O relaxamento das mulheres com câncer de mama

· setembro 1, 2017

O processo terapêutico que as mulheres com câncer de mama enfrentam é longo, e o apoio psicológico é fundamental desde o primeiro momento. Nesse sentido, a psicoeducação é imprescindível: facilitar a informação sobre a doença e sobre as técnicas que vamos empregar para melhorar seu estado físico e seu estado mental. Ou seja, com a intervenção vamos tentar melhorar seu bem-estar em todas as áreas.

É possível mencionar que o câncer de mama é o câncer mais comum nas mulheres. Apesar disso, é importante destacar que a taxa mortalidade por esse tipo da doença diminuiu nos últimos anos.

Hoje, neste artigo, vamos nos dedicar a falar sobre a importância que o relaxamento pode ter para as mulheres que receberam esse diagnóstico. O objetivo ao incorporar as técnicas de relaxamento ao tratamento é aprender a controlar o nível de ativação por meio da modificação de diferentes condições fisiológicas.

Como o relaxamento influencia a nível fisiológico e mental?

É necessário saber que as técnicas de relaxamento tendem a aumentar a ativação parassimpática e a diminuir a ativação do sistema nervoso simpático. Assim, o relaxamento é considerado um estado de hipoativação, caracterizado por uma baixa frequência cardíaca, vasodilatação periférica, respiração diafragmática, tônus muscular baixo…

O relaxamento das mulheres com câncer de mama

No entanto, além dos efeitos na redução da ativação fisiológica, as técnicas de relaxamento têm outros efeitos de caráter cognitivo. Falamos sobre o aumento da sensação subjetiva de relaxamento, de focalização e reorientação da atenção, de maior autocontrole ou de um aumento da capacidade de discriminação das respostas fisiológicas.

A parte mental

Como Beck menciona, em referência à parte cognitiva, é a nossa mente que leva a pessoa a acreditar em determinadas crenças sobre si mesma, a erros ou distorções em seus pensamentos que, em vez de apaziguarem a batalha contra a doença, a torna ainda mais dura.

O aspecto cognitivo é fundamental no tratamento da luta contra o câncer, já que os pensamentos que essas mulheres têm e alimentam vão favorecer seu estado positivo ou, pelo contrário, vão proporcionar uma visão mais negativa da doença. Os pensamentos positivos vão aumentar a autoestima, a vontade de lutar, a motivação e a adesão ao tratamento.

“O câncer mudou minha vida. Eu agradeço por cada dia. Ele me ajudou a estabelecer prioridades.”
-Olivia Newton John.

Quando usar o relaxamento?

Com o relaxamento em pacientes com câncer, busca-se evitar as náuseas e os vômitos da quimioterapia e de alguns tipos de radioterapia (condicionados e generalizados a determinados estímulos que provocam mal-estar). De alguma maneira, tenta-se reverter os efeitos desse tipo de condicionamento que, por outro lado, é comum em pacientes que já realizaram várias sessões.

Além disso, o relaxamento melhora o estado emocional com que a paciente enfrenta os diferentes exames e resultados. Finalmente, o relaxamento favorece o autocontrole e limita os comportamentos impulsivos que, muitas vezes, se tornam tentadores devido à frustração que a doença pode provocar.

Quais tipos de relaxamento é possível usar?

O tipo de relaxamento recomendável para cada situação vai depender de diferentes variáveis, como nosso conhecimento da técnica, o plano no qual nossa ansiedade aparece mais, ou o tempo que possuímos para realizá-lo. A seguir, vamos ver duas das técnicas mais importantes que podem ser aplicadas em pacientes com câncer de mama.

  • Relaxamento muscular progressivo (Jacobson): o objetivo é que a mulher consiga identificar o seu nível de tensão e coloque em prática as estratégias da prática todas as vezes que sentir essa tensão no seu corpo.

O aprendizado sobre a tensão se realiza através de vários exercícios que representam a aplicação da tensão, de forma voluntária e intensa, em diversas regiões do corpo. À medida que for avançando nos exercícios, as repetições vão diminuindo para conseguir ser capaz de eliminar os exercícios de tensão.

  • Visualização guiada: consiste em fazer uma viagem mental através de imagens, procurando sensações, situações e/ou lugares que dão prazer para cada pessoa. Evocando dessa forma os diferentes estímulos sensoriais desses lugares nos quais a pessoa consegue relaxar.

“O câncer pode me fazer perder todas as minhas habilidades físicas. Mas não consegue tocar minha mente, meu coração e minha alma.”
-Jim Valvano-

O relaxamento das mulheres com câncer de mama

Cada dia tem o seu objetivo na batalha contra o câncer de mama

Quando você for enfrentar um passo complexo da doença, uma sessão de quimioterapia, outra sessão de radioterapia, uma visita ao oncologista à espera de resultados… descubra no medo e na ansiedade uma forma para que seu corpo e sua mente encontrem um estado de relaxamento, ajudando no enfrentamento da doença e na luta dessa fase que você está vivendo.

“Ninguém consegue funcionar perfeitamente sem um pouco de paz e silêncio de vez em quando.”
-Cristopher Paolini-

Todas as pessoas que sentiram o câncer de perto ou têm alguma ideia sobre o assunto entendem que o sofrimento associado à doença dificilmente pode ser mensurado. O que uma pessoa sente quando ouve “você está com câncer” é uma infinidade de sentimentos desencontrados, medos, ansiedade, preocupações…

Por isso, é positivo se lembrar de uma coisa: cada dia tem o seu objetivo. Passo a passo, degrau a degrau vamos enfrentando e superando as dificuldades. Nesse sentido, é inevitável pensar no futuro e no que vai acontecer ao final do tratamento e sentir medo de que não dê certo, de que o processo demore ou de que as medidas tomadas para enfrentar o câncer não sejam suficientes. É exatamente em relação a essa ansiedade, esses pensamentos e essas emoções associadas que o relaxamento pode nos ajudar.