Rubén Darío Ávalos: o bonito legado de um menino de 12 anos

Rubén Darío Ávalos: o bonito legado de um menino de 12 anos

janeiro 28, 2018 em Emoções 86 Compartilhados
Rubén Darío Ávalos

Este artigo pretende ser uma pequena homenagem a Rubén Darío Ávalos, um menino paraguaio que morreu aos 12 anos de idade em Sevilha de uma estranha doença chamada histiocitose. Este anjo escrevia histórias e lia Platão para esquecer a sua doença. Na realidade, a vida de Rubén Darío era um milagre que corria de boca em boca entre os profissionais de saúde e voluntários da Associação Espanhola de Combate ao Câncer que acompanham as crianças e suas famílias em enfermarias de oncologia infantil.

Rubén Darío Ávalos publicou quatro livros de histórias e um romance histórico: Encontros com Rubén (2015), Sensación de pureza (2015), Las cartas y otros cuentos impredecibles (2016), La medicina maestra (2016) e La diadema (2017). Como Rubén Darío Ávalos não tinha defesas, protegeu-se com os livros.

Agora que Rubén morreu, acredito que outras crianças, jovens e adultos que estão passando por uma história semelhante, precisam conhecer a sua história. Rubén lutou contra todas as adversidades graças à leitura, ao fortalecimento e alívio através da escrita e do entusiasmo para aprender.

“A medida do que somos é o que fazemos com o que temos”.
– Vince Lombardi –

Rubén Darío Ávalos

Rubén Darío Ávalos: a criança que não precisou crescer para ser grande

Durante uma entrevista em 2015, Rubén falou sobre como a leitura o havia salvado. Nessa entrevista, Rubén explicou que a leitura e a escrita haviam servido de refúgio para enfrentar a sua doença, que exigia quimioterapia para a vida toda, porque se tornara crônica devido à sua detecção tardia.

Os livros que mais o marcaram foram: “Cem anos de solidão”, “Platão e eu”, “A família de Pascoal Duarte”, “O senhor Presidente”, “A metamorfose”, “A ilha do tesouro”, “Filho do homem”, “Ficções”, “A volta ao mundo em 80 dias” e “A guerra dos mundos”. Devido às suas  leituras variadas, seus romances e histórias não têm um estilo específico. Cada história que ele inventou é completamente diferente uma da outra.

Ele gostava tanto de ler porque mergulhava em outros mundos, viajava para outros lugares, outras épocas, conhecia outras pessoas e fazia novos amigos. Este escritor precoce compilou histórias que ele escreveu em diferentes idades, desde os 2 até os 12 anos. Rubén não precisou crescer para ser grande. O seu legado de palavras e coragem permanecerá em seus livros.

“As suas circunstâncias atuais não determinam até aonde você pode ir; apenas determinam por onde começar”.
– Nido Qubein –

Rubén Darío Ávalos

Rubén Darío Ávalos e sua carreira de escritor

Para criar seus personagens, Rubén Darío Ávalos se inspirava em pessoas que conheceu, ou nos sonhos que teve, nos livros que leu ou apenas na sua imaginação. Mas ele sempre tentou lhes dar uma personalidade muito bem definida e propor uma reflexão. Geralmente, ele mostrava suas virtudes e seus defeitos, e como podemos trabalhar para transformá-los, alimentando com esse esforço a autoestima dos corajosos que se atrevem a realizar tal façanha.

A sua novela histórica mais conhecida fala sobre o abuso de animais e o bullying escolar. O seu trabalho favorito é “La medicina maestra”. Ele acreditava que a leitura é um remédio para a alma, por isso deu esse título ao livro. As histórias incluídas nesta obra foram escritas em diferentes idades (2, 4, 6, 8, 10 anos em diante), por isso cada ideia surgiu de uma maneira diferente.

Com as publicações desses livros, pagava uma parte da sua permanência em Sevilha, onde fazia o tratamento. A sua filosofia de vida era que sempre devemos ver o lado positivo das coisas, por pior que seja a situação. A nossa missão é enfrentá-la e agradecê-la por tudo.

“Ficamos muito felizes com a notícia dos nossos ídolos, esquecendo que também somos extraordinários para alguém”.
– Helen Hayes –

Recomendados para você