A manipulação emocional invisível – A mente e maravilhosa

A manipulação emocional invisível

Fevereiro 20, 2015 em Psicologia 414 Compartilhados

Acabei de me lembrar de um caso em que que pediram o meu conselho, vou falar sobre a manipulação emocional invisível.

Todos nós conhecemos formas de manipular, desde as chantagens, insultos, mau humor, etc. Mas existe outro tipo de manipulação prejudicial, a qual é difícil de detectar ao começo, é uma armadilha na que você vai caindo aos poucos…

O caso de… vamos chamar de Albert

Trata-se do caso anônimo de um garoto inteligente, com uma vida normal. Conheceu uma moça estudante de psicologia. Naquele momento, ele estava passando por uma etapa de solidão, estava ficando sem amizades, não estava indo muito bem no âmbito amoroso e estava desempregado. Estes fatores fazem com que as pessoas estejam ainda mais vulneráveis às manipulações.

Nesta garota ele encontrou uma forma de saída e apoio incondicional. Sofreu uma manipulação emocional invisível por parte da amizade que estabeleceu com, chamemos de Sandra, quem tinha os conhecimentos psicológicos para manipular o Albert.

Nem sempre as manipulações são mal intencionadas; às vezes, a carência de alguém pode fazer com que sintamos a necessidade de manipular os outros para receber o que precisamos.

Sandra tinha problemas de depressão, por isso, quis atrair Albert, para que a animasse e lhe desse o carinho de que precisava. Digamos que ela usou o Albert, fez com que ele se apaixonasse por ela para não perdê-lo, e contar com alguém que estivesse sempre aos seus pés para ajudá-la e animá-la.

Albert era um garoto muito agradável, dedicado, minucioso e com uma enorme habilidade empática. Sandra queria captar todas essas virtudes para tentar sair do poço depressivo em que estava.

Pelo que ele me contou, esta garota não quis ser mal intencionada, era uma boa pessoa, mas por causa da sua depressão, precisava se apoiar em alguém além de sua família.

A manipulação emocional invisível consta de 2 fases:

Primeira fase: A captação

Manipulação emocional das pessoas

A primeira coisa a fazer é se mostrar para que a outra pessoa demonstre uma leve admiração inicial. Tudo começa com a fase de agradar, de tratar bem, de dar ao máximo o que a outra pessoa deseja. Quem não ouviu antes a frase “Quando namorávamos tudo era maravilhoso e logo depois de nos casarmos tudo mudou”.

Muitos manipulam durante o namoro até conseguir o que querem, depois fazem a mudança de papéis, da qual falarei mais tarde, pois sentem que já se apropriaram da pessoa.

O manipulador conhece o que a outra pessoa precisa e dá isso a ela, às vezes em excesso, para acostumá-la um pouco a esse trato tão exageradamente agradável e atencioso.

É uma fase na qual o manipulador mostra todos os seus encantos, se exibe e quando tem a chance, se coloca em um lugar mais alto do que o do manipulado para oferecer segurança, amizade e apoio incondicional. Tudo isso só para ganhar a confiança e admiração do outro.

O que Sandra fez para captar Albert? A primeira coisa foi se mostrar, exibindo-lhe o ótimo trabalho psicológico que fazia diariamente com as amizades e conhecidos. Oferecia toda a informação das práticas laborais que fazia, para se posicionar acima dele em relação a conhecimentos mentais.

Tirou proveito da sua profissão para estar no topo e demonstrar para Albert que era muito afortunado por ter a amizade dela e que poderia consultá-la sobre qualquer coisa em qualquer momento.

O seguinte seria conhecer direito o mundo emocional de Albert, suas fraquezas e carências, para então lhe oferecer o  apoio de que realmente precisava.

Albert recebia de Sandra elogios contínuos, e muito reforço positivo. O contato também era frequente, diário, para que os problemas cotidianos parecessem insignificantes ao lado da relação amistosa que mantinha com ela.

Chama-se manipulação emocional invisível porque a manipulação não é percebida, já que, inicialmente, tudo em uma relação é positivo.

A chave para detectar esta situação estaria nos excessos. Alguém pode gostar de você, sentir carinho por você e inclusive admirá-lo, mas sempre e quando seja dentro do normal. Quando há um excesso, devemos nos perguntar por que somos admirados tanto assim, se é por uma tentativa de manipulação ou porque a autoestima da outra pessoa é baixa e ela nos está idealizando.

No processo de manipulação, a incidência de tudo será maior se, além disso, a pessoa tirar proveito de uma profissão (caso tenha uma que capte o interesse e concorde com algo que a pessoa goste e seja do seu interesse).

Por exemplo, é mais fácil que uma pessoa obesa se apaixone por um nutricionista que lhe preste ajuda, porque admirará essa profissão, pois precisa emagrecer.

Se uma pessoa insegura conhecer um psicólogo que a ajude amistosamente de graça, uma pessoa que não esteja bem de saúde for atendida e curada por um médico ou aquele que não for bom nos esportes, com certeza admirará os esportistas fortes e habilidosos.

Quando sentimos que temos uma carência, admiramos os que possuem aquilo que nos falta. Se alguém aproveitar essa habilidade da qual o outro precisa e se oferecer para ajudá-lo de graça, acelerará o processo de admiração ou paixão porque vai se posicionar em um nível superior, desde onde adquirirá maior poder emocional.

Segunda fase: Mudança de papéis

Uma vez que o manipulador percebe que possui a confiança total, o carinho, amor, atração do outro, passa à seguinte fase de mudança de papéis. Se antes era o ajudante quem dava apoio e segurança ao outro, agora será a vítima.

Já projetou no outro especificamente aquilo que queria receber, e como a outra pessoa se afeiçoou a ele, fará o possível por ajudá-lo. Uma vez que o carinho ou o amor foram ativados, o manipulador já tomou as rédeas.

¿Como foi que Sandra aplicou a mudança de papéis? No começo somente contava coisas positivas sobre ela, somente se mostrava e se dedicava a apoiar, admirar e elogiar Albert.

Mas depois começou a divulgar os seus problemas e a se vitimizar pelo deterioro da sua saúde devido à sua depressão. Albert, já apaixonado por ela, entregou-se completamente para ajudá-la e animá-la.

Uma vez produzida a mudança de papéis, diminuem a atenção, o carinho e apoio recebidos inicialmente. Desta vez é a outra pessoa quem vai atrás incondicionalmente.

Sandra fez de Albert o seu ombro, pois ele a ouvia e apoiava em tudo que fosse possível. Normalmente a pessoa percebe que se deu mal, quando sente que na primeira fase era muito feliz namorando essa pessoa, mas ao passar à segunda, tudo é mal estar e dor.

O manipulador pode inclusive ignorar a pessoa para atraí-la ainda mais, sabendo que ela já foi captada. Aparece e desaparece à vontade porque sabe que não importa o que acontecer, já tem a outra pessoa aos seus pés.

O manipulado passa mal porque já não recebe o mesmo que recebia no começo e inclusive pode chegar a se sentir culpado por ter feito alguma coisa errada que estragou tudo. Não encontra explicação para o que aconteceu, não percebe que foi manipulado e já não está mais na primeira fase, que era a positiva.

A situação pode inclusive virar uma dependência emocional, se a pessoa não se afastar do manipulador logo que sentir que a relação provoca infelicidade e mal estar.

Costumam enganar a si mesmos pensando que tudo será como no começo, voltando à fase inicial, mas a verdade é que o único que a pessoa manipulada pode conseguir é entrar em um círculo vicioso de tentativas de consertar as coisas, onde o outro não colabora e nem se comporta como antes.

Escute suas emoções

As emoções falam por si mesmas. Se suas emoções são negativas, quer dizer que a relação não é saudável. Existem situações onde a razão não manda porque não podemos penetrar dentro da mente das outras pessoas para saber o que estão pensando ou por que agem de determinada maneira.

Mas onde a razão não mande, sempre estarão suas emoções, que nunca o enganarão. Onde houver manipulações ou relacionamentos insanos de qualquer tipo, a pessoa experimentará mal estar e emoções negativas.

Muitos manipuladores tentam fazer as vítimas sentirem culpa, mas nunca devemos nos sentir culpados por nada, o mais importante é o seu bem estar, e se você sentir emoções negativas, é porque tem alguma coisa errada, convém se afastar da pessoa, seja uma relação de amizade, de amor, etc.

Recomendados para você