River Phoenix: um James Dean verdadeiramente rebelde

junho 28, 2019
Apresentamos aqui a história de um jovem que foi uma das grandes promessas do cinema. Devido ao seu triste fim, despertou opiniões sobre a sua pessoa que estão muito longe do que realmente foi a sua trajetória de vida.

River Jude Phoenix, cujo sobrenome verdadeiro era Bottom, foi um popular ator norte-americano que morreu em outubro de 1993 com apenas 23 anos.

River se destacou igualmente por sua beleza e por seu talento como ator. Sua morte acidental por overdose obscureceu a biografia de quem, na verdade, havia desenvolvido uma vida pessoal e pública com classe e retidão.

Não são poucos os ídolos de Hollywood cuja morte sombria acabou perpetuando uma imagem falsa da vida do artista.

River Phoenix, cujo nome exótico – em inglês ‘rio’ – foi escolhido por pais de profundas convicções hippies, atualmente é reverenciado como a versão moderna de James Dean.

No entanto, apesar de seu final tão triste, este jovem foi um ótimo exemplo a seguir no que diz respeito à gentileza, ao comprometimento e aos valores.

Nascido em 23 de agosto de 1970, River desenvolveu cedo sua capacidade para a arte ao cursar, além da atuação, disciplinas como a música, a escrita e, mais particularmente, o ativismo em favor de causas ambientais e sociais justas.

Tudo que este jovem fez em sua luta interminável pela igualdade entre as pessoas, o respeito e a conservação do meio ambiente pareceu despertar pouco interesse durante sua vida. Deslumbrado pelos flashes da fama e por uma imagem de símbolo sexual não intencional, seu ativismo tampouco recebeu atenção após a sua morte, perturbada pelas circunstâncias suspeitas em que a mesma ocorreu.

River Phoenix quando criança

Vida e realizações profissionais de River Phoenix

River não foi o único entre seus irmãos a receber um nome tão new age: depois dele, seus pais dariam vida a Rain (“chuva”), Joaquin, Liberty (“liberdade”) e Summer (“verão”). Seu local de nascimento foi Madras, no estado americano de Oregon. Faleceu em West Hollywood, Califórnia, em 31 de outubro de 1993.

Sua morte foi causada, de acordo com fontes oficiais, por uma combinação letal de produtos químicos à qual o seu coração não pôde resistir. Tudo ocorreu depois de desmaiar e perder a consciência na saída do Viper Room, bar gerenciado por seu grande amigo Johnny Depp.

A carreira de River incluiu um total de 24 filmes e propagandas, depois de ter começado a atuar aos 10 anos de idade na televisão. Alcançar o status de ídolo adolescente não lhe custou muito tempo. Essa foi uma visão sobre ele que, embora sempre o acompanhasse, nunca veio a agradá-lo.

Cheio de humildade e capacidade de esforço e dedicação, sua ambição era ser reconhecido por suas artes, que brilharam diversas vezes em seus poucos anos de vida.

Suas realizações nas telonas incluem o conhecido filme de 1986 ‘Conta Comigo’, um longa de aventuras centralizado na transição de um grupo de crianças na adolescência.

Outro de seus trabalhos foi ‘O Peso de um Passado’ (1988), pelo qual recebeu uma indicação ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante da Academia de Hollywood.

Seu último filme, ‘Dark Blood’, que estava sendo filmado na época de sua morte, foi lançado em 2012 após um longo processo de pós-produção.

O lado menos conhecido de River

Publicamente, seus dons como ator foram reconhecidos e consolidados. Hoje em dia praticamente não há qualquer disputa sobre o fato de que Phoenix foi, sem dúvida, um grande ator com um enorme potencial que poderia ter alcançado os maiores sucessos no mundo do cinema.

Mas uma parte essencial de si mesmo e de seus esforços – uma parte que pode ser mais difícil e menos lucrativa do que atuar em grandes produções cinematográficas – que atraiu muito menos paparazzi e gerou menos manchetes ainda é pouco conhecida.

River foi um defensor dedicado das causas políticas, um firme defensor dos direitos dos animais e um ativista político incansável. E tudo isso sem sequer ter atingido os 25 anos.

Além de inúmeros atos benéficos para arrecadar fundos, River foi um notável embaixador da PETA e, em 1990, escreveu um famoso artigo sobre o Dia da Terra dedicado a seus seguidores mais jovens.

De fato, depois de ser publicado na revista Seventeen, conseguiu tocar a consciência ambiental de milhares de pessoas.

Surpreendentemente, uma parte substancial da sua renda era destinada a uma infinidade de causas ambientais e humanitárias. River protagonizou importantes campanhas de conscientização com sua presença e discursos, e apoiou vários grupos políticos em seus comícios.

Sendo praticamente um adolescente, ele comprou 800 hectares de terra em risco de desmatamento na Costa Rica. Sua adesão ao veganismo foi inquebrável desde o início.

River Phoenix

Não sem razão, atores contemporâneos como Jared Leto, James Franco e o próprio Leonardo DiCaprio se referem a esta grande pessoa como uma influência indispensável em suas carreiras cinematográficas.

Ele é visto por muitos como o responsável por abrir o caminho para atores que, como ele, têm um profundo fundo intelectual e de solidariedade – e um grande talento – por trás da aparência de um símbolo sexual.

Para percebermos a genuinidade dos pensamentos e sentimentos de River Phoenix, pode ser suficiente a citação de um comentário feito sobre sua primeira namorada para a imprensa:

“Um dia, ainda com 15 anos, saímos para jantar em um elegante restaurante em Manhattan. Eu pedi caranguejos de casca mole e, ao terminar, ela saiu do restaurante e caminhou pela rua em lágrimas. Ela me disse: ‘Eu te amo tanto… Por quê?…’. A dor que ela sentiu ao me ver comendo aqueles animais não lhe permitiu nem que me explicasse que considerava aquilo errado”.

River Phoenix era, assim como James Dean, um “rebelde sem causa”. Mas River era um verdadeiro rebelde, porque apesar dos ditames e estereótipos que pairavam sobre uma figura como a dele, lutou sem hesitar por seus valores sem priorizar o dinheiro, a fama e a aprovação dos outros.