Relacionamentos tóxicos - A mente é maravilhosa

Relacionamentos tóxicos

Luciana Onofre março 4, 2015 em Emoções 1 Compartilhados
relacionamentos tóxicos

O que é uma decisão? O que é a tristeza? O que é o amor?

Estas perguntas me foram feitas por uma amiga maravilhosa.

Apenas consigo lembrar o que era. Apaixonou-se de modo doentio, tóxico, e a doença tomou conta do resto dos seus dias. O sarcasmo, a ironia, a manipulação acabaram com a sua autoestima, e sua capacidade de decisão. É claro que, a princípio, a gente se envolve numa relação tóxica por amor.

Após algum tempo, ter a autoestima baixa, enxergar-se como o salvador do outro, assumir o papel de vítima, manifestar a necessidade de estar ao lado do outro a toda hora, cumprir um papel social ou o temor de ir em frente, são motivos que justificam tais relações tóxicas, porém às vezes indissolúveis. Em uma relação tóxica, uma ou ambas pessoas experimentam um sofrimento que supera a felicidade e o prazer que possam vivenciar ao estar juntas.

Um dos membros (e às vezes ambos) são submetidos a um desgaste excessivo para tentar manter o relacionamento.

Ambos podem manifestar estas características, e sofrer de modo permanente crises de culpa; a pessoa tóxica se presta a incitar sentimentos na outra, sentimentos de culpa pelo ocorrido, monitorando constantemente o que a outra faz, pois não pode lhe permitir ter a oportunidade de descobrir que está mergulhada em uma relação doentia, e faz uso da desconfiança, da traição e do menosprezo.

Paulo Coelho, assinala em um trecho de seu livro “Onze Minutos“.

“Ao longo da minha vida eu entendi o amor como uma espécie de escravidão consensual Mas isso não é assim. A liberdade só existe quando o amor existe.”

Quem se entrega por completo, quem se sente livre, ama ao máximo. E quem ama ao máximo, se sente livre. Porém, no amor, cada um de nós é responsável pelo que sente e não pode culpar o outro disso.

Ninguém perde ninguém, pois ninguém possui ninguém.

E esta é a verdadeira experiência de liberdade: possuir o mais importante do mundo sem possuí-lo.

Essas foram minhas respostas a suas perguntas. A decisão de ser livre cabe a cada um.

Foto cortesia de STILLFX

Luciana Onofre

Ver perfil »
Recomendados para você