próprio ritmo, seu próprio tempo, muito diferente do acelerado materialismo do resto, onde nem sempre sentem-se integradas.

São observadoras, intuitivas, detalhistas, autoexigentes e têm um limite mais baixo para a dor. Incomodam-se com sons fortes, e inclusive é comum ver crianças pequenas que sentem dores ao usar determinadas roupas e ouvir certas vozes.

Como podemos ver, as pessoas altamente sensíveis têm uma visão da realidade mais afinada, mas ao mesmo tempo este dom, este traço de sua personalidade, faz com que elas sejam muito mais vulneráveis. Em especial no amor…

As relações entre pessoas PAS e não PAS

Já que as pessoas PAS são aproximadamente 20% da população, é normal que existam vários relacionamentos com pessoas não PAS, ou seja, pessoas não altamente sensíveis.

Obviamente existem muitas diferenças individuais: há pessoas altamente sensíveis que decidiram que é melhor ficar sozinhas, graças às incompatibilidades e ao sofrimento provocado por elas.

Há casos em que este acúmulo de sensações ou emoções gera nelas um alto nível de estresse e ansiedadeque deriva em dor física. Uma dor tão sofrida que fez com que pensassem que é melhor “não se apaixonar”.

Mas também precisamos dizer que as pessoas altamente sensíveis se apaixonam com facilidade. Sua virtude para apreciar as pessoas em todos os seus âmbitos faz com que elas se sintam atraídas imediatamente, e fiquem cheias de uma reconfortante energia, que no caso é a atração física e emocional.

Mas elas correm diversos riscos que precisam ser levados em conta:

As diferenças de personalidade entre as pessoas PAS e não PAS

Se você é uma pessoa altamente sensível, é possível que, pouco a pouco, você se dê conta de que seu parceiro não aprecia as mesmas coisas que você. Ele não chega à mesma profundidade emocional e intelectual que você.

Isso fará com que, algumas vezes, você se sinta frustrado(a) e chegue a demandar determinadas coisas de seu parceiro… coisas que ele simplesmente não pode lhe oferecer ou que não é capaz de ver ou intuir. Costumam ser personalidades tão diferentes que é comum que apareça uma desilusão, uma incompreensão…

Se você é uma pessoa PAS, deve ter em conta que os demais podem, talvez, não satisfazer suas expectativas ou podem não estar no mesmo nível que você. E tudo isso deriva, frequentemente, em um grande sofrimento.

casal-mato

As pessoas PAS e sua grande afetividade

Outra realidade que costuma acontecer é que é muito difícil para as pessoas altamente sensíveis monitorar seus limites pessoais: elas tendem a oferecer tudo à outra pessoa, esquecendo de si mesmas.

É um risco muito grande. Obviamente é maravilhoso conseguir essa união simbiótica onde oferecemos todo o nosso afeto, todas as nossas emoções, tempo e vivências pela pessoa amada… Para as pessoas altamente sensíveis, não há nada mais reconfortante.

Mas é preciso se proteger e tomar cuidado com os limites. Se dermos tudo para a outra pessoa, perderemos nossa identidade e seremos ainda mais vulneráveis a qualquer desapontamentoa qualquer situação que possa nos desconcertar, a qualquer diferença.

Pouco a pouco a frustração e a decepção podem aparecer… dimensões que, para uma pessoa com tanta sensibilidade e para quem a autoexigência é muito importante, podem acabar sendo muito destrutivas.

Qualquer fracasso ou desilusão é vivido de um modo muito traumático em todos os níveis. Tanto físico quanto psíquico, correndo o risco de cair em depressão.

Ser uma pessoa altamente sensível pode ser uma virtude

É preciso estar ciente disso. Ser uma pessoa PAS pode ser uma virtude, um dom. Mas não deixa de ser, na verdade, um traço de personalidade que requer autoconhecimento, saber como somos e o que nos faz mal para podermos estabelecer limites dentro dos quais podemos nos proteger.

Entenda que o resto das pessoas não vai sentir o que você sente, não vai ver o que você vê… mas mesmo assim, elas também serão capazes de amar e oferecer a felicidade que você também merece.

Mantenha um bom nível de autoestima desfrutando de quem você é e de como você é. É possível que esta sensibilidade seja, em alguns momentos, sinônimo de sofrimento, mas nem sempre é assim.

À medida em que você se entender melhor, será capaz de sobreviver nesta realidade que, às vezes, não brilha com toda a sensibilidade que deveria.

Recomendados para você